domingo, 31 de maio de 2009

Primeiro trailer de Lua Nova está na internet (veja!)

O trailer de Lua Nova, a continuação de Crepúsculo, estreou no MTV Movie Awards e - claro - já está na internet:



Achei legal, mas lendo os livros eu tinha a impressão de que os lobisomens eram bem maiores - e mais assustadores. O filme estreia em 20 de novembro.

Por falar no Movie Awards, a Kristen Stewart venceu o prêmio de melhor atriz (e derrubou o troféu). Robert Pattinson foi o ator revelação (e também ganhou um prêmio pela luta com Cam Gigandet). O casal Kristen-Pattinson também foi premiado pelo beijo de Crepúsculo (o melhor filme do ano, segundo a audiência da MTV).

A lista completa dos vencedores - com vídeos - está no site da MTV gringa.

Eminem leva uma "bundada" na cara (veja!)

O MTV Movie Awards 2009 nem acabou ainda e já teve o melhor momento: Sacha Baron Cohen, na pele de Brüno, socando a bunda na cara do Eminem:



Foi combinado? O Eminem ficou puto de verdade?

sábado, 30 de maio de 2009

Pearl Jam lança música nova em single de "Natal" (ouça!)



É sempre Natal para o Pearl Jam - tanto que a banda só lançou agora, em maio, seu tradicional single natalino. São duas faixas, sendo que o lado A (o compacto é em vinil) é "Santa Cruz":



O lado B é uma versão diferente de "Golden State" (a original saiu no EP Golden State, em 2008), parceria de Eddie Vedder com Corin Tucker (Sleater Kinney). A faixa foi escrita por John Doe, do X.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Estúdio libera as primeiras imagens de Lua Nova (veja!)

Lua Nova, o segundo filme da saga Crepúsculo, ganhou um teaser trailer:



Rapidinho, mas outras cenas devem ser apresentadas no MTV Movie Awards de domingo, que a MTV Brasil vai transmitir a partir das 22 horas.

The-Dream lança clipe de "Walking on the Moon" (veja!)

"Walking on the Moon" é uma das melhores faixas do ótimo Love vs. Money, segundo disco do The-Dream (este cantor/compositor aqui). Tem participação especial do Kanye West e ganhou um clipe:

Klaus Voormann assume posição de sideman em CD cheio de estrelas



Ah, o sideman... Esse músico que ajuda o artista a brilhar, mas quase nunca tem o reconhecimento merecido. Foi assim com Billy Preston (nos Beatles), Mick Ronson (com David Bowie e - certamente - com Klaus Voormann.

Voormann foi amigo dos Beatles no auge da banda - ele fez a capa do Revolver e, mais tarde, do Anthology - e continuou tocando baixo com John Lennon, Ringo Starr e George Harrison (e Lou Reed, Carly Simon, James Taylor, Harry Nilsson...). Ele também integrou o Manfred Mann e produziu o hit "Da Da Da", do Trio.

Como presente de 70 anos, a esposa do artista sugeriu que ele viajasse pelo mundo gravando músicas com todos os amigos famosos. Nasceu aí o disco A Sideman's Journey (lançamento: 3 de julho), com participações de Yusuf Islam (ex-Cat Stevens), Ringo Starr, Paul McCartney, Dr John, Jim Keltner, Van Dyke Parks e vários outros.

O making of que está no YouTube é divertido:

Yoko Ono reforma a Plastic Ono Band e prepara disco novo



Yoko Ono montou uma nova versão da Plastic Ono Band, banda que dividia com o marido John Lennon nos anos 70, e já gravou um novo álbum, Between My Head and the Sky (a ser lançado em setembro deste ano).

Entre os novos integrantes da banda estão Sean Lennon, Yuka Honda (Cibo Matto), Keigo "Cornelius" Oyamada, Shahzad Ismaily, Erik Friedlander, Michael Leonhart, Daniel Carter e Indigo Street. É a primeira vez desde 1973 que Yoko retoma a Plastic Ono Band.

Em 9 de junho o grupo lança o EP Don't Stop Me!, uma prévia do novo CD. Ele sairá pelo selo Chimera Music, de Sean Lennon. No site oficial da empresa dá para ouvir um remix do Cornelius para "The Sun is Down".

A Plastic Ono Band tem duas apresentações marcadas para este ano: 6 de Junho (em Veneza, Itália) e 14 de junho no festival Meltdown (em Londres, com participações de Ornette Coleman (que tocou no primeiro disco do grupo, Yoko Ono/Plastic Ono Band, de 1970), Antony Hegarty e Mark Ronson).

Nos tempos áureas da formação clássica (Ono/Lennon/Klaus Voormann/Ringo Starr), era assim:

Marcelo Camelo, Anna Julia e Ivete Sangalo no Multishow

Já viu a chamada do especial Pode Entrar, da Ivete Sangalo, que tem participação do Marcelo Camelo? É engraçada: Ivete e Camelo são recebidos por uma funcionária da cantora, que não resiste e canta "Anna Julia". Impagável!



No especial Marcelo Camelo canta "Teus Olhos", composição dele, com a baiana:



Eu já achava legal quando o Los Hermanos tocava um trecho de "Flor do Reggae" nos shows, então essa parceria faz todo sentido.

Veja o clipe de "Pearl's Dream", o novo do Bat For Lashes

O Bat For Lashes lançou o clipe de "Pearl's Dream". Tem um clima de filme B de ficção científica:

Bat For Lashes - "Pearl's Dream"


O single da faixa será lançado - só no Reino Unido - em 22 de junho.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Remake de Melrose Place ganha teaser trailer

Depois da nova versão de Barrados no Baile, agora chamado 90210, o canal CW está preparando o remake de Melrose Place. Tem até um teaser trailer:



Mal posso esperar pelos remakes de Alf - O ETeimoso e Super Vicky.

Muda o beatle, muda tudo em "Get Back" (e outras)

Todo fã de Beatles adora imaginar como seriam as músicas clássicas do quarteto caso fossem cantadas por outros integrantes. E se "Yesterday" fosse gravada na voz de John Lennon? Ou "Revolution" com o George Harrison? "Something" com Paul McCartney?

Assim surgiram grandes lendas entre os colecionadores de material raro. Dizem que há uma versão alternativa de "I Want You (She's So Heavy)" (Abbey Road, 1969) com Macca cantando, mas não há registro oficial disso. Outra lenda: a versão demo de "Good Night" (The Beatles, 1968) com Lennon cantando, que dizem ter sido perdida.

Poucas músicas nos dão uma possibilidade concreta de explorar essa brincadeira. Uma delas é "Get Back" (Let It Be, 1970):

  • Com Paul


  • Com George


  • Com John


  • Todos os outros crossovers são menores:

  • George cantou "In My Life" (originalmente gravada na voz de Lennon) em 1974


  • Ringo se vingou por não ter tocado bateria no compacto de "Love Me Do" e a regravou em 1998


  • Paul homenageou John com um medley de "Strawberry Fields Forever", "Help" e "Give Peace a Chance"


  • Tem muito mais, mas é melhor parar por aqui senão eu fico escrevendo até amanhã.

    quarta-feira, 27 de maio de 2009

    Marina Vello volta mais roqueira do que nunca! (ouça e veja!)

    Os fãs de Bonde do Rolê podem se assustar um pouco: a ex-vocalista Marina Vello voltou à atividade com uma gritaria estilo Hole (mas como se fosse tocada pelo Nine Inch Nails). A faixa é "Baseball Bat", do Hervé:

    Baseball Bat - Herve feat. Marina Gasolina from Hervé on Vimeo.



    Ela tinha falado sobre essa música quando participou do podcast Qualquer Coisa, alguns meses atrás. Por enquanto ela segue gravando demos, em Londres, para o que deve vir a ser o primeiro disco solo dela.

    [via IM // UR]

    O curioso caso do Phish



    Engraçado - e curioso - como nestes tempos de brevidade, internet e músicas avulsas na web bandas como o Phish sobrevivam com centenas de milhares de fãs. E lançando músicas de trabalho de TREZE minutos, como "Time Turns Elastic" (lançada só na loja do iTunes como prévia do novo álbum, ainda sem nome, que deve sair em 28 de julho):



    Foi o primeiro lançamento da banda desde 2004. A produção é do Steve Lillywhite.

    "Stairway to Heaven": a evolução de um clássico do rock



    No começo do ano eu postei aqui as sessões de gravação completas do Kind of Blue, do Miles Davis. Naquele caso, mas músicas já estavam praticamente "nascidas", não houve uma grande evolução durante o processo.

    Agora cruzei com um disco chamada Stairway Sessions, que registra a evolução de "Stairway to Heaven", um dos maiores clássicos do rock'n'roll. Aqui os ensaios fizeram muita diferença, escuta só:









    terça-feira, 26 de maio de 2009

    Black Eyed Peas e a receita do hit requentado



    Apareceu mais uma nova do Black Eyed Peas. Acho que o grande talento da banda é fazer com que as músicas novas sempre te lembrem de algo que já está bem no fundo da sua memória. "Alive" me lembra algo Journey, com esse efeito do auto-tune que remete a praticamente todos os sucessos atuais - e até um toque de Daft Punk (bem de leve!).

    Quando a Fergie entra, aí vira auto-referência total. Ela canta daquele jeito Fergie, lembrando, entre outras coisas, "My Humps".



    O pessoal do Chromeo deve estar pensando: "Porra, como nós fazemos exatamente a mesma coisa e ninguém liga?"

    "Alive" estará em The E.N.D., disco que deve ser lançado mundialmente em 5 de junho. O trabalho já rendeu uma música de trabalho, "Boom Boom Pow". A próxima deve ser "I Gotta Feelin'".

    segunda-feira, 25 de maio de 2009

    Pôster da turnê sul-americana do Pearl Jam renasce (4 anos depois)



    Na época da primeira (e única) vinda do Pearl Jam à América do Sul, em 2005, rolou uma história não muito bem explicada sobre o pôster relativo à turnê: parece que alguém da banda não havia aprovado o conceito da arte, então ele não foi vendido.

    Agora, sem muito alarde, ele apareceu à venda na loja online do site oficial da banda. Ele mostra um porco imperialista se apoiando nos sul-americanos enquanto se alimenta do continente. Custa US$ 30 mais correio (aproximadamente US$ 11).

    Já que o assunto é Pearl Jam no Brasil, não custa relembrar um dos shows do Pacaembu:

    A triste volta de Jeff Buckley



    O Jeff Buckley é um daqueles artistas que você tira do baú quando precisa de uma boa música de sofrimento (ou de consolo). E agora ele volta com mais um lançamento póstumo: Grace Around the World, álbum que junta gravações ao vivo do único disco que o músico lançou, Grace. O repertório é esse:

    No CD:
    1. Grace (BBC Late Show, London, 17/01/95)
    2. So Real (Live Aus Dem Sudbahnhof tv, Frankfurt, Germany, 24/02/95)
    3. Mojo Pin (Live Aus Dem Sudbahnhof tv, Frankfurt, Germany, 24/02/95)
    4. What Will You Say (Live Aus Dem Sudbahnhof tv, Frankfurt, Germany, 24/02/95)
    5. Hallelujah (MTV Japan, 31/01/95)
    6. Dream Brother (Howlin Wolf, New Orleans, 2/12/94)
    7. Eternal Life (MTV's Most Wanted, London, 3/3/95)
    8. Last Goodbye (MTV's Most Wanted, London, 3/3/95)
    9. Lover You Should Have Come Over (JBTV Chicago, 08/11/94)
    10. Lilac Wine (MTV Europe, Eurokeenes Festival, Belfort, France, 9/07/95)
    11. Grace (MTV's 120 Minutes, USA, 15/01/95)
    12. So Real (MTV's 120 Minutes, USA, 15/01/95)

    No DVD
    Parte 1: (85 minutos e 47 segundos) - Faixas:
    1. Grace (BBC Late Show, London, 17/1/95)
    2. So Real (Live Aus Dem Sudbahnhof tv, Frankfurt, Germany, 24/2/95)
    3. Mojo Pin (Live Aus Dem Sudbahnhof tv, Frankfurt, Germany, 24/2/95)
    4. What Will You Say (Live Aus Dem Sudbahnhof tv, Frankfurt, Germany, 24/2/95)
    5. Hallelujah (MTV Japan, 31/1/95)
    6. Dream Brother (Howlin Wolf, New Orleans, 2/12/94)
    7. Eternal Life (MTV's Most Wanted, London, 3/3/95)
    8. Last Goodbye (MTV's Most Wanted, London, 3/3/95)
    9. Lover You Should Have Come Over (JBTV Chicago, 8/11/94)
    10. Lilac Wine (MTV Europe, Eurokeenes Festival, Belfort, France, 9/7/95)
    (todos os vídeos são inéditos, a não ser o número 9)

    Parte 2: Bônus (32 minutos e 28 segundos) - Faixas:
    1. Grace (MTV, 120 Minutes, New York, 15/1/95)
    2. So Real (MTV, 120 Minutes, New York, 15/1/95)
    3. Last Goodbye (MTV, 120 Minutes, New York, 15/1/95)
    4. Vancouver (MTV's Most Wanted, London, 3/3/95)
    5. Hallelujah (clipe dirigido por Ernie Fritz)
    6. "Star Tours" (VH1, matéria sobre os bastidores do Naked Cafe, 9/1/95)
    7. Entrevista no ônibus com Merri Cyr (Primavera de 1995)


    Não há "Corpus Christi Carol" (que não foi tocada na turnê), então colocaram "What Will You Say" no lugar. Na edição especial o pacote ainda tem um DVD do documentário Amazing Grace: Jeff Buckley, de 2004 (nunca antes lançado comercialmente - mas por enquanto alguém subiu no YouTube). O lançamento está marcado para 2 de junho.

    Minha canção preferida da época do Grace não entrou nesse pacote: é "Forget Her", uma música sobre um relacionamento que estava destinado ao fracasso. Ela ganhou até um clipe quando saiu a edição Legacy do Grace, em 2004.

    sexta-feira, 22 de maio de 2009

    Fox aposta em comédia musical - e acerta! - com Glee



    O que é? Glee mostra a vida de estudantes que fazem parte de um coral performático. A turma tem uma mudança de rumo quando o professor Will, que antes dava aulas de espanhol, assume a coordenação e obriga o bonitão (e popular) Finn a integrar o grupo. Além das histórias – que brincam com os estereótipos clássicos das escolas norte-americanas: os nerds, os esportistas, as cheerleaders – ainda há os números musicais do tal "glee club".

    Quem? Ryan Murphy (de Nip/Tuck e Popular) é um dos criadores. O professor é interpretado por Matthew Morrison, veterano da Broadway. Já foi noticiado que vários atores de teatro devem fazer participações especiais.

    Onde e quando? A Fox norte-americana estreou a série no dia 19 de maio, com o piloto. A estreia regular será em 9 de setembro.

    Vale a pena? Glee usa uma base estereotipada para criar situações absurdas e engraçadas, com um clima de feel good movie. Tem o bonzão popular que se descobre ao lado dos nerds, mas também tem o professor dedicado que sofre com uma esposa problemática e uma vida medíocre. E tem as músicas, claro: no piloto foram vistas performances incrivelmente cafonas – e boas, portanto – de "Rehab" (Amy Winehouse), "I Kissed a Girl" (Katy Perry), "You’re the One that I Want" (da trilha-sonora de Grease – Nos Tempos da Brilhantina) e "Don’t Stop Believing" (sim, a música do Journey!). É uma das melhores estréias da temporada.

    Tem chance de vingar? A Fox encomendou 13 episódios por enquanto. As críticas foram – em sua maioria – excelentes. A audiência foi boa, mesmo não tendo conseguir manter a média atingida pelo American Idol, exibido pela mesma emissora antes do programa.



    quinta-feira, 21 de maio de 2009

    Paula Lavigne, Cê e as "músicas malucas" de Caetano Veloso



    Entrevistei Caetano Veloso para a edição mais recente da Rolling Stone (Fernanda Machado na capa) e a íntegra já está no site da revista. Separei um trecho que achei curioso e bonito, no qual ele conta como foi a primeira vez em que a ex-esposa dele, Paula Lavigne, ouvi as músicas do disco (que são, em boa parte, sobre ela).

    A Paula também fala bastante de você. Ela também não tem pudores em falar do relacionamento de vocês, mesmo porque vocês continuam trabalhando juntos e continuam próximos. Quando você vai escrever letras pessoais, falando de assuntos muito íntimos, você tem a preocupação em saber se isso vai atingir a Paula? Vocês conversam sobre isso?

    As canções do ... foi assim: eu estava compondo essas canções e... hoje eu e Paulinha temos mais tranquilidade e maturidade para viver a separação do que quando era muito mais perto. Quando era muito recente a separação era muito mais difícil, não havia tranquilidade, nem paz afetiva e emocional pra se conversar sobre essas coisas. E eu tinha feito aquelas canções que eram urgentes para mim. Eu precisava fazer e ia gravá-las. E não estava em contato com ela, nem muito frequente, nem muito pacífico, nem muito tranqüilo. Mas tinha contato com ela porque não só a gente continuou trabalhando como temos os filhos, tínhamos que nos ver e nos falar. Teve um evento em Paris e, em seguida, um em Londres. E ela foi com os meninos, com o Zeca e o Tom. O Tom era bem menorzinho. Zeca também bem menor, naquela altura ele era um adolescente ainda pequeno. Mas o Tom adorava as canções novas e aprendeu todas, sabia cantar. A Paulinha foi com eles e nós nos encontramos lá. Era um negócio na Cinemateca Francesa, uma retrospectiva do Almodóvar. Eles me pediram pra fazer um show só de violão referente aos filmes de Pedro. E eu fiz, e foi muito bonito e tal. Daí em Londres ela levou os meninos e ficou no hotel com os meninos. Eu fiquei no mesmo hotel em outro quarto, e a gente se via, eu mostrava aos meninos as coisas na rua e tal. E aí uma noite ela perguntou sobre as canções do disco e o Tom na verdade ficou falando. Terminou com o Tom cantando pra ela cada uma das canções que eram pra ela - e o Tom sabia e queria contar a ela. Ele foi mostrando na minha presença, cantando e pedindo pra eu tocar pra acompanhar, e eu encorajando ele a cantar e foi uma maneira bonita... Aconteceu espontâneo do Tom querer cantar, ele era bem pequeno. Ela ouviu as canções assim. Ela não gosta muito de reagir emocionalmente a canções, e nem de ligar canções a fatos da vida real. Nunca gostou, desde sempre. Mesmo as outras canções que não são minhas, entende? Porque é muito frequente: não tenho um amigo que não ligue canções a estados emocionais próprios, ou a situações afetivas. Paulinha não faz isso, é curioso. Quando uma canção é assim explicitamente feita pra ela, como "Branquinha", ou "Não Me Arrependo", ela desbaratina, não demonstra emoção alguma e faz brincadeira dizendo "ah, mas 'Branquinha', essa musiquinha... canção bonita você fez foi pra Sônia Braga e pra Dedé, e pra Vera Gata, pra Regina Cazé, mas pra mim você faz uma musiquinha". Acho "Branquinha" deslumbrante. Mesmo o "Não Me Arrependo" - que é uma música que eu fico emocionado quando canto. Fiquei com uma vontade louca de chorar quando o Tom estava cantando pra ela, mas ela não demonstrou. Falou que era bonita, gostou, mas criticamente ela disse: "ai, Tom, você gosta dessas músicas malucas do seu pai?" [risos]. E não teve nada.


    O resto está aqui. Também recomendo a entrevista feita pelo companheiro de Qualquer Coisa José Flávio Júnior, aqui. O Ronaldo Evangelista tem uma outra, que deve entrar no blog dele no fim de semana.

    [Foto: Fernando Young]

    quarta-feira, 20 de maio de 2009

    David Bowie canta Beatles (e John Lennon)



    Alguém reuniu as versões que David Bowie fez para canções dos Beatles e de John Lennon em um volume pirata chamado Bowie Sings Beatles. São as cinco faixas que você escuta abaixo:

    "Mother" (John Lennon/Plastic Ono Band, 1970). Não é ruim, mas essa música é tão pessoal que fica estranho ouvir outra pessoa cantando.


    "Across the Universe" (da compilação No One's Gonna Change Our World, 1969)


    "Working Class Hero" (John Lennon/Plastic Ono Band, 1970). Essa é mais pesada que a original - e soa mais Bowie.


    "Imagine" (Imagine, 1971). Essa não precisava.


    "Penny Lane" (do compacto lançado pelos Beatles em 1967). Essa é a mais fiel.


    Só se esqueceram de "Try Some, Buy Some" (Living in the Material World, 1973 - também gravada por Ronnie Spector em 1971), do George Harrison, e "Fame", escrita por Bowie em parceria com John Lennon em 1974 e lançada no álbum Young Americans, no ano seguinte.

    terça-feira, 19 de maio de 2009

    Bettye LaVette une soul e rock em show emocionante



    Talento nunca faltou a Bettye LaVette. O que a cantora norte-americana teve durante décadas é azar mesmo. E durante a apresentação dela no Bridgestone Music Festival, no sábado passado, só não saiu emocionado que tem coração de pedra.

    A noite foi aberta com um instrumental da banda de apoio - bateria, baixo, guitarra e teclados -, seguido por uma entrada matadora com "The Stealer" (do Free) - uma boa metáfora para a noite em que Bettye "roubou" a cena.

    Alternando entre números rápidos e baladas de despedaçar corações, a norte-americana dançou, conversou com o público e até teve de limpar as lágrimas no final de "Your Turn to Cry", balada na qual relata o fim de relacionamento. Em "Souvenirs", outro lamento, ela se sentou no chão no que chamou de "momento idoso" do show. Olha só:

    "Souvenirs", by Betty LaVette @ Bridgestone Music Festival '09 from With Lasers on Vimeo.



    Bettye é uma cantora de soul. Mas dentro desse gênero, ela transita com agressividade entre o blues e o rock (herança do Drive-By Truckers, banda de southern rock que produziu o disco The Scene of the Crime, que a tirou do esquecimento). Talvez por isso tenha sido convidada a cantar "Love Reign O'er Me", do The Who, em uma homenagem recente à banda.

    Agora pense em um detalhe: Bettye LaVette grava desde 1962, quando lançou "My Man - He's a Loving Man" (presente no repertório). Nesses quase 50 anos, ela teve alguns poucos semi-hits, sendo o mais conhecido "Let Me Down Easy" - que ela não cantou em São Paulo. "Demorei a emplacar porque não quis ceder", disse ela em certo momento. Demorou, mas valeu cada minuto da espera.

    Michael Jackson: a escolha dos dançarinos e os ensaios

    Depois dos detalhes publicados pelo Los Angeles Times sobre os ensaios para os 50 shows de Michael Jackson na O2 Arena, em Londres, agora apareceu um vídeo sobre a escolha dos dançarinos para as apresentações.



    A galera dança bem... Mas será que o Michael ainda dança? Como lembrou um dos coordenadores: "Tudo é maior e mais intenso no mundo dele". A This Is It! Tour começa dia 8 de julho.

    Elvis Costello toca Velvet Underground na televisão (veja!)

    As versões em vinil e japonesa do disco Secret, Profane & Sugarcane - o álbum de country e bluegrass de Elvis Costello - têm uma versão para "Femme Fatale", do Velvet Underground. Costello mostrou a faixa no programa que apresenta na TV norte-americana, o Spectacle:



    Quando o Lou Reed foi ao programa, eles tocaram "Set the Twilight Reeling" e "Perfect Day" juntos:




    Voltando ao Elvis Costello, o disco novo dele tem uma capa bem curiosa.



    Fiquei curioso e procurei o ilustrador Tony Millionaire, autor do desenho, para saber mais detalhes. Ele me disse: "Cada imagem representa uma das canções do disco. Trabalhei nelas com o Elvis nelas."

    segunda-feira, 18 de maio de 2009

    Ouça "Blue Lips", música nova de Regina Spektor



    Regina Spektor lança disco novo, Fair, em 23 de junho. O site Stereogum disponibilizou a faixa "Blue Lips", que foi produzida por Jeff Lynne (Beatles, Ringo Starr, Joe Cocker):



    O disco tem outros produtores também: Jacknife Lee (R.E.M., U2, Weezer), David Kahne (Paul McCartney, Strokes, Tony Bennett), Mike Elizondo (50 Cent, Rilo Kiley, Eminem) e a própria Regina.

    Outra nova do Black Eyed Peas chega à internet

    Depois da "autotunada" "Boom Boom Pow", o Black Eyed Peas liberou um trecho de "Imma Be", faixa de The E.N.D. (disco que sai em 10 de junho).



    Parece mais o som do Black Eyed Peas nos últimos anos.

    Jonasmania chega à América do Sul: parada 1 - Peru

    O Jonas Brothers já está na América do Sul. A turnê mundial dos irmãos começa hoje no Peru, e os três irmãos (mais a convidada Demi Lovato, que faz a abertura) deram uma entrevista coletiva em Lima. Aqui estão as duas partes (que não são o evento completo):




    Confesso que vi os 16 minutos da entrevista e não achei nada que seja minimamente interessante. Mas dá uma olhada nas fãs que estão na porta do hotel:

    Veja imagens da reunião do Libertines em Londres

    No sábado eu postei no Twitter do With Lasers que o Libertines havia se reunido durante um show do Babyshambles, mas agora apareceram os vídeos do encontro:





    O site da NME tem as outras músicas. Foi a primeira reunião da banda desde 2004 (mas desta vez não teve o baixista John Hassall, trocado por Drew McConnell, do Bayshambles).

    E siga o Twitter do With Lasers aqui. Lá eu dou link para as notícias mais quentes.

    Bettye LaVette e o encontro com Michelle Obama



    Depois de um show de tirar o fôlego dentro do Bridgestone Music, no sábado passado, em São Paulo, a cantora norte-americana Bettye LaVette contou a fãs sobre seu encontro com Michelle na posse do marido dela, Barack Obama, presidente dos Estados Unidos:

    "Os dois chegam assim até você [mostra que o casal se aproxima bem de quem vai cumprimentar e segura a pessoa pelos ombros]. Então eu a segurei pelos braços e disse: 'Você sabe que eu sei...'. E ela respondeu: 'Eu sei que você sabe'. E eu: 'Eu sei que você sabe que eu sei!'. Fiquei tentando pensar em profundo, de significado, para dizer a ela mas só saiu isso mesmo!"




    Depois vou escrever mais - e postar um vídeo - do show da Bettye em São Paulo.

    sexta-feira, 15 de maio de 2009

    Weezer troca de formação e toca Lady GaGa e MGMT

    O primeiro show da volta do Blink-182 teve uma surpresa ainda maior: o Weezer estreou uma nova formção - com o baterista Pat Wilson assumindo uma terceira guitarra e Josh Freese na bateria - e apresentou covers de "Poker Face" (Lady GaGa) e "Kids" (do MGMT).



    O Marcelo Camelo disse que queria fazer com o Los Hermanos - mas o Weezer foi lá e fez!

    Site do Coldplay não aguenta distribuição de disco gratuito



    Depois de distribuir o disquinho ao vivo Left Right Left Right Left de graça em shows, o Coldplay resolveu liberá-lo para todo mundo na internet... Só que o site da banda não aguentou os acessos e saiu do ar ontem.

    Hoje ainda é difícil conseguir abrir a página específica para o download. Mas tudo bem, porque o álbum já está em praticamente todos os sites de torrent mais populares. Dúvida técnica: nesse caso é pirataria também?

    Paul Banks (do Interpol) é... Julian Plenti (ouça!)



    A gravadora Matador liberou o MP3 de "Fun That We Have", música de Julian Plenti Is... Skyscraper, álbum solo de Paul Banks. O vocalista/guitarrista do Interpol assina esse trabalho como Julian Plenti.



    O YouTube tem mais três músicas que supostamente são de Plenti/Banks:







    Essa última, "Cellophane", é meio Neil Young. Parece que essas do YouTube não são versões finais, o que explicaria a diferença gritante entre elas - acústicas, calminhas - e a faixa divulgada pela Matador (mais eletrônica, com guitarras - "Nine Inch Nails light", segundo a Rolling Stone norte-americana).

    quinta-feira, 14 de maio de 2009

    In Touch e a criação de notícias sobre Brad Pitt e Angelina Jolie

    A Us Weekly decidiu partir pro ataque e detonar a concorrente In Touch: publicou todas as matérias de capa envolvendo o casal Angelina Jolie e Brad Pitt que estavam completamente erradas. Não foram poucas:



    Se você der um Google, provavelmente vai achar citações a essas matérias no jornalismo brasileiro. É curioso como até os grandes jornais e portais - Folha, G1, Terra, UOL - sempre publicam coisas desse tipo dando crédito para os gringos.

    E não só na fofoca: me lembro de uma notícia que pipocou por aqui, dizendo que a gravadora tinha amado as novas músicas da Amy Winehouse. Meses depois, os mesmos meios de comunicação republicaram uma nota dizendo que a gravadora não havia aprovado as novas canções de Amy. Esse é o novo-novo-jornalismo?

    terça-feira, 12 de maio de 2009

    Shows de Michael Jackson começam a tomar forma



    Mesmo com as ações legais tentando barrar os 50 shows de Michael Jackson na Inglaterra, as apresentações já começaram a tomar forma. O jornal Los Angeles Times descobriu que o astro já tem ensaiado em sessões de seis horas, entre outros detalhes. Os melhores são:

  • Dez dançarinos participam dos ensaios. São oito homens e duas mulheres, selecionados entre 700 concorrentes;

  • O palco pode ter até 22 cenários diferentes. Segundo a empresa que organiza as apresentações, deve ser o mais caro da história;

  • Kenny Ortega, de High School Musical e Dirty Dancing, é o coreógrafo da turnê;

  • Jacko está trabalhando com Ortega e pretende desenvolver um novo passo que seja tão marcante quanto o moonwalk;

  • Não haverá animais no palco (fora o Michael, claro);

  • Cada noite terá entre 18 e 22 músicas.

    A primeira das apresentações está marcada para 8 de Julho, na O2 Arena, em Londres. Boatos já dizem que novos shows podem ser marcados para Berlim e uma cidade norte-americana (Nova York, Los Angeles ou Las Vegas).
  • Remake de Cupid deve ter o mesmo destino da série original



    O que é? Cupid é um remake da série de mesmo nome, que foi lançada em 1998. Na época o programa até agradou à crítica, mas foi mal de audiência. A trama segue a vida de Claire McCrae, uma psiquiatra que cuida de um caso peculiar: um de seus pacientes acredita ser o Cupido, deus do amor. Mais do que isso, ele acha que precisa juntar 100 casais para poder voltar ao Monte Olimpo.

    Quem? O criador da série é Rob Thomas (Veronica Mars, Party Down, 90210). Os protagonistas são Sarah Paulson (de Studio 60 on the Sunset Strip, como a médica) e Bobby Cannavale (Third Watch, fazendo o Cupido).

    Onde e quando? Estreou na ABC norte-americana em 31 de março. Já teve cinco episódios exibidos (de um total de sete produzidos).

    Vale a pena? É uma série que segue fórmula - a cada episódio o suposto Cupido tenta unir um casal diferente. Às vezes é divertido, às vezes não.

    Tem chance de vingar? A estreia decepcionou na audiência. A ABC ainda não deu a palavra final, mas Cupid tem poucas chances de sobreviver.

    Julian, Sean... Acha os filhos ruins? Ouça o pai de John Lennon!



    Alfred Lennon nunca teve contato com o filho, John. Mas no auge da beatlemania, em 1965, decidiu que também merecia um pouco do sucesso e lançou o compacto That's My Life, com "The Next Time You Feel Important" no lado B.





    Em entrevista à revista Playboy norte-americana, em 1980, John Lennon disse isto sobre o pai:

    "Não o vi novamente até que ganhei muita grana e ele voltou. (...) Eu tinha 24 ou 25 anos. Abri o Daily Express e ele estava lá, lavando pratos em um pequeno hotel ou algo assim, bem perto de onde eu morava. Ele tinha escrito para mim, tentado entrar em contato. Eu não queria me encontrar com ele. Eu estava puto com o que ele havia feito comigo e com a minha mãe e com o fato dele reaparecer quando eu já era rico e famoso, mas não antes disso. Então eu não queria vê-lo, mas ele me chantageou na imprensa dizendo que era um pobre lavador de pratos enquanto eu vivia no luxo. Caí nessa, me encontrei com ele e retomamos o contato. Ele morreu alguns anos depois, de câncer. Mas aos 65 anos ele se casou com uma secretária de 22 anos que havia trabalhado para os Beatles e eles tiveram um filho - o que achei esperançoso para um homem que viveu a vida dele bêbado e quase mendigo."

    Este link tem o release de imprensa usado para promover o compacto na época. Trecho: "Ele ficou navegando por 25 anos e conheceu o mundo. Freddie sempre se relacionou com entretenimento nos navios e atuou como mestre de cerimônias, produziu muitos shows, cantou em casas noturnas de Nova York e até conduziu uma orquestra em Lisboa." Tudo mentira, claro.

    segunda-feira, 11 de maio de 2009

    Dead Weather divulga a capa do disco de estreia



    Horehound, disco de estreia do The Dead Weather (a banda mais recente de Jack White), ganhou capa. É essa imagem acima.

    O lançamento do álbum está marcado para 14 de julho nos EUA (e um dia antes na Europa). Em junho a banda começa uma turnê que deve seguir até outubro.

    A banda mais antiga de White, o White Stripes, já está fazendo um disco novo. Segundo o guitarrista, duas canções já foram gravadas. O trabalho deve ser lançado só em 2010.



    domingo, 10 de maio de 2009

    Dupla de "Dick in a Box" retoma a parceria em "Mother Lover"

    Andy Samberg e Justin Timberlake, que juntos fizeram o já clássico clipe de "Dick in a Box", voltaram a se reunir para comemorar o Dia das Mães:

    sábado, 9 de maio de 2009

    Finalmente! Woody Allen libera trailer de filme que tem Larry David

    O trailer de Whatever Works, filme de Woody Allen que tem como protagonista Larry David (co-criador de Seinfeld e estrela de Curb Your Enthusiasm), está entre nós:



    Larry David e Woody Allen são praticamente a mesma pessoa. E o cineasta já havia sido assunto de um episódio de Seinfeld, "The Alternate Side", da terceira temporada.

    A estreia está marcada para 19 de junho, nos EUA. Além de David estão no longa-metragem Ed Begley Jr., Patricia Clarkson, Conleth Hill, Michael McKean, Henry Cavill e Evan Rachel Wood.

    Curb Your Enthusiasm
    deve voltar para uma sétima temporada ainda em 2009. Boatos dizem que o elenco de Seinfeld se reunirá em alguns dos episódios.

    sexta-feira, 8 de maio de 2009

    Spock vs Spock: Leonardo Nimoy encontra Zachary Quinto

    A Newsweek colocou Leonardo Nimoy e Zachary Quinto cara a cara para falar sobre Spock, personagem que ambos interpretaram no novo Star Trek (que estreia no Brasil hoje). É uma conversa interessante, mesmo quando eles começam a falar sobre as próteses de orelha.



    A parte final, quando eles começam a insinuar que os trekkers são, digamos, abusados (para não dizer malucos obsessivos). E o Quinto não teve de colar os dedos para fazer a saudação vulcana.

    Podcast Qualquer Coisa #50: o último

    Aqui está o podcast Qualquer Coisa número 50. Com ele entramos em recesso por tempo indeterminado (a explicação completa está no fim do programa).


    ASSINE  Coloque no seu site

    Baixe o MP3. Ouça as edições anteriores. Fale conosco no podcastqualquercoisa@gmail.com.

    Aproveito para recomendar as minhas edições preferidas:

  • #4, com Ivan Finotti (da "Ilustrada", na Folha de S.Paulo);

  • #13, com Thiago Ney (também da Folha);

  • #13, com a Mariá Portugal;

  • #19, com Gustavo Martins (antes do Jô!);

  • #24, especial gravado na praia com Artur Louback e Bruno Dias;

  • #28, com Mallu Magalhães (conversando e tocando);

  • #34, com Kassin, Nina Becker, Fredi Chernobyl e Pedro Sá;

  • #36, com Juliano Zappia e Marina Vello;

  • #37, com Joana C4;

  • #44, com Rafael Cortez (do CQC);

  • #46, com a banda Nevilton e Estela Padilha (do primeiro Big Brother Brasil). Para completar, no #47 tem duas músicas que o Nevilton gravou especialmente para o Qualquer Coisa;

  • Todos os outros estão aqui.
  • Howard Stern pega pesado com Sasha Grey



    Em entrevista à Rolling Stone norte-americana, a atriz pornô Sasha Grey disse acreditar que o radialista Howard Stern é um racista não assumido - e que ela gostaria de ir ao programa dele enrolada em uma bandeira da Palestina (Stern é declaradamente pró-Israel).

    A íntegra da resposta dele está no víde acima, mas os momentos mais agressivos foram esses:

  • "Ela é uma maldita atriz pornô. Ela chupa pau para sobreviver e quer vir aqui e me dar um sermão sobre como eu sou racista."

  • "Estou pouco me fodendo. Enrole a bandeira na sua cara e se sufoque com ela. Mude-se para a Palestina. Vá morar lá. Case-se, tenha filhos e treine-os para se explodirem em Israel."

  • "Vá ver como os palestinos tratam uma estrela pornô. Depois me diga a sensação de ser enterrada na areia e apedrejada na cabeça."
  • quinta-feira, 7 de maio de 2009

    Segundo disco do Móveis Coloniais de Acaju já está na web (ouça!)

    O Álbum Virtual, da Trama, liberou o C_MPL_TE, segundo disco do Móveis Coloniais de Acaju. Vale ouvir, é a atual (e única) grande promessa da música brasileira contemporânea. Fora a Mallu, claro.









    O trabalho tem produção do Carlos Eduardo Miranda - que, aliás, está na segunda temporada de Astros, no SBT.

    quarta-feira, 6 de maio de 2009

    Veja o curta que inspirou a nova produção de terror de Guillermo del Toro

    O diretor Guillermo del Toro (O Hobbit, O Labirinto do Fauno, Hellboy) se associou à Universal para produzir o longa de terror Mamá, a ser dirigido pelo espanhol Andres Muschietti - que fez o curta-metragem no qual o filme será baseado:



    Achei assustador. Será que sustenta uns 90 minutos? A produção mais recente do Del Toro no gênero, O Orfanato, foi incrível...

    terça-feira, 5 de maio de 2009

    Feist canta "Águas de Março" com David Byrne (veja!)

    David Byrne e Feist cantaram "Águas de Março" (ou "Waters of March", já que foi a versão em inglês) no show Dark Was The Night, no Radio City Music Hall, em Nova York, no último dia 3. O amigo Bruno Granato estava lá para gravar:



    Serve como pedido de desculpas por a cantora ter cancelado a vinda ao Brasil? Meu voto é não.

    Minha versão preferida para "Águas de Março" continua sendo a do Cartoon Network:

    E as guitarrinhas do The Beatles: Rock Band?



    Foram reveladas as guitarras do jogo The Beatles: Rock Band - são a Rickenbacker 325 (do John Lennon) e a Gretsch Duo Jet (do George Harrison). Elas não farão parte da edição especial (que virá com o baixo Höfner de Paul McCartney e a bateria Ludwig do Ringo Starr) e devem sair por US$ 99 (não foi divulgado se esse é o preço das duas ou de cada peça).

    Outra novidade: haverá a opção para jogar com três microfones conectados, algo que nunca ocorreu no Rock Band (ou no Guitar Hero). O game será lançado em 9 de setembro, mas a pré-venda começou hoje.

    "Ainda não acredito que refilmaram meu longa em Hollywood", diz diretor de terror tailandês



    Não é novidade já faz alguns anos: se você quer filmes de terror que sejam realmente assustadores, é mais fácil procurar no cinema de países asiáticos. Até Hollywood já percebeu isso, de O Chamado até a recente aquisição dos direitos de Death Note (um mangá que virou animê e, mais tarde, uma série de filmes no Japão) pela Warner.

    Mas se o Japão e Hong Kong já foram explorados à exaustão pelos EUA, a Tailândia ainda está razoavelmente intacta. A cultura local ainda nos parece estranha e exótica, garantindo uns calafrios a mais. Recentemente os ianques até tentaram se apropriar desse mistério com o remake de Shutter – e não passou nem perto de conseguir o clima amedrontador do original.

    Por trás das câmeras do Shutter original – lançado por aqui como Espíritos – A Morte Está ao Seu Lado - estava Banjong Pisanthanakun, que dividiu a função (e também o roteiro) com o companheiro Parkpoom Wongpoom. Apesar de ter feito apenas dois longas-metragens (o segundo foi Alone, erroneamente lançado no Brasil como continuação de Shutter – e com o título Espíritos 2 – Você Nunca Está Sozinho), Pisanthanakun já está entre os grandes do gênero terror.

    Em 2008 ele participou de See Prang (ou 4Bia), que reúne quatro curtas de terror feitos por quatro diretores diferentes. O segmento dele, In the Middle, é uma comédia que tira barato dos filmes de fantasmas estilo O Sexto Sentido. Esse trabalho foi produzido pela GTH, empresa de cinema da qual Banjong Pisanthanakun é sócio. No momento ele está produzindo uma continuação para See Prang, desta vez com cinco diretores. Falei com o diretor por email:

    O seu primeiro trabalho, Shutter, já foi um grande sucesso. O que vocês fez antes dele? Trabalhava com curtas-metragens?

    Eu me formei em cinema na Universidade Chulalongkorn. Foi lá que comecei a fazer curtas. Depois disso trabalhei como diretor-assistente para uma produtora chamada Phenomena. Aí inscrevi um curta chamado Colorblind em uma competição e ganhei. Logo na sequência a Phenomena me deu a chance de fazer o Shutter.

    Parece que a Tailândia começou a produzir muitos filmes de terror só a partir dos anos 90. É isso mesmo? Havia uma produção relevante do gênero antes disso?

    Os filmes de terror tailandeses começaram a ser produzidos por volta dos anos 90, então já faz um tempinho que existe esse tipo de público por aqui. Com o passar dos anos a popularidade do gênero oscilou bastante. Acho que Vidas do Além (1999) foi o título mais conhecido nesse começo.

    Shutter foi refilmado nos EUA e na Índia. Como é ver o seu filme re-imaginado por outras pessoas?

    Acho muito interessante – mas ainda tenho dificuldade em acreditar que tenham feito uma versão do nosso trabalho com um elenco de Hollywood.

    Quem são seus diretores favoritos de terror? Quem anda fazendo um trabalho interessante nessa área?


    Gosto do Alejandro Amenábar, que fez Os Outros. Gosto de todos os filmes dele, mas especialmente do thriller Tesis – Morte ao Vivo.

    Como os remakes, as continuações parecem ser parte inevitável do terror. Você pensa em fazer novas partes para Shutter ou Alone? Aliás, você sabia que eles foram lançados no Brasil como se fossem parte 1 e 2?

    Sim, eu li na internet sobre Espíritos 1 e 2 serem os títulos no Brasil. Quanto a continuações de verdade, acho que os enredos ficaram bem amarrados ao final de cada longa. Então não penso em fazer continuações.

    segunda-feira, 4 de maio de 2009

    Chris Cornell volta ao rock com remix de "Long Gone"

    É engraçado quando um remix transforma uma música em algo mais roqueiro. A arte de transformar a canção está muito ligada à música eletrônica, então é uma surpresa quando uma faixa que era originalmente pop ganha uma versão "de banda". Foi o que rolou no remix de Howard Benson para "Long Gone", do Chris Cornell:



    A original era assim, com produção do Timbaland:



    No caso do Cornell, o remix faz sentido: Scream, o álbum mais recente dele, foi muito criticado por ter abandonado completamente o rock. Em entrevista ao site da Rolling Stone gringa, Cornell fugiu do assunto. "É só uma roupa diferente. Ainda é a mesma música." O lado roqueiro de Chris Cornell já andava dando as caras nos shows da turnê de Scream.

    domingo, 3 de maio de 2009

    Novos Baianos e a batalha pelo som na Virada Cultural



    O clima estava bom, as pessoas estavam alegres, mas mesmo assim o Novos Baianos teve de batalhar para fazer seu show na Virada Cultural, no Centro de São Paulo, na tarde deste domingo.

    Uma microfonia constante fez fundo à performance da banda (em formação quase clássica - ficou faltando o Moraes Moreira), que reclamou mas não conseguiu que os técnicos de som arrumassem o problema.

    O grupo também ficou sem dar um bis no fim do show. "Pode cantar mais uma?", perguntou Baby, olhando para um integrante da organização, que fazia um sinal de "corte" na garganta.

    Não adiantou, os Baianos tiveram de sair sem a música extra, que a plateia pedia aos gritos. Abaixo, uma pequena amostra do que os Novos Baianos consegiram fazer em São Paulo:



    Coppola libera o trailer de Tetro

    Tetro, escrito e dirigido por Francis Ford Coppola, já tem trailer oficial:



    O filme anterior dele, Velha Juventude, passou meio batido pelo Brasil. Tetro é o primeiro a ter um roteiro original escrito por Coppola desde A Conversação (lançado em 1974!).

    Pearl Jam e O Grande Lebowski: a relação entre os dois...



    ... é puramente estética. Eddie Vedder rumo a se tornar The Dude.

    sábado, 2 de maio de 2009

    Bat For Lashes estreia na TV norte-americana

    O (a?) Bat For Lashes estreou na televisão norte-americana com uma performance no Late Show do David Letterman.



    A britânica Natasha Kahn cantou "Daniel", o primeiro single do Two Suns, que é o segundo disco do Bat for Lashes. Nos EUA, o álbum já vendeu 10 mil cópias, chegando ao posto 141 da Billboard.

    E recentemente a Natasha se apresentou no Bowery Ballroom, em Nova York. O Bruno Granato (do Trama Virtual) gravou/fotografou e a Kátia Lessa publicou.

    Metrô República na Virada Cultural 2009... Ou não? (atualizada)

    Uma notícia rápida para quem pretende ir à Virada Cultural 2009, em São Paulo: segundo a assessoria do evento, a estação República do metrô estará aberta durante o fim de semana. Anteriormente havia sido noticiado que ela estaria fechada para obras.

    Por outro lado, a Agência Estado está noticiando que a estação já está fechada - e que vai continuar assim.

    E agora?

    ATUALIZAÇÃO: o Tiago Agostini passou por lá e conferiu - a estação República do está fechada mesmo. Ele disse ainda que tem um monte de ônibus fazendo o trajeto Anhangabaú-Santa Cecília.

    sexta-feira, 1 de maio de 2009

    A tortura: William Shatner assiste ao trailer do novo Star Trek!

    William Shatner reclamou - várias vezes! - por não ter sido convidado para interpretar o Capitão Kirk no novo Star Trek de J.J. Abrams. Até o Leonard Nimoy ganhou uma ponta. Aí veio o programa Access Hollywood e, sem noção alguma, colocou Shatner para ver o trailer do novo filme!

    William Shatner Watches New Star Trek Movie Trailer


    Maldade, mas o cara ainda teve a manha de fazer uma piada com George Takei (inimigo "mortal" dele, os dois vivem falando mal um do outro): "Eu sei que vi George Takei naquela cena da multidão!" Não dá para não gostar do cara.

    [via Vulture]