sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Sem controle


Hoje é o grande dia do filme Control, sobre a vida e morte de Ian Curtis, na Mostra (programe-se aqui). A obra foi dirigida por Anton Corbijn - famoso por fotos e clipes de diversas bandas, especialmente o U2 - e o fato de ela ser em preto e branco ajuda a marcar o clima de tédio que cercava Curtis em Manchester. Não é ruim, como eu achei que seria.

No ano passado, quando veio para se apresentar no Motomix, Peter Hook (ex-integrante do Joy Division e ex(?)-New Order), arrumou um tempinho para almoçar comigo e falar sobre vários assuntos. Ele falou sobre a trilha que a banda deveria fazer para o filme, como Joy Division (o que acabou não rolando) e sobre como o filme usaria muita música da época (o que foi verdade: tem bastante David Bowie e, claro, Joy Division). Falou sobre os dois shows que o grupo fez como Joy Division nos últimos anos e sobre outro longa que mostrava a banda, 24 Hour Party People (nessa parte ela fala sobre o lendário Tony Wilson, que na época ainda estava vivo). Escute:

A parte em que ele fala sobre como deveria montar uma banda cover do Joy Division para sair em turnê é engraçada (e eu levaria meio a sério, já que Hook tem um amigo que toca no Australian Pink Floyd e ganha uma boa grana).

Um comentário:

clarice disse...

não é ruim, é péssimo. a sensação que o filme dá é aque o Ian Curtis era um imbecil, coitado.