terça-feira, 19 de maio de 2009

Bettye LaVette une soul e rock em show emocionante



Talento nunca faltou a Bettye LaVette. O que a cantora norte-americana teve durante décadas é azar mesmo. E durante a apresentação dela no Bridgestone Music Festival, no sábado passado, só não saiu emocionado que tem coração de pedra.

A noite foi aberta com um instrumental da banda de apoio - bateria, baixo, guitarra e teclados -, seguido por uma entrada matadora com "The Stealer" (do Free) - uma boa metáfora para a noite em que Bettye "roubou" a cena.

Alternando entre números rápidos e baladas de despedaçar corações, a norte-americana dançou, conversou com o público e até teve de limpar as lágrimas no final de "Your Turn to Cry", balada na qual relata o fim de relacionamento. Em "Souvenirs", outro lamento, ela se sentou no chão no que chamou de "momento idoso" do show. Olha só:

"Souvenirs", by Betty LaVette @ Bridgestone Music Festival '09 from With Lasers on Vimeo.



Bettye é uma cantora de soul. Mas dentro desse gênero, ela transita com agressividade entre o blues e o rock (herança do Drive-By Truckers, banda de southern rock que produziu o disco The Scene of the Crime, que a tirou do esquecimento). Talvez por isso tenha sido convidada a cantar "Love Reign O'er Me", do The Who, em uma homenagem recente à banda.

Agora pense em um detalhe: Bettye LaVette grava desde 1962, quando lançou "My Man - He's a Loving Man" (presente no repertório). Nesses quase 50 anos, ela teve alguns poucos semi-hits, sendo o mais conhecido "Let Me Down Easy" - que ela não cantou em São Paulo. "Demorei a emplacar porque não quis ceder", disse ela em certo momento. Demorou, mas valeu cada minuto da espera.

Nenhum comentário: