quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Visita do Guns N'Roses ao Brasil "será espiritual", diz guitarrista



O Guns N'Roses confirmou cinco shows no Brasil, em março de 2010, e eu conversei com o guitarrista Ron Bumblefoot Thal sobre as expectativas dele sobre essas apresentações. O que ele me disse foi:

"Tenho contato com os fãs de Guns N'Roses da América do Sul há alguns, e eles são os mais apaixonados e dedicados de todos. Mal posso esperar por esse encontro cara a cara, para mim será espeiritual. Espero que a plateia brasileira seja barulhenta, linda e divertida - sei que ela não vai me decepcionar! Vai ser foda..."


As datas dos shows estão aqui. A versão original deste texto foi publicada no site da Rolling Stone.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Quase de volta!

Se tudo der certo, o With Lasers volta amanhã. Em marcha lenta, mas volta!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Kid Cudi mostra parceria com MGMT na TV (veja!)

Kid Cudi foi ao programa do Conan O'Brien mostrar "Pursuit of Happiness", a parceria dele com o MGMT (ausente) e o Ratatat (presente), o terceiro single do disco Man on the Moon: The End of Day:



Acho essa música bem MGMT.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Ringo Starr apresenta nova parceria com Paul McCartney (veja! ouça!)

"Walk With You", primeiro single de Y Not, o novo trabalho de Ringo Starr, tem um baixista meio famoso no backing vocal:



Sim, é Paul McCartney. No álbum há mais uma música na qual a dupla toca, "Peace Dream". O disco sai em 12 de janeiro.

Britânicos finalmente acertam a mão com a série Misfits



O que é? Na série britânica Misfits, um grupo de delinquentes juvenis é condenado a prestar serviços comunitários. Durante um desses trabalhos, eles são atingidos por uma tempestade misteriosa que, como descobrimos aos poucos, dá poderes especiais a cada um deles. Como o coordenador da condicional se torna uma espécie de zumbi, os garotos – três rapazes e duas garotas - se vêem forçados a matá-lo, desenvolvendo uma trama paralela, na qual o desaparecimento dele é investigado pela polícia e pela "viúva".

Quem? O criador é Howard Overman, que escreveu roteiros para Spooks: Code 9 e Merlin. O elenco principal é formado por Robert Sheehan (que estará em Killing Bono, a ser lançado em 2010, um filme sobre amigos do U2 que tentam ser rockstars se espelhando no sucesso do grupo), Nathan Stewart-Jarrett (em seu primeiro papel como protagonista), Antonia Thomas (também novata), Lauren Socha (estrela do curta-metragem Scummy Man, baseado na música "When the Sun Goes Down", do Arctic Monkeys) e Iwan Rheon (estreante).

Onde e quando? Estreou em novembro, no canal pago britânico E4. Todos os seis episódios da primeira temporada já foram exibidos.

Vale a pena? Os britânicos finalmente acertaram a mão: uma boa série de ficção e aventura (com pitadas de comédia) que não cai nem para o lado infantil (como Doctor Who), nem para o drama piegas (Torchwood). Mais um gol: conseguiu se integrar com internet (com vídeos e Twitter) sem parecer forçado. Os seis episódios da temporada, número comum para a Inglaterra, deixaram uma saudável vontade de ver mais do programa.

Tem chance de vingar? O E4 já anunciou que haverá uma segunda temporada, também com seis capítulos, em 2010.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Julian Casablancas te deseja um feliz Natal (ouça!)



É o single "I Wish It Was Christmas Today". No site oficial dele tem a capinha, bem Frank Sinatra (ou Amaury Junior, você decide).

Última apresentação do Oasis está na internet (ouça!)



Já que Noel e Liam Gallagher não devem se apresentar juntos durante um bom tempo, o negócio é viveo do passado (e torcer para o grupo não continuar como Oasis 2.0, o que parece ser uma piada de mau gosto).

Então aqui está a última apresentação da banda, realizada em 22 de agosto, na Inglaterra, cortesia do Oasis News:

OUÇA AQUI

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Já viu a nova edição do Get Yer Ya-Ya's Out, dos Rolling Stones?

Ah, essas edições de luxo... Se liga na nova versão do ao vivo Get Yer Ya-Ya's Out, lançado pelos Rolling Stones em 1969:



Parece que em 2010 sai uma edição luxuosa de Exile on Main St., de 1972. Será que eles lançam "Claudine", finalmente?

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Madonna tem um distante passado roqueiro (ouça!)



No começo de carreira, por volta de 1981, Madonna gravou uma série de demos com uma banda de rock. Sem muito peso e bem oitentista, mas rock. Essas faixas, conhecidas como Gotham Demos, foram parar na internet este ano:

  • "Take Me (I Want You)"


  • "Love on the Run"


  • "Get Up"


  • "High Society"


    Não são músicas extremamente ruins, mas são facilmente esquecíveis.
  • terça-feira, 15 de dezembro de 2009

    Rihanna na GQ: sem palavras



    Eu uso muito essa história de "sem palavras" para colocar boas fotos aqui. Mas desta vez é verdade: olhe as fotos da Rihanna na GQ de janeiro.

    "[A sessão de fotos] foi bem sexy", diz Rihanna na entrevista. "Em um certo momento, [o presidente da gravadora Def Jam] L.A. Reid foi ao estúdio e disse: 'Rihanna, coloque uma merda de roupa!'"

    Mais fotos aqui.

    Lady Gaga: de artista simpática a estrela insuportável em seis meses (veja)



    Uma jornalista de Singapura teve a manha de comparar duas entrevistas que ela mesma fez com Lady Gaga, uma em junho (quando a cantora estava interessada em se promover a qualquer custo) e outra agora.

    O resultado deixou claro que a artista virou uma daquelas estrelas insuportáveis, que têm assessores para interromper entrevistas quando as perguntas não a agradam. Disseram tanto que ela é a nova Madonna que ela acabou acreditando.

    Hoje Lady Gaga é assim:

  • Não fala sobre relacionamentos, algo que ela mesma adorava tornar público;

  • Não quer saber de boatos, sendo que ela mesma plantou boa parte deles (ao estilo Michael Jackson de publicidade);

  • Sugere o que a jornalista deve perguntar;

  • Curte dizer que é "uma artista de verdade".


  • As outras partes da entrevista constrangedora (a repórter também não ajuda, é verdade) estão aqui: 2, 3, 4, 5 e 6.

    segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

    Courtney Love ressurge bonitona (juro!) na Dazed



    É claro: deve ser a vitória do photoshop. Mas surpreendemente a revista Dazed and Confused conseguiu deixar a Courtney Love bonita. Ela está na edição mais recente da publicação, em fotos ousadas.



    [via Grunge Report, que tem mais fotos]

    Guns N'Roses recomeça a turnê de Chinese Democracy na China



    Na última sexta (11) o Guns N'Roses voltou ao palco em Taipei, Taiwan, em mais uma parte da turnê do álbum Chinese Democracy.

    Além de incluir mais faixas do último disco no repertório - "If the World", "This I Love", "Schakler's Revenge" -, ainda houve espaço para uma versão de "My Genaration", do The Who, cantada pelo baixista Tommy Stinson.

    Axl Rose ainda brincou trocando o nome de "November Rain" para "December Rain". A turnê agora segue para Coreia do Sul, Japão, Canadá e, diz o site oficial da banda, América do Sul entre março e abril.


    sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

    Prepare-se: a família Jackson está de volta!



    A família Jackson, talvez a mais aproveitadora da história do showbiz, está de volta: no próximo domingo (13) estreia o reality show The Jacksons: A Family Dynasty. O programa estava em desenvolvimento, sem muito sucesso, desde bem antes da morte de Michael Jackson. "O Michael estava ocupado, mas ele se juntaria a nós mais tarde", disse Jermaine Jackson em uma entrevista ao Access Hollywood. "[Faturar dinheiro com a morte de Michael] não era o foco. Estávamos fazendo o programa antes."

    O programa mostra detalhes da vida (e das gravações de um novo álbum) de Jackie, Jermaine, Tito e Marlon - que planejam uma turnê para 2010. Randy, que tocava informalmente com o Jackson 5 e depois foi integrante do Jacksons, não está em Family Dinasty - pelo menos não como protagonista.

    Um Mano Brown sorridente no site da Rolling Stone

    Não vou nem comentar a capa incrível. Mas não dá para evitar este vídeo do making of das fotos de capa do Mano Brown na Rolling Stone. O cara está muito feliz:

    quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

    Atividade Paranormal e a fórmula das "imagens encontradas"



    Atividade Paranormal (Paranormal Activity) é um dos filmes mais bem sucedidos no gênero "câmera na mão" (ou "found footage", imagens encontradas depois que os câmeras desapareceram/morreram). É aquele papo repetido à exaustão: custou US$ 15 mil – sendo que originalmente foram US$ 11 mil, mas o Steven Spielberg sugeriu um final que levou mais US$ 4 mil – e faturou US$ 107 milhões.

    Mas antes do longa de Oren Peli, esse estilo já dava o que falar. Em 1980 o terror Holocausto Canibal deu o que falar. Era um documentário falso, sobre um grupo de cineastas que se embrenhava na Amazônia para registrar o comportamento de tribos indígenas – e acabavam, claro, assassinados de uma forma terrível.

    Quando o filme foi lançado, o diretor Ruggero Deodato fez um acordo com os atores: eles deveriam sumir durante um tempo, para que a história ficasse mais convincente. Deu certo, mas um pouco certo demais. Quando Deodato foi acusava de contribuir para o assassinato do elenco, não conseguia encontrar os atores para desmentir tudo e quase foi parar na cadeia.

    A próxima grande revolução veio com A Bruxa de Blair, de 1999. O orçamento de produção foi de aproximadamente US$ 30 mil (que, com mixagens de som e outros complementos, pode ter chegado a US$ 750 mil), com a história do grupo de jovens que tenta localizar uma lendária bruxa gerando uma divulgação boca-a-boca que arrecadou quase US$ 250 milhões.

    Em 2007 foi a vez do espanhol [REC], que mostra as gravações de uma repórter que, meio sem querer, acaba presa dentro de um prédio onde se inicia uma infestação de zumbis. O trabalho acabou refilmado nos EUA, como Quarentena. A continuação do original foi lançada este ano, com a terceira parte já em produção.

    Até o mestre do terror George A. Romero aderiu às câmeras de mão em Diário dos Mortos, trabalho no qual um blogueiro registra a movimentação em torno da invasão dos mortos-vivos.

    E aí chegamos ao maior blockbuster dos "found footage": Cloverfield – Monstro. Por encomenda de J.J. Abrams (Lost, Star Trek), o diretor Matt Reeves criou uma Nova York destruída por um monstro gigante, nos moldes do clássico Godzilla. E o registro da tragédia é feito por uma câmera amadora. A produção, entretanto, não teve nada de amadora: foram US$ 25 milhões e muitos efeitos especiais. Junto veio uma das mais eficientes campanhas de marketing viral de todos os tempos, que levantava conexões entre o filme a série Lost e especulações sobre a aparência do monstrengo.

    Ou seja, Atividade Paranormal – com o perdão do trocadilho – não é uma assombração que surgiu repentinamente.

    quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

    Preciosa deve ser o filme queridinho dos críticos para o Oscar



    É difícil que 2009 tenha produzido um filme com uma história mais deprimente - em Preciosa (título original: Precious: Based on the Novel 'Push' by Sapphire) a personagem central é uma adolescente obesa que tem dois filhos do próprio pai (um deles com Síndrome de Down). A mãe a agride frequentemente, fisicamente e psicologicamente. Expulsa da escola, ela acaba em um centro de educação alternativa. Até descobrir que tem um problema ainda maior, de saúde. A imaginação da menina, com sonhos de fama, sucesso e riqueza, é o que a salva - e também salva o espectador - durante os piores momentos.

    O filme de Lee Daniels (Matadores de Aluguel) tem participações de Lenny Kravitz e Mariah Carrey (surpreendentemente bem, no papel de uma assistente social), mas a estrela é a estreante Gabourey Sidibe. A garota, 26 anos, filha de um taxista com uma cantora, é aposta certeira para o Oscar.

    Agora ela está fazendo a ronda dos talkshows norte-americanos. Ontem foi a vez de Jay Leno recebê-la:




    Ela também já visitou a Oprah Winfrey (que é produtora de Preciosa e, pouca gente se lembra, foi indicada ao Oscar e ao Globo de Ouro por sua participação em A Cor Púrpura), a Ellen DeGeneres e o Conan O'Brien.

    A estreia brasileira de Preciosa está marcada para 29 de janeiro de 2010. O livro no qual o longa-metragem foi baseado, Push (de Saphire, lançado em 1996) ainda não tem edição nacional.

    A imagem do alto deste post é de um dos pôsteres do filme. Vale a pena ver os outros, todos muito bonitos.

    Revista Time soluciona o mistério do chiclete de Dave Grohl



    Você certamente já notou: Dave Grohl, do Foo Fighters/Them Crooked Vultures/Nirvana, está sempre mascando chiclete. Durante os shows, nas entrevistas... O tempo todo! E um fã finalmente fez a pergunta ao músico, em uma entrevista da revista Time:

    Qual tipo de chiclete você masca? Você faz isso o tempo todo; deve ser um chiclete incrível. (Brett Michael Schmitz / FOND DU LAC, WIS)

    Dave Grohl - Masco qualquer tipo. Preciso fazer isso quando tocamos ao vivo, senão a minha gritaria faz com que a garganta se seque. A última coisa que você quer é engasgar e tossir na frente de 20 mil pessoas.


    terça-feira, 8 de dezembro de 2009

    Michael Bay e Victoria's Secret - combinação improvável que funciona (veja!)



    E não é que funcionou essa junção entre o diretor Michael Bay (Transformers) e a marca de lingerie Victoria's Secret funcionou?

    É claro: quando você tem as modelos mais incríveis vestindo apenas calcinha e sutiã, é difícil errar... Mas mesmo assim ficou com um clima de blockbuster, né? A equação faz todo sentido: sexo + explosões = sex bomb.

    segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

    Atividade Paranormal tem campanha viral brasileira?

    O amigo Juliano Zappia mandou o link do vídeo, que de cara parecia ser uma dessas coisas de vergonha alheia na internet. Mas um dos comentários - "caraca, q parada sinistra aos 1:27" - me fez, claro, pular direto para essa marca. E a cortina ao fundo se move sozinha! (e caso você ache o rosto do vídeo familiar, talvez você seja indie demais...)



    Um viral brasileiro para Atividade Paranormal? Se for, eu curti. O filme de Oren Peli estrou por aqui na última sexta-feira. Leia aqui o que eu achei dele.

    Documentário mostra a glória do futebol norte-coreano em 1966



    Aproveitando que o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2010 colocou Brasil e Coreia do Norte na mesma chave, recomendo o documentário The Game of Their Lives (2002).

    O filme conta, pela primeira vez, a história completa do time norte-coreano que venceu a Itália em 1966 - e só foi parado por Portugal (sendo que os asiáticos chegaram a fazer 3 a zero, até perderem por 5 a 3), já nas quartas de final. Nunca mais se ouviu falar dos jogadores depois que eles voltaram para casa.

    O longa-metragem também marcou uma oportunidade histórica: raramente o governo local permite que equipes estrangeiras trabalhem dentro da Coreia do Norte.

    Os mesmo profissionais voltaram ao país em 2004 para filmar A State of Mind, sobre uma gigantesca competição de ginástica olímpica local.

    domingo, 6 de dezembro de 2009

    E a capa do último disco do Metallica parece uma...

    Em um dos extras do DVD Francais Pour Une Nuit, do Metallica, os integrantes da banda debatem observações dos fãs. Uma delas: a capa do disco Death Magnetic se parece com uma vagina?



    O mais legal é o pudor dos músicos. Só o Lars Ulrich foi direto e disse pussy.

    sábado, 5 de dezembro de 2009

    Chromeo prepara terceiro disco e lança "Night by Night" (veja!)

    Enquanto o Chromeo não coloca o terceiro disco nas lojas (ele só deve sair em 2010), o duo liberou um aperitivo: "Night by Night", que tem até clipe. É o Chromeo de sempre, ou seja, bom demais.

    Them Crooked Vultures visita Jonathan Ross (veja!)



    O Them Crooked Vultures foi ao programa do Jonathan Ross, na Inglaterra, para dar uma entrevista e tocar a música "Mind Eraser, No Chaser".

    É bem legal o vídeo. O Grohl lembra a performance histórica do Nirvana no mesmo programa, que era para ser de "Smells Like Teen Spirit", mas que acabou sendo de uma "Territorial Pissings" literalmente destruidora.

    sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

    E reunião do Beach Boys clássico? Deve rolar



    Outro dia o chapa Paulo Cavalcanti entrevistou o Mike Love, do Beach Boys, e o cara lançou: "Sim, já existem algumas negociações a respeito. O [canal de TV norte-americano] PBS já nos contatou para gravarmos um especial da série [de programas biográficos] American Masters. Pode ser que participemos de alguns shows em conjunto, mas não deve ser nada extenso, já que todos têm suas próprias bandas".

    Fiquei curioso e, depois da apresentação da banda em São Paulo, quarta passada, tive a chance de perguntar mais sobre ao assunto ao Bruce Johnston. "Não se preocupe - eu não estarei lá [nessa reunião]!", disse o brincalhão, que entrou para o grupo em 1965.

    Para ele (que hoje canta o vocal principal de "God Only Knows" nas apresentações do Beach Boys), esse reencontro com Brian Wilson e Al Jardine não deve ser nada demais. "A PBS é a rede de TV mais legal dos EUA. Aí nos chamaram para fazer o programa e, talvez, uma apresentação com orquestra no Great Performances. Não deve ser muito mais do que isso."

    Sem chances de uma turnê, então? "Escuta, não somos como o Eagles - que ficou 25 anos trancado de ponta-cabeça em um armário. Só neste ano fizemos mais de 100 shows. Então não conseguiríamos aumentar os preços das entradas dos shows", explicou, sem esconder que só dinheiro motivaria uma série grande de shows. "A molecada não liga [para a formação da banda]. Eles perguntariam: 'Quem é esse Al?'."

    Brian Wilson parou de trabalhar com o Beach Boys no meio dos anos 80. Al Jardine se desligou dos companheiros em 1998. Juntos, os dois fizeram uma série de apresentações em 2007 - sem Love e Johnston. Dois outros integrantes clássicos morreram: Carl Wilson foi vítima de um câncer no pulmão, no fim dos anos 90, e Dennis Wilson se afogou em 1983.

    A apresentação desta semana foi a primeira dos norte-americanos em solo brasileiro. "Viemos para a conferência do Rio, em 1992, mas não nos apresentamos. "Foi muito estranho. Ficamos esperando os grandes [astros], mas eles não vieram. E a gente pensava: 'onde está o George Harrison? E o Ringo Starr?'. Nada deles", lembrou. E completou com certa ironia: "Mas o John Denver estava lá..."

    Mesmo assim, o Brasil é presença constante na vida de Johnston. "Sabe o que eu escuto todos os dias? O álbum Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim. E é muito difícil de se encontrar, já vi gente vendendo ele por mais de US$ 200!"

    A apresentação de São Paulo, quem diria, foi bem competente. O público estava animado e não conseguiu ficar sentada nas cadeiras do Credicard Hall, especialmente durante os (muitos) clássicos apresentados na noite: de "Surfin' USA" a "Wouldn't It Be Nice", passando por "Kokomo" e até "California Dreamin'" (do the Mamas and the Papas, gravada pelo Beach Boys mais de uma vez. "Diga que o show só foi bom por causa do público", pediu Johnston. "Foi tudo por causa deles."

    O rock de Lil Wayne é meio estranho (ouça!)

    Faz tempo que o rapper Lil Wayne fala sobre Rebirth, um disco que - segundo ele - é mais de rock do que de hip-hop. Pois o single "On Fire" (produzido pela dupla Cool & Dre) foi lançado ontem:



    Fora as guitarras, não tem nada que seja muito rock. Tem uns teclados meio fim dos anos 70, começo dos anos 80, e um monte de beats. Os dois singles anteriores do trabalho, "Prom Queen" e "Hot Revolver" são mais fieis à proposta.

    Rebirth, que sai dia 21 de dezembro, tem participações de Pete Wentz (Fall Out Boy), Eminem e Lenny Kravitz.

    Em fevereiro Lil Wayne vai se apresentar à justiça norte-americana para ouvir a sentença relativa à prisão dele por porte ilegal de arma de fogo. Espera-se que ele fique até um ano na cadeia.

    quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

    Xuxa e Lulu Santos: mais estranhos que Michael Jackson

    Não sei nem o que dizer dessa parceria da Xuxa com o Lulu Santos. Então deixo cada um seu próprio pensamento:



    E nunca é demais lembrar que a imagem abaixo é a capa do novo disco da Xuxa. Depois o Michael Jackson que era creepy.

    De forma torta, Banda Black Rio está no Grammy



    Olha só: "Casa Bey", do Mos Def, foi indicada ao Grammy de performance solo de rap. A faixa sampleia, de forma bem destacada, a música "Casa Forte", de Edu Lobo, na versão da Banda Black Rio (de Maria Fumaça, 1977).

    Mas se o prêmio for para Mos Def, só ele leva o troféu.

    E a estreia solo do Nick Jonas? Até que...

    Nick Jonas, o mais jovem e talentoso dos Jonas Brothers, está prestes a lançar um disco solo. E ontem, durante a cerimônia que revelou os indicados ao Grammy, ele mostrou a canção "Who I Am":



    A faixa é creditada a Nick Jonas & the Administration - claramente uma referência aos grupos The Attractions e The Imposters, de Elvis Costello, ídolo do rapaz.

    "Who I Am" ainda tem certa histeria adolescente, mas mostra um caminho interessante a ser seguido por Nick. Os primeiros acordes me lembraram Bruce Springsteen, mas a impressão passou rapidamente.

    Os integrantes do Administration são: Michael Bland (bateria, que tocou com Prince entre 1989 e 1996), Tommy Barbarella (teclados, também ex-Prince), David Ryan Harris (guitarra, que já tocou com John Mayer) e Sonny T (baixo, mais uma das companheiras do "purple one").

    O disco Who I Am deve ser lançado em 2 de fevereiro de 2010.

    Ouça a versão do The Killers para "Hotel California", do Eagles



    E o Killers gravou uma versão latina para "Hotel California", sucesso do Eagles, para algum lance beneficente que, confesso, fiquei com preguiça de descobrir o que é. Coisa de satanista.

    Achei curioso porque acabei de falar do Eagles com o [name dropping] Bruce Johnston, do Beach Boys, alguns minutos atrás [/name dropping].

    quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

    O Clã ao vivo no Qualquer Coisa (veja!)

    Os portugueses d'O Clã foram até o estúdio do Qualquer Coisa (o programa que apresento semanalmente com o José Flávio Junior e o Max de Castro), na última segunda-feira, e mostraram versões acústicas de três faixas da banda. A Kátia Lessa estava lá e gravou duas delas em vídeo:





    Vale a pena escutar o programa inteiro, porque o Helder e a Manuela falaram várias coisas legais - e derrubaram alguns mitos sobre Portugal. Clique aqui.

    Nacho Vigalondo: um mestre da simplicidade complexa

    Conheci o diretor espanhol Nacho Vigalondo pelo longa-metragem de estreia dele, Los Cronocrímenes (2007). É uma história muito doida que envolve (muitas) viagens no tempo, com uma trama que se complica e se explica na mesma proporção.

    Esse filme vai ganhar um remake norte-americano, Timecrimes, que, dizem, pode ser dirigido por David Cronenberg.

    Em 2009, Vigalondo (que foi indicado ao Oscar em 2003, pelo curta-metragem 7:35 de la Mañana) lançou Marisa - um filme de pouco menos de quatro minutos que mostra a história de uma garota que muda de visual e personalidade dependendo do local onde ela está. Como toda mulher, basicamente.

    terça-feira, 1 de dezembro de 2009

    Vídeo mostraria Marilyn Monroe fumando maconha



    Uma amiga de Marilyn Monroe decidiu vender um vídeo no qual, segundo ela, a atriz está fumando maconha. A mulher, que não quis se identificar, disse que ela mesma preparou o baseado para Marilyn - e que a erva não fez muito efeito na loira. "Ela continuou igual, só mais risonha."

    O filme caseiro ficou quase meio século esquecido e agora será leiloado. Não custa lembrar que Marilyn Monroe talvez seja a primeira superestrela a ter uma sextape.

    Novo filme do diretor de Atividade Paranormal já tem distribuição garantida


    Depois de ver seu filme de estreia, Atividade Paranormal, faturar mais de US$ 100 milhões de dólares, o diretor Oren Peli tem mais um motivo para sorrir: o novo trabalho dele, Area 51, será distribuído pela Paramount.

    O longa já foi gravado - novamente em estilo "câmera na mão" e com atores desconhecidos - e deve ser lançado em 2010. Ele conta a história de jovens curiosos que tentam desvendar os mistério da Área 51, base militar norte-americana onde, acreditam muitos paranóicos, o governo esconde segredos relacionados a ETs. Area 51 custou cerca de US$ 5 milhões (uma fortuna, comparado aos US$ 15 mil de Atividade).

    Enquanto isso, Atividade Paranormal chega aos cinemas brasileiros na próxima sexta-feira. Nos EUA, o filme ganha edição em DVD e blu-ray em 29 de dezembro.

    Pete Doherty canta hino nazista (e alega ignorância)



    Pete Doherty fazia um daqueles shows caóticos dele (ou seja, um dia como qualquer outro...) durante o festival on3, em Munique, quando lançou os primeiros versos do hino nacional da Alemanha (no vídeo acima, a partir dos 2 minutos e 36 segundos) - sendo que esse trecho é associado aos nazistas, algo que o músico britânico alegou, mais tarde, não saber.

    A apresentação estava sendo transmitida ao vivo por uma rádio, que encerrou imediatamente o programa - e o show também foi interrompido, com Doherty sendo retirado do palco.



    Dá para acreditar que Pete Doherty não foi mal intencionado. O cara vive participando de shows contra o racismo, incluindo o Love Music Hate Racism, realizado no meio do ano, na Inglaterra.