sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

E reunião do Beach Boys clássico? Deve rolar



Outro dia o chapa Paulo Cavalcanti entrevistou o Mike Love, do Beach Boys, e o cara lançou: "Sim, já existem algumas negociações a respeito. O [canal de TV norte-americano] PBS já nos contatou para gravarmos um especial da série [de programas biográficos] American Masters. Pode ser que participemos de alguns shows em conjunto, mas não deve ser nada extenso, já que todos têm suas próprias bandas".

Fiquei curioso e, depois da apresentação da banda em São Paulo, quarta passada, tive a chance de perguntar mais sobre ao assunto ao Bruce Johnston. "Não se preocupe - eu não estarei lá [nessa reunião]!", disse o brincalhão, que entrou para o grupo em 1965.

Para ele (que hoje canta o vocal principal de "God Only Knows" nas apresentações do Beach Boys), esse reencontro com Brian Wilson e Al Jardine não deve ser nada demais. "A PBS é a rede de TV mais legal dos EUA. Aí nos chamaram para fazer o programa e, talvez, uma apresentação com orquestra no Great Performances. Não deve ser muito mais do que isso."

Sem chances de uma turnê, então? "Escuta, não somos como o Eagles - que ficou 25 anos trancado de ponta-cabeça em um armário. Só neste ano fizemos mais de 100 shows. Então não conseguiríamos aumentar os preços das entradas dos shows", explicou, sem esconder que só dinheiro motivaria uma série grande de shows. "A molecada não liga [para a formação da banda]. Eles perguntariam: 'Quem é esse Al?'."

Brian Wilson parou de trabalhar com o Beach Boys no meio dos anos 80. Al Jardine se desligou dos companheiros em 1998. Juntos, os dois fizeram uma série de apresentações em 2007 - sem Love e Johnston. Dois outros integrantes clássicos morreram: Carl Wilson foi vítima de um câncer no pulmão, no fim dos anos 90, e Dennis Wilson se afogou em 1983.

A apresentação desta semana foi a primeira dos norte-americanos em solo brasileiro. "Viemos para a conferência do Rio, em 1992, mas não nos apresentamos. "Foi muito estranho. Ficamos esperando os grandes [astros], mas eles não vieram. E a gente pensava: 'onde está o George Harrison? E o Ringo Starr?'. Nada deles", lembrou. E completou com certa ironia: "Mas o John Denver estava lá..."

Mesmo assim, o Brasil é presença constante na vida de Johnston. "Sabe o que eu escuto todos os dias? O álbum Francis Albert Sinatra & Antonio Carlos Jobim. E é muito difícil de se encontrar, já vi gente vendendo ele por mais de US$ 200!"

A apresentação de São Paulo, quem diria, foi bem competente. O público estava animado e não conseguiu ficar sentada nas cadeiras do Credicard Hall, especialmente durante os (muitos) clássicos apresentados na noite: de "Surfin' USA" a "Wouldn't It Be Nice", passando por "Kokomo" e até "California Dreamin'" (do the Mamas and the Papas, gravada pelo Beach Boys mais de uma vez. "Diga que o show só foi bom por causa do público", pediu Johnston. "Foi tudo por causa deles."

Nenhum comentário: