sexta-feira, 31 de julho de 2009

Fear Itself renasce em DVD (com episódios inéditos)



Fear Itself durou pouco. Dá para etender o motivo: era mais uma daquelas séries tipo Masters of Horror, que pegava diretores que caíram no esquecimento (oi, John Landis!) e os colocava para fazer historinhas de terror.

No meio dos 13 episódios, alguns se salvavam. E agora todos eles chegam ao DVD (na gringa, pelo menos) com o reforço de cinco episódios nunca exibidos na televisão.

Os quatro discos ainda terão making ofs e, segundo o site Bloody Disgusting, alguns dos capítulos ganharão "versões do diretor". A embalagem (acima) é legal - mas o melhor é que o preço é honesto, pouco menos de US$ 30 (cerca de R$ 60).

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Observações sobre a tal "confirmação" de Paul McCartney no Brasil (atualizada)



O desconhecido site SongKick colocou supostas datas de Paul McCartney no Brasil em 2010 e todo mundo noticiou como verdade absoluta. O problema é que o tal endereço é daqueles editáveis por qualquer usuário, como a Wikipedia e a Last.FM. Ou seja, rende piadas como essa que você pode ver acima.

Por outro lado, a data de Brasília é um chute razoável - já foi dito que a cidade estava tentando levar o ex-beatle para lá nessa data, portanto não é impossível que isso acabe acontecendo. O show seria para comemorar o aniversário da cidade, então faz sentido que seja em 21 de abril.

havia uma notícia de que a Artplan estaria quase fechando a vinda de Macca. Perguntei à assessoria da empresa sobre essas supostas datas e eles me disseram que desconhecem o Song Kick e que não há nada confirmado.

ATUALIZAÇÃO: o site da Rolling Stone Brasil fez uma matéria sobre o assunto. Lá diz que o show de Brasília está, sim, em negociação - mas ainda não foi fechado.

Kiss sem maquiagem e sem Paul Stanley em 2009



O Kiss fez um show - de uma música só, "Deuce" - em uma das festas da Comic Con, com uma formação estranha. Paul Stanley não apareceu porque, dizem, era uma gravação do programa de TV do Gene Simmons. Mais uma: a banda tocou sem maquiagem.

Não sou historiador, mas nunca tinha ouvido falar de uma apresentação do grupo como trio. Completaram a formação: Tommy Thayer (guitarra) e Eric Singer (bateria). A última vez que o Kiss tocou sem maquiagem foi em 1995.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Lennon ereto e Madonna erótica: o mundo louco dos leilões



As coisas estão passando dos limites. Um site de leilões anunciou que vai tentar vender mensagens eróticas que a Madonna deixou na secretária eletrônica de um namorado (lance inicial: US$ 25 mil), nos anos 90. Além disso, ele promete uma série de cartas enviadas por fax (comçando em US$ 2 mil) e um vídeo "íntimo" (mas não de sexo, só imagens da cantora nos bastidores de um filme, começando em US$ 10 mil).

Aí você vai para outro site e descobre que também estão vendendo uma foto na qual John Lennon aparece nu. Você pensa: "normal, já vi na capa do disco Two Virgins". Mas não.

Uma observação do site explica melhor: "explícita demais para ser publicada". Antes, havia mais uma informação, agora retirada: "ele está excitado". Sim, alguém quer vender uma foto do John Lennon de pau duro.

Ah, sim: até agora não apareceram interessados nos objetos relacionados a Madonna.

Royal Pains mostra a vida médica dos ricos (atualizada)



O que é? Em Royal Pains um médico, depois de perder o emprego na cidade, tira uns dias de folga com o irmão nos Hamptons (uma região chique em Nova York). Lá ele conhece um sujeito estilo mafioso, que o coloca na posição de médico concierge (uma espécie de "doutor faz-tudo" para os ricos). Ao mesmo tempo, ele conhece uma bela médica local, que trabalha em uma clínica para os pobres da região. Logo ele está dividindo o tempo entre ganhar muita grana trabalhando para os endinheirados e ajudar os necessitados.

Quem? Mark Feuerstein (Good Morning, Miami) é o doutor Hank, apoiado por Paulo Costanzo (Joey), que faz o irmão Evan. A linda Jill Flint (Cadillac Records) é Jill, a médica boazinha.

Onde e quando? Estreou nos EUA em 4 de junho, no canal USA.

Vale a pena?
É uma série simpática, mas o drama não é intenso o suficiente, a comédia não tão engraçada quanto deveria ser a as investigações médicas são sem graça (em um episódio eles até furtam uma ideia de House, com um carrapato que causa sintomas estranhos em uma vítima).

Tem chance de vingar? Foram encomendados 11 episódios para a primeira temporada, mas a audiência tem sido tão boa que o programa não deve ter problemas para continuar. (ATUALIZAÇÃO: não teve mesmo - o USA já garantiu uma nova temporada de Royal Pains)

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Kevin Smith explica o vídeo novo de Lua Nova

Primeiro veja este trecho de Lua Nova, divulgado durante a Comic Con:



E aí veja a explicação do diretor Kevin Smith (O Balconista, Pagando Bem, Que Mal Tem?):



A conversa das meninas no primeiro vídeo é incrível, como coisas do tipo "meu Deus, isso vai ser incrível!". Mas o comentário de Smith resume bem a parte em que Jacob (o ator Taylor Lautner): "Mesmo vendo pelo YouTube você consegue sentir a sala ficando molhadinha..."

Pelo trecho também dá para perceber como os produtores de Lua Nova - muito espertos! - resolveram o problema de Edward (o personagem do galã Robert Pattinson) quase não aparecer no livro. Simples: se na versão impressa a Bella (Kristen Stewart) só escuta a voz do vampiro, na tela ela o vê!

Mais uma nova do Arctic Monkeys: "My Propeller" (ouça!)

Depois do clipe de "Crying Lightning", aqui está o áudio de "My Propeller", outra nova do Arctic Monkeys:


[O vídeo saiu do ar, mas dá para ouvir a música aqui]

O disco novo, Humbug, sai em 24 de agosto.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Documentário ajuda a entender a genialidade de Sacha Baron Cohen (veja!)



O canal britânico Channel 4 fez um documentário de 40 minutos, parte da série New Hero of Comedy, que disseca a carreira do ator Sacha Baron Choen, famoso pelos personagens Borat, Brüno e Ali G. Do começo como apresentar de programas adolescentes a fenômeno cultural, tudo é explicado e analisado por colegas de trabalho, outros comediantes e "vítimas".

Acima está a primeira parte. Ainda dá para ver outros trechos no YouTube: aqui, aqui e aqui. O resto você vai procurando nos vídeos relacionados, está tudo lá.

Esse documentário também mostra vários trechos clássicos dos personagens - Borat cantando a música que diz "jogue os judeus no poço" em um bar de caipiras norte-americanos é um dos pontos altos.

Fernanda Takai faz versões improváveis em CD ao vivo



O disco ao vivo Luz Negra, que Fernanda Takai acabou de lançar, tem ótimas surpresas. Em vez de se prender ao repertório de Onde Brilhem os Olhos Seus (ou seja, faixas gravadas por Nara Leão), ela inseriu versões para músicas de Michael Jackson ("Ben"), Eurythmics ("There Must Be an Angel [Playing with my Heart]") e - a melhor delas - Duran Duran, com "Ordinary World":

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Última participação de Michael Jackson no cinema não foi muito digna



Com a morte de Michael Jackson surgiram várias histórias: ele estaria pensando em um filme 3-D baseado em "Thriller", ele lançaria uma nova versão de Ghosts ou co-dirigiria um filme sobre a vida de um órfão. O quanto disso era real - e possível -, nunca saberemos. Por outro lado, uma coisa é certa: a última aventura do Rei do Pop na telona não foi muito digna:



O filme é Miss Cast Away (Missão Quase Impossível, no Brasil), uma comédia estilo Todo Mundo em Pânico estrelada por Eric Roberts e dirigida por Bryan Michael Stoller (que fez uma paródia do comercial de Jacko para a Pepsi, o que chamou a atenção do astro).

No making of, que está no YouTube, dá para ver que Jackson nem saiu de Neverland para gravar a participação especial:

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Nova cena de Thirst está na internet (veja!)



Uma cena de Thirst, o filme de vampiro do diretor Chan-Wook Park (Oldboy), está na internet. Nela o ator Song Kang-ho (O Hospedeiro) mostra a força e a habilidade dos sangue-sugas.



Antes o estúdio já havia liberado um teaser e um trailer. Thirst estreou em abril na Coréia e chega aos EUA em 31 de julho. O Brasil deve ver o longa nos cinemas a partir de 18 de setembro.

Vida de Bruce Lee deve virar série de filmes



Os irmãos de Bruce Lee autorizaram a produção de uma série de filmes sobre o lutador de kung fu. A responsável será a companhia chinesa J.A. Media, que ainda não anunciou quem interpretará Lee.

Sabe-se que esses longas devem ser focados mais na vida pessoal do astro - o mais famoso da China -, mas que também terão lutas. "Haverá kung fu", disse o produtor Manfred Wong. "Mas o mais importante é que queremos mostrar o verdadeiro Bruce Lee. Como ele era? Muito bem-humorado. Obediente aos pais. Muito gentil com a família."

Em 2008, devido aos Jogos Olímpicos da China, a rede de TV estatal CCTV fez uma série de 50 episódios que contava a vida do ator, The Legend of Bruce Lee. O YouTube tem várias cenas:



[Post originalmente publicado no Ásia Agora]

O filme maldito (e inédito) de Jerry Lewis

video

É incrível que - em tempos de internet - ainda existam raridades, filmes que ninguém consegue assistir. É o caso de The Day the Clown Cried (O Dia Em que o Palhaço Chorou), estrelado e dirigido (mas nunca lançado) por Jerry Lewis em 1972.

O Dia continua inédito por um motivo simples: o longa-metragem conta a história de um palhaço, interpretado por Lewis, que é designado pelos nazistas (na Segunda Guerra Mundial) para conduzir crianças à câmara de gás.

Jerry Lewis ainda tem esperança em ver o filme lançado, mas existe uma briga judicial com o parceiro dele no roteiro, Charles Denton, é contra.

Se não dá para baixar o filme todo, pelo menos a internet nos dá uma mãozinha para saciar a curiosidade:

  • O site Subterranean Cinema tem uma página dedicada ao longa, com imagens de bastidores e duas versões do roteiro;

  • A Spy Magazine fez, em 1992, um artigo com depoimentos de pessoas que viram uma versão não finalizada do filme;

  • O IMDb tem a ficha completa do trabalho.


  • A regra quando ao "vazamento" desse tipo de coisa é simples: se alguém tem uma cópia, logo vai parar na internet. O que quer dizer que a lenda de que só Lewis tem uma cópia do longa-metragem deve ser verdadeira.

    Veja o caso de Apocalypse Now, por exemplo. Durante anos os fãs babaram com boatos a respeito de uma versão de cinco horas e meia (!) do filme de Francis Ford Coppola... E agora tudo está a alguns cliques dos interessados.

    terça-feira, 21 de julho de 2009

    Michael Jackson: Joe Jackson explica tudo ao Larry King






    Nos vídeos acima você vê a íntegra da conversa de Joe Jackson, pai de Michael Jackson, com Larry King, na CNN, ontem. Os trechos principais:

  • Sobre como ele quer colocar os filhos de Jackson para fazer uma turnê como Jackson 3: "É tudo mentira!";

  • Larry King, em um ato falho, chamou o velório de "premiação";

  • Joe não viu o corpo de Michael, não sabe onde ele está e não tem os resultados da necropsia particular;

  • O patricarca colocou um representante para dar a entender que a AEG Live, empresa que promovia os shows de Londres, foi responsável pela morte do astro;

  • Ele batia em Michael? "Mentira. Por que eu bateria nele? Criei ele como você cria os seus filhos"; "Eu batia nele? Começaram a bater na época dos escravos, que eram torturados. Foi ali que isso começou. Mas, hey, tem muita gente nos EUA que batem nas crianças - e elas dizem que não, mentem". Boa resposta, Joe! Nega e depois diz que quem nega está mentindo!

  • Joe Jackson disse que não vai ficar chateado por estar fora do testamento. "Ele deixou para a mãe dele, que vai fazer com ele seja dividido de forma justa".
  • Single novo de Mika é ouro puro! (ouça!)



    É bom ver que alguns fênomenos pop têm talento de verdade, como parece ser o caso do Mika. O cantor acabou de lançar o single "We Are Golden" (o disco, de mesmo nome, sai em 21 de setembro).



    É uma mistura de Queen com Abba. Dá para imaginar essa música sendo cantada em Glee.

    segunda-feira, 20 de julho de 2009

    Além da Imaginação pode voltar à telona



    A Variety diz que a empresa de Leonardo DiCaprio, a Appian Way, vai fazer uma nova versão cinematográfica para a série de TV Além da Imaginação (originalmente exibida entre 1959 e 1964, com remakes em 1985 e 2002). O encarregado do roteiro seria Rand Ravich (Enigma do Espaço).

    Até aí, tudo bem. Mas a primeira versão cinematográfica da série, lançada no Brasil em 1983 como No Limite da Realidade, foi um marco trágico. Produzido por Steven Spielberg, o longa tinha quatro segmentos, cada um comandado por um diretor diferente - além do pai de ET, John Landis (Um Lobisomem Americano em Londres, também responsável pelos clipes de "Thriller" e "Black or White", de Michael Jackson), Joe Dante (Piranha, Gremlins) e George Miller (Mad Max, Happy Feet).

    Dá para ver o filme todo no YouTube, começando pela parte 1 (acima).

    O problema foi na parte de Landis. O "episódio" dele contava a história de um cara que é transportado para a Alemanha nazista e identificado como judeu. E depois para os EUA dos anos 50, sendo visto pela KKK como negro. E para o Vietnã, como vítima dos ianques. Em uma cena que tinha um helicóptero voando baixo, explosões causaram a queda do aparelho, que decapitou o protagonista Vic Morrow (pai de Jennifer Jason Leigh) e uma criança, ainda esmagando uma segunda atriz-mirim. O YouTube tem as cenas do desastre.

    Dizem que a culpa foi do diretor, que forçou o piloto a voar cada vez mais baixo. No julgamento que se seguiu ele foi inocentado, mas sua carreira no cinema entrou em decadência. Spielberg encerrou a amizade com Landis depois do acidente. Este site tem mais detalhes sobre o caso.

    Ouça "The Fixer", a nova música do Pearl Jam



    Estreou hoje nas rádios norte-americanas a faixa "The Fixer", single novo do Pearl Jam. A música faz parte do disco Backspacer, que será lançado em 20 de setembro.



    O MySpace do Ten Club, o fã-clube oficial da banda, também tem o streaming. O site GrungeReport tem o MP3.

    Essa é a segunda canção de Backspacer a ser mostrada ao público. A primeira foi "Got Some", tocada ao vivo no programa de David Letterman Conan O'Brien.

    Agora é LaToya quem se aproveita da morte de Michael Jackson

    Depois do pai Joe, agora é a irmã LaToya quem tenta se aproveitar da morte de Michael Jackson. Ela lançou a música "Home" em homenagem ao Rei do Pop:



    Emocionante, não? Só que a música foi gravada em 2002, para o disco Startin' Over (que até hoje está engavetado). Ela só reaproveitou o sentimento. Ela só parece querer se esquecer das declarações que fez nos anos 90, dizendo que acreditava que o irmão era pedófilo. Como essa:



    Por outro lado, é bom ressaltar que o lançamento da música talvez (talvez!) tenha sido planejado pela gravadora - sem que LaToya tenha aprovado. Difícil saber.

    quinta-feira, 16 de julho de 2009

    Show na laje? Chame o Paul McCartney! (veja!)



    Não era uma ocasião qualquer: Paul McCartney foi participar do Late Show de David Letterman pela primeira vez, no mesmo lugar onde os Beatles tocaram para Ed Sullivan em 1964, dando início à "invasão norte-americana" da banda. Então, além de dar uma entrevista, Sir Paul ainda fez um mini-show na marquise do prédio.

    Imagina se você está passando na rua, de bobeira, e cruza com o Macca tocando "Helter Skelter", "Band on the Run", "Get Back" e outras. Impagável.





    quarta-feira, 15 de julho de 2009

    Veja o vídeo de quando o cabelo de Michael Jackson pegou fogo



    A Us Weekly recuperou o vídeo de quando o cabelo de Michael Jackson pegou fogo, durante a gravação de um comercial da Pepsi nos anos 80. O mais impressionante é que o cantor parece não perceber que está em chamas e continua dançando.

    No final, dá para ver o buraco que a queimadura fez na cabeça de Jackson - o que supostamente o levou a usar perucas depois do incidente. O site da Rolling Stone gringa tem mais detalhes sobre o que aconteceu.

    Anna Friel está (parcialmente) nua na Vanity Fair



    Pushing Daisies pode não ter colado, mas Anna Friel continua sendo queridinha dos norte-americanos. Neste mês ela está na capa da Vanity Fair e, nas páginas internas, aparece bem à vontade.

    terça-feira, 14 de julho de 2009

    Vocalista do Strokes vai lançar disco solo

    Agora ficou explicada a demora do Strokes em começar a produzir um novo disco: Julian Casablancas, o vocalista, vai lançar um trabalho solo, Phrazes for the Young. No preview que ele colocou no site oficial dele não tem voz (mas termina com ele pegando o microfone):



    A produção é do Jason Lader (Rilo Kiley, Jenny Lewis) com o Mike Mogis (Bright Eyes), com visual do Warren Fu (que fez o clipe de "You Only Live Once", do Strokes).

    segunda-feira, 13 de julho de 2009

    Ainda dá para acreditar no Alice in Chains?

    A Looking In View - Music Video

    (A banda tirou o clipe do MySpace, mas ainda dá para ver no site oficial)

    O Alice in Chains voltou à estrada há algum tempo, mas agora a nova formação - com William DuVall no lugar do falecido Layne Staley - se prepara para lançar Black Gives Way to Blue, o primeiro trabalho de músicas inéditas desde 1995.

    A primeira amostra é "A Looking in View", que você pode ver/escutar acima. Mal dá para perceber que a banda tem um novo vocalista - mas será que isso é bom?

    O guitarrista Jerry Cantrell acha que não dá para competir com o passado, então eles nem tentam. Se o resto do disco for tão bom quanto essa música - tentando ou não - está ótimo.

    Black Gives Way to Blue sai em 29 de setembro.

    Soko & Marina Vello lançam single juntas (ouça!)



    A Marina anda cheia de parcerias. Outro dia eu coloquei aqui a música que ela fez com o Séverin, "Primeira Canção de Amor". Agora aqui está "Mum", faixa feita com a Soko, que sai em single no dia 27 de julho, em edição limitada.



    Rolou uma química - tanto que eu nem consigo dizer qual das duas está cantando em cada momento!

    Dá para comprar o compacto aqui. No lado B está uma versão instrumental da música, que foi produzida pelo Radioclit.

    Us Weekly diz que Michael Jackson não curtia o Justin Timberlake



    Começou a onda de "revelações" sobre Michael Jackson. A Us Weekly tem várias bombas - desde histórias sobre a relação do cantor com Debbie Rowe (a mãe de dois dos filhos dele) até uma suposta adoração que o Rei do Pop teria pelos nazistas. Mas a grande bomba é: Jacko não gostava de Justin Timberlake. Diz a publicação:

    "Apesar de Justin ter louvado Jackson como inspiração depois da morte, o afeto não era mútuo. Quando esteve em Nova York em 2001 para participar do show de Jackson, Timberlake o irritou ao 'transar aos gritos' com a então namorada no hotel onde todos estavam hospedados. 'O andar todo escutou eles!', disse uma fonte. Michael acabou mandando sua equipe de seguranças para acalmar o casal apaixonado. Para ajudar no ressentimento, o popstar mais velho rejeitou as canções que o produtor Pharell Williams havia feito para ele - só para vê-las mais tarde gravadas por Timberlake em seu primeiro disco solo, Justified."


    Aliás, a LaToya agora também acha que Michael foi assassinado. O pai deles, Joe, também acha. Será?

    Por falar em Joe, ele continua dando "boas" declarações. Recentemente perguntaram se é verdade que ele batia no Michael. A resposta: "Nunca bati nele. Eu o chicoteava com um cinto." OK, então!

    Paul McCartney "tatua" braço de fã nos EUA (veja!)



    Paul McCartney tocou em Halifax, no Canadá, e se surpreendeu com uma fã, que ergueu um cartaz pedindo para que o ex-beatle assinasse o braço dela (sendo que ela faria uma tatuagem por cima do autógrafo).

    Macca mandou a garota subir no palco e fez a tão desejada assinatura. Agora resta saber se a garota fez mesmo a tatuagem. Outras novidades: o repertório teve "Mull of Kintyre" (que ele sempre toca no Canadá, portanto não dá para saber se a música continuará sendo apresentada) e "Day Tripper" (que foi tocada ao vivo pela última vez no show dos Beatles no Candlestick Park, em 1966).

    Paul McCartney continua a viagem pelos EUA, no que ele mesmo está chamando de mini-turnê. Dizem que ele pode passar por aqui em 2010.

    domingo, 12 de julho de 2009

    "Namorada" de Michael Jackson fala do astro e de "Thriller"

    Ola Ray, que interpretou a namorada de Michael Jackson em "Thriller", deu uma entrevista ao The Insider e falou sobre o clipe e a morte do músico.



    Sim, a repórter perguntou se ela tinha transado com o Michael Jackson. E não, ela não transou.

    quinta-feira, 9 de julho de 2009

    Veja o teaser trailer do primeiro filme de Ricky Gervais e Stephen Merchant



    A dupla de comediantes britânicos Ricky Gervais e Stephen Merchant criou dois clássicos da comédia na TV: The Office e Extras. Agora eles se juntaram de novo para Cemetery Junction, um filme estrelado por Ralph Fiennes.

    O trabalho deve estrear em 2010, mas ganhou um teaser trailer no estilo "comédia de constrangimento" que os dois ajudaram a aprimorar:



    As filmagens começaram em junho deste ano, na Inglaterra. O Gervais está escrevendo sobre tudo o que rola por lá no blog dele.

    Esse vai ser o primeiro longo feito por Gervais com Merchant, mas sozinho o gordinho já escreveu e dirigiu The Invention of Lying, comédia que estreia nos EUA em 25 de setembro e tem o melhor elenco já visto em uma comédia: Tina Fey (30 Rock), Jonah Hill (Superbad - É Hoje), Jeffrey Tambor (Arrested Development), Christopher Guest (This is Spinal Tap), entre outros. Merchant participa só como ator.

    quarta-feira, 8 de julho de 2009

    Nova banda de Clarah Averbuck? Mais ou menos (ouça!)



    Um tempo atrás eu postei aqui a demo de uma música do Sunny Side Down, projeto da Clarah Averbuck com o Reginaldo Lincoln (do Vanguart). Agora eles mudaram o nome para oneyedcats e fizeram essa versão especial de "Bang Bang (My Baby Shot me Down)" (já gravada por Cher e Nancy Sinatra), gravada em casa durante uma noite divertida:



    E, já que estou aqui, vou liberar mais uma música:

    terça-feira, 7 de julho de 2009

    Família explora Paris Jackson no velório de Michael

    Michael Jackson passou os últimos anos protegendo os três filhos do imprensa. Na primeira chance que teve, a família Jackson colocou a menina Paris para falar na televisão, durante o velório/show ocorrido no Staples Center, em Los Angeles.

    segunda-feira, 6 de julho de 2009

    Ouça algumas das gravações mais antigas de Michael Jackson



    Antes das plásticas, dos escândalos e do reinado havia a música. Entre 1967 e 1968 (ou 1965-1969, dependendo de quem conta a história) o Jackson 5 gravou uma série de demos - músicas que os levariam ao contrato com a gravadora Motown. Elas nunca foram lançadas oficialmente, mas circulam em registros piratas.

    Uma dessas faixas é a clássica "My Girl":



    Outra tem o curioso nome "Michael the Lover":



    No dia 21 de julho chega às lojas (gringas, é claro) o disco triplo Hello World, que junta tudo o que Michael Jackson gravou em carreira solo pela Motown (ou seja, os discos Got to Be There, Ben, Music & Me, Forever, Michael e as sobras que a gravadora lançou na cola do sucesso de Off the Wall e Thriller, incluindo "Farewell My Summer Love", abaixo). A compilação estava pronta antes da morte do Rei do Pop.

    Veja o trailer de Giallo, novo de Dario Argento



    O mestre do suspense italiano está de volta: Dario Argento liberou o trailer de Giallo, seu novo trabalho.

    O nome do filme é uma referência ao estilo clássico de suspense que Argento ajudou a criar nos anos 70 (e também ao assassino da trama, conhecido como Yellow).

    Giallo participará de festivais a partir de agosto.

    sexta-feira, 3 de julho de 2009

    Nurse Jackie vai da comédia ao drama em 30 minutos



    O que é? A série Nurse Jackie acompanha a vida de Jackie, uma enfermeira viciada em analgésicos. Entre um atendimento e outro ela ainda aproveita para trair o marido com o responsável pelo estoque de remédios do hospital. A série tem momentos mais leves, geralmente estrelados pela estudante Zoey, mas também vai fundo na veia dramática.

    Quem? Jackie é interpretada por Edie Falco (Os Sopranos), que está perfeita no papel. Paul Schulze é Eddie (24 Horas, Os Sopranos), o amante. Peter Facinelli (o Carlisle, na série de filmes Crepúsculo) faz um médico meio estranho. Nurse Jackie foi criada por Evan Dunsky (roteirista de CSI), com a esposa dele Lix Brixius e Linda Wallem (que escreveu episódios de That 70s Show)

    Onde e quando? Estreou no Showtime norte-americano em 8 de junho.

    Vale a pena? Se você é fã de Os Sopranos, vale só para matar a saudade de Edie Falco. Além disso as histórias são boas, fugindo completamente do esquemão "drama de hospital".

    Tem chance de vingar? Inicialmente foram produzidos 12 episódios, mas como a série foi bem recebida pela crítica teve a melhor estreia da história do canal Showtime. Uma segunda temporada já foi encomendada.

    Slash recebe Ozzy, Fergie e Ron Wood no mesmo show (veja!)

    Slash está gravando um disco solo que deve ter muitas participações especiais - e o guitarrista adiantou algumas delas no festival Quart, na Noruega, no último dia 1.

    Teve o Ozzy Osbourne, cantando Black Sabbath:



    E também teve a Fergie, cantando Guns n'Roses. E não foi a primeira vez que eles tocaram "Sweet Child O'Mine" juntos:



    Ron Wood tocou guitarra em "Honky Tonk Women", dos Rolling Stones. Quando essa música saiu o Wood nem era da banda, mas tudo bem:

    quinta-feira, 2 de julho de 2009

    Seria "Hold My Hand" a última música de Michael Jackson? (ouça!)

    Segundo a Billboard, centenas de músicas inéditas de Michael Jackson podem ser lançadas nos próximos anos. Não é difícil de acreditar, já que uma simples busca no YouTube revela dezenas de canções que nunca ganharam versões oficiais. Exemplos: parcerias com Freddie Mercury, sobras de Bad e de Dangerous.

    Akon chegou a gravar várias coisas com Jackson, mas disse que as faixas nunca foram finalizadas. Will.i.am disse que gravou músicas bem dançantes com o astro. Dessa fase mais recente, só uma música completa chegou à internet. É "Hold My Hand", dueto de Michael Jackson com Akon, que foi parar na web em 2008:



    Para dezenas de gravações inéditas de Michael Jackson visite o blog Michael Jackson Beat. Dá para gastar horas e horas ouvindo músicas que nunca foram lançadas, desde os tempos de Jackson 5.

    Reverendo Al Sharpton dança em homenagem a Michael Jackson

    O Apollo, famosa casa negra de shows em Nova York, fez uma série de homenagens a Michael Jackson. Em uma delas o reverendo Al Sharpton dançou, tentando homenagear o estilo do Rei do Pop:



    Se durante os último anos de vida de Michael todo mundo riu dele, agora é hora dele rir de todo mundo. Em especial das pessoas que têm visto o rosto dele em nuvens ou em manchas de gordura.

    The Cleveland Show, "filhote" de Family Guy, está na internet



    O que é? Mais uma série animada de Seth MacFarlane. Aqui o personagem Cleveland, de Family Guy, vai morar em outra cidade e reencontra uma paixão da adolescência (divorciada e com dois filhos). Ele também faz novos amigos, como um urso que vive como gente, um caipira e um vizinho que paga de descolado (mas que ainda mora com a mãe).

    Quem? Além de desenvolver o programa, MacFarlane ainda dá voz a alguns personagens. Richard Appel (que escreveu alguns episódios de Os Simpsons) e Mike Henry (roteirista de Family Guy e dono da voz de Cleveland) são co-criadores.

    Onde e quando? Estreia na Fox norte-americana em 27 de setembro, mas o piloto já foi parar na internet.

    Vale a pena? Baseado no primeiro episódio, dá para dizer que é mais fraco do que Family Guy. Por outro lado, Family Guy é MUITO bom - então The Cleveland Show é, no mínimo, divertido.

    Tem chance de vingar? A Fox já encomendou duas temporadas, com um total de 35 episódios.

    quarta-feira, 1 de julho de 2009

    Prestes a cantar no Brasil, Mark Lanegan não tem saudade do grunge



    Daqui a pouco dois ícones dos anos 90 subirão no palco juntos, em São Paulo: Mark Lanegan (do Screaming Trees, e que também já emprestou seu talento ao Queens of the Stone Age) e Greg Dulli (Afghan Whigs e - é sempre bom lembrar! - integrante da Backbeat Band). Por aqui eles não vão usar o nome Gutter Twins, mas isso o próprio Lanegan explica na entrevista abaixo, feita pelo José Flávio Júnior, parceiro de Qualquer Coisa, que até conseguiu fazer o cara rir!

    Por que vocês decidiram parar de excursionar como The Gutter Twins e começar esse projeto An Evening with Mark Lanegan & Greg Dulli, com apenas um músico de apoio?

    Mark Lanegan - Porque durante um ano a gente tocou nos Estados Unidos e na Europa várias vezes com a banda completa. Daí a gente decidiu fazer uma coisa mais "pelada", que é esse show novo. E isso é tão excitante para a gente quanto o outro formato.

    Então isso não significa que Greg e você estão cansados do rock and roll?

    Não. A gente curte fazer as duas coisas. E o show acústico é mais desafiador, pois você não tem a banda barulhenta dando suporte. Por esse prisma, é bem satisfatório. Fica mais fora da sua zona de conforto.

    Você é amigo do Greg há quanto tempo?

    A gente se trombou pela primeira vez há vinte anos. Mas somos amigos de verdade há uns dez, onze anos.

    E como vocês decidiram montar o Gutter Twins?

    A gente já tinha tocado juntos. Eu tinha cantado no disco do Twilight Singers e feito shows com o grupo. O Greg tinha tocado teclado na minha banda solo e cantado em alguns discos meus. Então a gente decidiu compor umas músicas em parceria. E isso foi o começo de tudo.

    Você voltará a trabalhar com Josh Homme e o Queens of The Stone Age?

    Não sei. É uma possibilidade.

    E com a Isobel Campbell?

    Sim. Acabei de finalizar mais um disco com ela. Quer dizer, finalizei minha parte. Não sei quando ficará pronto ou quando será lançado.

    E sua carreira-solo propriamente dita? Depois de Bubblegum, você não lançou mais nenhum disco-solo.

    Não, mas desde aquela época eu trabalhei em seis álbuns. Estive bastante ocupado. Mas vou lançar um novo solo alguma hora.

    Existe alguma possibilidade do Screaming Trees se reunir?


    Creio que não. A banda durou 15 anos e isso é bastante tempo para se fazer coisas. Hoje os integrantes estão tocando trabalhos diferentes, que os satisfazem artisticamente e os deixam orgulhosos. Eu não mudaria nada do que fiz com o Screaming Trees. Mas aquilo tem o seu momento e lugar. Prefiro fazer algo novo.

    Pergunto isso porque o Alice in Chains está em turnê e dizem que o Soundgarden pode voltar. Mas você não se interessa por essa onda de revivals, certo?

    Nem um pouco. Legal que isso interesse para esses caras. São duas bandas maravilhosas e tenho certeza de que muita gente quer ouvi-las. Se eles estão animados com isso, beleza. Dou toda a força. Mas não tenho vontade de fazer o mesmo com o Screaming Trees.

    Você concorda que as coisas melhoraram para você após o fim do Screaming Trees?


    Bem, vamos dizer que estou feliz com o modo que tudo se encaminhou desde então. Não sei se as coisas melhoraram. É apenas uma nova fase, uma extensão natural de ser um músico e continuar a trabalhar.

    O que vocês tocarão no show do Bourbon Street?


    Algumas músicas do Gutter Twins, outras do Afghan Whigs, algumas do Twilight Singers, algumas da minha carreira solo, algumas do Screaming Trees e algumas covers. Ou seja, cobriremos tudo.

    Você nunca esteve no Brasil, então qual é a sua expectativa e o que você conhece do país?


    Eu conheço umas coisas da Tropicália. Mas espero ser educado quando estiver aí. Não sei direito o que esperar dessa visita.

    Uma vez eu li uma matéria em que o Nick Oliveri (ex-baixista do Queens of The Stone Age) analisava o seu humor. E, como todo mundo, ele retratava você como uma pessoa sombria. É isso mesmo? Você é assim?

    Sabe... O que é sombrio para uma pessoa pode ser suave para outra [risos]. É por aí. Eu sou apenas uma pessoa.

    Nessa matéria o Nick dizia que era muito difícil fazer você rir. Acabei de constatar que isso não é tão verdade.

    [Silêncio]

    Quero dizer, você pode ser uma pessoa alegre também, certo?

    Sim, eu posso.

    Você sente falta de alguma coisa daquela era grunge?

    Sinto falta de alguns amigos, que não estão mais entre nós. Mas, no quesito musical, não sinto falta de nada. De novo: aquela música tem o seu tempo e o seu lugar. Mas eu nunca penso nela, a não ser quando alguém me pergunta sobre. Prefiro ficar no "aqui e agora".

    Sempre que algum trabalho seu é analisado vem junto uma avaliação positiva da sua voz. Eu mesmo te considero um dos grandes cantores vivos. Como é que você lida com essa babação da crítica, sempre destacando o seu modo de cantar?

    Em primeiro lugar, eu não presto atenção no que os críticos dizem sobre o meu trabalho [risos]. É o tipo de coisa que não me interessa. Sei que há pessoas que admiram meu canto e isso é ótimo. Muito pior seria se não gostassem. Mas quanto ao que as pessoas escrevem sobre isso, realmente não presto atenção. E também não fico analisando muito. Só vou lá e canto. É uma coisa natural. E eu adoro cantar. Analisar isso é trabalho de outra pessoa. Não me preocupo nem um pouco.

    Você cuida da sua voz?

    Sim... Quer dizer, o que você está querendo dizer [risos]?

    Tipo se você tem algum cuidado em não beber ou não fumar para preservar a voz [risos]...

    Eu parei com essas duas coisas.

    Sério? Você está falando sério?

    Sim.

    Mas até nas suas fotos de divulgação você aparece fumando! Então isso é recente.

    Parei há quase um ano. Com a bebida eu parei há mais tempo.

    Caramba! Parabéns!

    Obrigado.

    Artistas como você e o Mike Patton têm uma rotina musical curiosa. Estão sempre tocando com vários projetos diferentes, sempre experimentando coisas novas com outros músicos. Você é feliz com esse tipo de vida artística? Foi isso o que você sempre procurou para a sua carreira?


    Não, isso foi algo que foi acontecendo. Tive a benção de ser requisitado para colaborar com muita gente. Mas deixa eu te dizer uma coisa: o Mike Patton faz um milhão de coisas a mais do que eu [risos]. Ele é extremamente prolífico. Eu o admiro muito. Ele está num álbum do Soulsavers que eu também estou e será lançado em agosto. Então ele pode botar mais essa colaboração no currículo.

    E ele tem uma gravadora, algo que você ainda não tem.


    [Risos] Sinceramente, não sei como ele consegue. Deve trabalhar 24 horas por dia a semana inteira. Mas eu curto essas colaborações. Elas me mantêm interessado em música.

    No momento você está ouvindo algum artista ou tipo de música em particular?

    Toda vez que alguém me pergunta isso me dá um branco total. Claro que estou ouvindo música no momento, mas não vou saber te dizer exatamente o quê. A não ser que eu estivesse com meu iPod aqui, o que não é o caso.

    Então você ouve música num iPod. Pensei que você fosse um daqueles fãs do vinil...

    Tenho alguns LPs, mas faz tempo que estou sem toca-discos. Acabei de falar para a minha namorada que eu ouviria mais música se tivesse um toca-discos outra vez. Mas eu escuto música no meu computador, infelizmente. Fui pego pela tecnologia do novo milênio [risos].

    U2 toca Michael Jackson em estreia de nova turnê (veja!)

    Bono fez citações a "Man in the Mirror" e "Don't Stop 'til You Get Enough" em "Angel of Harlem", tudo dedicado a Michael Jackson, durante o show de estreia da turnê 360°, em Barcelona, ontem.



    O repertório do show foi assim:

    "Breathe", "No Line On The Horizon", "Get On Your Boots", "Magnificent", "Beautiful Day", "I Still Haven't Found What I'm Looking For"/"Movin' On Up", "Angel Of Harlem"/"Man In The Mirror"/"Don't Stop 'Til You Get Enough", "In A Little While", "Unknown Caller", "The Unforgettable Fire", "City Of Blinding Lights", "Vertigo", "I'll Go Crazy If I Don't Go Crazy Tonight", "Sunday Bloody Sunday", "Pride (In The Name Of Love)", "MLK", "Walk On"/"You'll Never Walk Alone", "Where The Streets Have No Name", "One", "Ultra Violet (Light My Way)", "With Or Without You", "Moment of Surrender"

    Pai de Michael Jackson continua queimando o filme da família

    No post abaixo eu mencionei a tentativa de Joe, pai de Michael Jackson, de se aproveitar da morte do filho para divulgar a gravadora que ele abriu.

    Pois o revendo Al Sharpton e ele fizeram uma entrevista coletiva na porta da casa da família Jackson e, quando questionado sobre o incidente, o patriarca simplesmente voltou a fazer propaganda!

    View more news videos at: http://www.nbclosangeles.com/video.