quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Davy Jones (1945 - 2012)



Foi-se Davy Jones, do Monkees, aos 66.

A esperteza de Paul McCartney em Kisses on the Bottom



Musicalmente, o álbum de standards Kisses on the Bottom, de Paul McCartney, tem um detalhe que o coloca a milhares de quilômetros de distância de trabalhos semelhantes, como os feitos por Rod Stewart e Robbie Williams: o ex-beatle se fugiu ao máximo do estilo big band.

Na seleção de Macca as faixas são mais intimistas e, talvez por isso, o disco até soe triste demais. Por outro lado, esse clima justifica a fragilidade da voz do músico em diversos momentos. É a arte de tornar forte um ponto fraco.


Tudo isso é relacionado ao lado musical e artístico do álbum. Mas a esperteza de Paul McCartney extrapola para o mundo das finanças também (não é à toa que ele é um dos músicos mais ricos do planeta): segundo este colecionador/blogueiro apurou, Sir Paul é dono dos direitos de metade das canções de Kisses on the Bottom, por meio da empresa dele, a MPL.

Além das novas “My Valentine” e “Only Our Hearts”, que ele mesmo escreveu para esse projeto, McCartney é dono de “I’m Gonna Sit Right Down And Write Myself A Letter” (Joe Young, Fred E. Ahlert), “More I Cannot Wish You” (Frank Loesser), “We Three (My Echo, My Shadow And Me)” (Dick Robertson, Sammy Mysels, Nelson Cogane), “Ac-Cent-Tchu-Ate The Positive” (Harold Arlen, Johnny Mercer) e “The Inch Worm (Frank Loesser).

(uma observação breve: além de administrar as músicas de Buddy Holly, a MPL cuida do catálogo inteiro de Frank Loesser, incluindo as músicas de Guys and Dolls!)

Então ao regravar essas faixas, Paul McCartney também as joga de volta ao mercado, “reaquecendo-as” e impedindo que elas fiquem esquecidas. Quanto mais gente gravá-las, mais o lucro cresce.

Claro: certamente a inspiração para Kisses on the Bottom não é meramente comercial. McCartney fala desse projeto há algumas décadas, ele parecia ser uma daquelas idéias que ficam sendo adiadas até o momento certo. E agora, em uma junção harmônica de arte e finanças, essa hora chegou.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Lucas Santtana explica o poder das músicas de amor



Direto ao ponto: Lucas Santtana fala sobre a motivação por trás das canções de amor, a coluna vertebral do novo álbum dele, O Deus que Devasta Mas Também Cura.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Quando o diretor Kevin Smith entrou no mundo delirante de Prince



Este vídeo é do começo dos anos 2000, mas mostra algo raro e interessante: a visita do diretor Kevin Smith ao universo estranho de Prince. Ele faz parte do DVD An Evening with Kevin Smith (que, aliás, é muito foda).

O Prince, faz bastante tempo, vive em um mundo só dele. E Smith teve um gostinho (amargo) disso quando foi chamado para dirigir um documentário na casa/estúdio do músico, Paisley Park, em Minnesota. O lugar é tipo um Rancho Neverland, só menos infantil (o que faz sentido, porque Prince é tipo um Michael Jackson adulto em termos de comportamento).

Lá, Kevin Smith descobriu que é impossível questionar Prince. E que a religião é uma parte muito maior da vida do cantor do que se imagina.

Vale a pena encarar os 30 minutos do vídeo. O cancelamento do show do Prince no Rio, no ano passado, vai parecer a coisa mais normal do mundo.

Anos depois, em uma palestra registrada no DVD An Evening with Kevin Smith 2: Evening Harder, perguntaram ao diretor se o Prince havia reagido à história de alguma forma. Ele disse que sim, e deu mais detalhes.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Billy Strange (1930 - 2012)



Billy Strange morreu aos 81 anos. O guitarrista gravou com Elvis Presley (ele também ajudou a escrever o hit "A Little Less Conversation", que décadas depois fez sucesso em um remix do JXL), tocou guitarra no Pet Sounds e deixou sua marca em "Bang Bang (My Baby Shot Me Down)", de Nancy Sinatra.



Strange também era integrante do grupo de "músicos de aluguel" conhecido como The Wrecking Crew, que gravou clássicos de Phil Spector, do já mencionado Beach Boys, The Carpenters e de vários outros.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Chris Cornell canta "I Will Always Love You" em evento de Obama (veja!)



Confesso que por essa eu não esperava: Chris Cornell cantou "I Will Always Love You", de Dolly Parton (e sucesso com Whitney Houston), em show para arrecadar fundos para a campanha de Barack Obama. Foi ontem, em São Francisco.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Novo [rec] ganha trailer de Valentine's Day



Nada melhor do que o Valentine's Day para liberar um trailer de filme de terror, não é? E aqui está o de [rec] 3 - Genesis, do espanhol Paco Plaza. Outro filme da série, [REC]4 Apocalipsis, está sendo preparado por Jaume Balagueró para 2013. (a dupla fez, junta, os dois primeiros longas)

Genesis se passa antes do primeiro filme, em um local diferente, com o vírus que transforma as pessoas em zumbis se espalhando durante uma festa de casamento. A estreia está marcada para 30 de março.

Jack White se cerca de mulheres para o Valentine's Day (mas sofre)



É meio óbvio que a música "Love Interruption", primeiro single de Blunderbuss, solo de Jack White, é sobre a separação do músico e Karen Elson.

Ela mesma respondeu a uma indireta sobre isso no Twitter. E aí chega hoje, Valentine's Day, e ele lança o clipe da música - com a formação só de mulheres que toca na faixa.

São elas: Brooke Waggoner (cantora e compositora de Nova Orleans, que agora mora em Nashville, como White) no Wurlitzer; Emily Bowland (da Nashville Chamber Orchestra) tocando clarinete; e a brilhante cantora de soul/R&B Ruby Amanfu.

Na canção do lado B, "Machine Gun Silhoutte", mais mulheres: Bryn Davies (que frenquentemente acompanha músicos de bluegrass e americana) no baixo; Olivia Jean (do Black Belles, grupo apadrinhado por White) na bateria; Brooke Waggoner, agora no piano; e mais os marmanjos Ryan Koenig (presença frequente nos lançamentos da Third Man Records) fazendo backing vocal e o veterano do bluegrass Fats Kaplin tocando fiddle.

Blunderbuss sai no fim de abril.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Bonde do Rolê libera raridades no Facebook



Em preparação para o lançamento do novo disco, Tropical/Bacanal, o Bonde do Rolê começou a liberar material antigo e raro na página oficial do grupo no Facebook.

No primeiro volume veio Baterias do Poder, o disco caseiro lançado em 2005 (e depois editado, em versão menor, como o EP Melô do Tabaco, no ano seguinte).

Mais para frente devem ser colocados para download gratuito remixes, demos, faixas nunca lançadas e fotos antigas.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Corrigindo cancelamento do Terra, The Vaccines vem ao Brasil em abril



Pronto, chega de xingar o Vaccines: depois de cancelar a apresentação que faria no Planeta Terra do ano passado, a banda britânica cumpriu a promessa de passar por aqui ainda na turnê de What Did You Expect From the Vaccines?.

Serão dois shows: em São Paulo (no Cine Joia, 18 de abril) e no Rio (Circo Voador, 19 de abril).

Tem um detalhe arriscado: essas datas são entre os dois finais de semana do Coachella, na Califórnia. Vai ser corrido.

Eu entrevistei o vocalista Justin Young no ano passado, dá para ler aqui. Coincidentemente, o texto foi publicado em... 18 de abril.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Uma tese sobre o dedo da M.I.A. no show da Madonna



A apresentação da Madonna no intervalo do Superbowl acabou deixando uma dúvida: por que a M.I.A., convidada especial ao lado de Nicki Minaj, mandou o dedo do meio para as câmeras no meio de "Give Me All Your Luvin'"?

Talvez seja por isso: em 13 de setembro de 2007, dois dias depois do aniversário de seis anos dos atentados terroristas de 2001, M.I.A. foi cantar "Paper Planes" no Late Show, do David Letterman. Para surpresa da cantora, quando o DJ deveria soltar a batida baseada em som de tiros, entrou um outro beat. Dá para ver que ela até se desconcentra.



A CBS havia pedido a alteração da música.

Na noite do domingo, no Super Bowl, algo parecido ocorreu. Preste atenção no clipe de "Give Me All Your Luvin'": a participação da M.I.A. termina com um som de tiro.



Agora veja o vídeo do Super Bowl: o tiro some e entra o dedo, no mesmo ponto.



Será que o dedo entrou pra protestar contra essa censura?

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Feliz aniversário, Axl!

Axl Rose chega hoje aos 50 anos.

  • Rock in Rio II (1991)


  • Rock in Rio III (2001)


  • Rock in Rio IV (2011)


    Parabéns!
  • sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

    Veja a estreia de Gotye na TV norte-americana (com a Kimbra)



    O Gotye estreou na TV dos EUA, no programa do Jimmy Kimmel, ao lado da Kimbra. Eu queria saber se essa plateia gritando ao fim de cada frase cantada em "Somebody That You Used to Know" foi algo natural ou se tinha um Roque lá, mandando fazer isso.

    quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

    Ouça a versão do Big Pink para "Somebody That I Used to Know", a música do Gotye



    Agora que "Somebody That I Used to Know", do Gotye, parece estar pegando mesmo (carreira lenta a dessa música, né?), o Big Pink fez uma versão da faixa, na BBC.

    E você sabe que o Gotye ama o Brasil? Tem alguns samples de músicas brasileiras no álbum dele, o Making Mirrors: de Bonfá a coisas mais bizarras. E, dizem, já amou carnalmente o Brasil também. Mas essa é história pro Ego.

    A Kimbra, que canta com o Gotye em "Somebody That I Used to Know", vai fazer a abertura dos shows dele nos Estados Unidos. O produtor Miami Nights 1984 fez um remix inspirado em John Hughes (?) para "Somebody That I Used to Know". Dá para ouvir aqui.