quinta-feira, 25 de junho de 2009

Michael Jackson (1958 - 2009)

"Michael é o anjo e o demônio da indústria cultural. A serpente do seu paraíso e seu mártir purificador. Os talentos artísticos extraordinários frequentemente coincidem com vidas torturadas e enigmáticas. Michael era um desses talentos imensos. Dançando 'Billie Jean' na festa da Motown ele foi sim tão grande quanto Fred Astaire: comentava o Travolta de Saturday Night Fever e o Bob Fosse do Pequeno Príncipe (este, uma influência fortíssima e evidente, que nunca vi mencionada). Vou entrar agora (...) com um nó na garganta, no sentido da nossa atividade. Ele a representava em sua totalidade, fulgurantemente, tragicamente, divinamente." (Caetano Veloso, na Rolling Stone)






Um comentário:

Francesco Lisboa disse...

Depois de ter visto aquela matéria do The Sun ironizando o MJ a respeito de sua orelha deformada por causa das extrações de pele para suprir a falta de cartilagem no nariz, não de se estranhar q ele tenha morrido, MJ q sempre demonstrou uma instabilidade emocionasl e fragilidade acaba morrendo exatamente semanas antes da altmentente aguardada maratona de shows. Com a queda do diploma para jornal no Brasil, fico pensando se vai ser cada vez mais comum o jornalismo "sugador de celebridade" aqui (copiando o mal ex. de lá fora)...