terça-feira, 27 de outubro de 2009

Zombieland abre caminho para nova invasão de zumbis



As portas do pós-vida estão abertas: Zombieland, uma comédia de terror com elementos de road movie, conquistou fãs no mundo todo. E não só os que eram dedicados ao gênero dos mortos-vivos – nos EUA o filme teve uma bilheteria de mais de US$ 74 milhões.

A história é simples: Columbus (Jesse Eisenberg, de Adventureland) e Talahassee (Woody Harrelson) estão vagando por um Estados Unidos devastado por uma proliferação de zumbis. No caminho, encontram as irmãs Wichita (Emma Stone, de Superbad – É Hoje) e Little Rock (Abigail Breslin, de A Pequena Miss Sunshine), que os convencem a seguir para um parque de diversões californiano aonde, diz a lenda, os monstros ainda não chegaram. No caminho, enfrentam o exército de humanos infectados.

Para o projeto, a jornada também não foi fácil. Zombieland começou como uma idéia para série de TV, em 2005, escrita por Rhett Reese e Paul Wernick. Não vingou. Anos depois, com os direitos vendidos para o cinema, o diretor estreante Ruben Fleischer teve mais de US$ 26 milhões para contar a história.

Talvez um dos méritos do filme seja o de não tentar explicar o que está acontecendo. A história do quarteto é a linha principal e o roteiro não dá muitas pistas a respeito de como o mundo foi dominado pela praga. Outro detalhe que faz a diferença são as bem humoradas regras de combate de Columbus (que lembram bastante o conteúdo do livro Guia de Sobrevivência aos Zumbis, de Max Brooks).

Mesmo dentro de seu subgênero ("filmes de terror com zumbis"), Zombieland tem um recorde: é o que mais lucrou. Em apenas 17 dias ele passou dos US$ 60,8 milhões, desbancando o remake de Madrugada dos Mortos. Os envolvidos pensam em fazer uma continuação no futuro, apesar de nada estar acertado. Zombieland chega ao Brasil em 4 de dezembro.

E agora, os mortos continuam saindo de seus túmulos em velocidade cada vez maior. George A. Romero se prepara para lançar o sexto filme de sua (infinita) série de longas-metragens estrelados pelos zumbis. Survival of the Dead deve chegar à telona ainda em 2009.

Não é só. World War Z, livro do já citado Max Brooks, está sendo adaptado para o cinema pela Paramount. A publicação conta a história, por meio de relatos dos envolvidos, de uma guerra mundial contra os mortos-vivos.

Diablo Cody (Juno, Garota Infernal) também vai explorar esse universo, adaptando outro livro. Em Breather – A Zombie's Lament, um zumbi reflete sobre a "vida" (re-vida?), o abandono e a rejeição por parte dos humanos. Dá para ler o primeiro capítulo da história original no site do autor, S.G. Browne. O filme deve estrear em 2011.

Então é isso. Saiam da frente, vampiros, os mortos-vivos estão voltando. Salve-se quem puder!

Nenhum comentário: