segunda-feira, 31 de março de 2008

Na selva, no mar com Qualquer Coisa #6

O podcast Qualquer Coisa desta semana já começa incrível, com uma vinheta do Mister Sam. Esta semana recebemos a Patricia Colli, estilista, diretora de TV, amiga da Daniela Cicarelli e do Silvio Santos e a única fã de Magnetic Fields que eu já conheci. Aliás, muito prazer, Magnetic Fields. Na pauta: George Clinton, bastidores da MTV (treta...), a opção política do Show do Milhão, a real sobre a Ellus 2nd Floor e a falta de informação de Ronaldo Evangelista.

Também discutimos a eleição das 100 melhores séries de TV da história, publicada pela revista Monet de abril, que deu ao Seinfeld a coroa de imperador da telinha (seguido por Lost). (nota: a estréia de Pushing Daisies, citada no podcast, é dia 10 de abril, às 21 horas - não hoje)

José Flávio Junior fala sobre a apresentação de Ennio Morricone (aquele das entradas caríssimas - aliás, ninguém barra o nosso podcast!) em São Paulo e xinga bastante o Ronaldo (não à toa, claro).


Subscribe Free  Add to my Page

Clique aqui para ouvir os episódios anteriores. Para baixar o MP3, clique aqui.

Setlist deste podcast:

"You're the Storm", The Cardigans;

"Billy Jack", Curtis Mayfield;

"I Was Dancing in the Lesbian Bar", Jonathan Richman;

"Comunicação", Jonas Sá;

"Sugar Me", Claudine Longet.

(No BG: "Flying", com os Beatles, e a mesma música na versão de Rogério Duprat)

Como prometido no terceiro bloco do Qualquer Coisa, abaixo você pode ouvir a música "Claudine", que os Rolling Stones gravaram em "homenagem" a Claudine Longet em 1979 (mas nunca lançaram com medo de processos - uma atitude que o nosso podcast deveria considerar).



Os autógrafos da Claudine que eu cito estão aqui e aqui. Depois de ouvir "Sugar Me", minha amiga Carina Martins fez uma observação interessante: o Mika roubou a introdução dessa faixa na maior cara de pau e colocou em "Stuck in the Middle". Olha só:

sábado, 29 de março de 2008

Troca de pele em Skins


O boato já rolava fazia algum tempo, mas agora foi confirmado: todo o elenco da série britânica Skins foi demitido e não voltará na terceira temporada.

O produtor-executivo Bryan Elsley acha que tudo vai dar certo, mesmo com essa mudança brusca de direção. "Existem riscos ao se demitir todos os atores, mas acabamos de fazer isso. Houve um certo desconforto no canal, mas eles disseram para fazer isso mesmo."

A idéia vai ser continuar a mesma estratégia que rolou até agora: em uma temporada os personagens são apresentados, na segunda as histórias ficam mais profundas e depois todo mundo cai fora (mas os rostos antigos podem fazer participações especiais). Na Inglaterra, na rede E4, a segunda temporada está perto do fim.

MC Gi reformada


Já ouviu a nova da MC Gi? Então corre no MySpace dela e dá um play em "Dança do Facão". Mas volte aqui e clique também no link abaixo para escutar o remix da mesma música feito pelo Cello, do NRK.



A MC Gi deve - em breve - fazer uma parceria com Edu K. Se ficar tão boa quanto esta, vai ser incrível!

Lembra do Prodigy?


O disco novo do Prodigy só sai em maio, mas a banda liberou uma músicas nova: "Who the Fuck is Eddy Cochran?":



Você deve estar pensando: "Eles só podem estar zoando!" E é mais ou menos isso. A faixa é só uma base que o grupo criou e decidiu liberar para os fãs, não deve entrar no CD novo. Ufa.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Silvio Santos vs. Ecos Falsos vs. Xuxa

Gustavo Martins, vocalista do Ecos Falsos, foi um garoto prodígio - e não daqueles que andam por aí com o Batman (não que eu saiba, pelo menos). Quando ele era criancinha, escreveu uns livros e acabou no Guinness (o livro dos recordes, a cerveja entrou na vida dele um pouco mais tarde) como o escritor mais jovem do Brasil. E aí os bons tempos passaram e ele formou a banda dele.

Agora o músico resgatou esses belos momentos da infância no novo site do Ecos Falsos. Se liga na participação dele no Xou da Xuxa, aos nove anos:



Eu gosto do gritinho que ele dá quando a Xuxa diz que comprou 250 exemplares do livro. Aos 10 anos, mais crescido, ele foi ao Hot Hot Hot, do Seu Silvio:



O site ainda tem participações do Gustavo no Globo Repórter e X-Tudo. Faltou o Aqui Agora (ele jura que foi!).

Madonnaeróbica

São bons esses teasers que a Warner irlandesa colocou no ar para promover o lançamento de Hard Candy, o novo álbum da Madonna:



Mike Patton, os Beatles e a brasileira


No começo de 2007 a cantora brasileira Carla Hassett lançou o álbum Quero Saber. Escondida ali no meio estava uma cover para "Julia", canção que os Beatles lançaram no Álbum Branco, em 1968. Dividindo os vocais com ela está o grande Mike Patton, ex-lider do Faith No More e dono de pelo menos uma dúzia de outras bandas.

Ele canta em português (não é novidade: além de "Caralho Voador", do disco King For a Day... Fool For a Lifetime, Patton cantou uma versão de "Evidence" na língua do presidente Lula quando o FNM passou por aqui pela última vez).



Dá uma certa agonia escutar essa faixa. Você fica esperando o Mike Patton dar um berro gigante no meio, mas ele nunca vem. No ano passado o cantor participou de um show da Carla Hassett em Los Angeles, tem até um vídeo do encontro:

Carla Hassett Mike Patton Live


Tenho de confessar: eu nunca tinha ouvido falar nessa cantora. Segundo o MySpace dela, Carla é professora do Silverlake Conservatory of Music (que é do Red Hot Chili Pepper Flea).

quinta-feira, 27 de março de 2008

Banzé e MC-5


O novo disco do Banzé, Antes da Queda, tem participação do lendário guitarrista Wayne Kramer, do MC-5. O rapaz completa 60 anos no dia 30 de abril, mas ainda curte uma guitarra suja e pesada. A faixa dos brasileiros com ele é "Tragam-me a Cabeça de Lester Bangs":

Axl agradece a Dr Pepper


Como você já deve saber, a marca de refrigerantes Dr Pepper disse que daria um refrigerante para cada pessoa dos EUA (menos os guitarristas Buckethead e Slash) caso o disco Chinese Democracy, do Guns N'Roses, saísse ainda em 2008. E Axl Rose respondeu hoje: "Estamos surpresos e muito felizes com o apoio da Dr Pepper em relação ao nosso álbum Chinese Democracy já que, para nós, foi uma surpresa. Se há qualquer envolvimento de nossa gravadora ou outros com isso, nós não ficamos sabendo até agora. Como algumas performances do Buckethead estão no disco, eu vou dividir a minha Dr Pepper com ele."

Isso quer dizer que o disco sai mesmo em 2008? Eu esperaria sentado. Mas tomando uma Dr Pepper gelada. O Axl quer uma diet, por favor.

CSS caça almas

Preste atenção na música de fundo do episódio "Hungry For Fame", da série Reaper.



"This Month, Day 10", do disco de estréia do Cansei de Ser Sexy.

Você também deve estar vendo o CSS direto na MTV, em uma série de vinhetas (tipo aquelas da Mallu Magalhães). Esses esquetes fazem parte de um projeto chamado 30 Bandas. Segundo a MTV, é assim:

"O Projeto 30 Bandas é do departamento de promo da MTV, trazendo muita música também para o break comercial, reforçando o conceito de que a MTV é a casa do artista. Até o fim do ano, vão rolar vinhetas com 30 bandas de estilos e propostas diferentes, desde bandas mais conhecidas até as menos conhecidas até então. Cada banda fica 10 dias no ar em praticamente todos os intervalos. Nessas vinhetas, a audiência poderá ver os artistas em situações pouco usuais (em casa, na rua, atuando, tocando inéditas, covers, dançando, comendo, declamando...) numa média de 10 peças diferentes por banda. Essas esquetes são criadas em parceria com a própria banda, que participa ativamente com idéias e situações em que gostaria de estar, mas nunca teve oportunidade em nenhum outro canal. Já foram ao ar: Mallu Magalhães vestida de Johnny Cash tocando "It Ain't Me Babe", Forgotten Boys divagando sobre urubus no centro da cidade, e as meninas do Cansei de Ser Sexy ensinando uma receita exclusiva de coxinha, o prato favorito da vocalista Lovefoxxx. Em abril, exibiremos, entre outras coisas, uma aula de guitarra com Chimbinha da Banda Calypso, e uma roda de samba com o grupo de rap Relatos da Invasão (responsáveis pela música mais executada nos bailes da periferia de SP em 2007: "Jaçanã Picadilha")."


Mera existência no YouTube



Como a modernidade fica se esfregando nas nossas caras o tempo todo, acabamos nos esquecendo que as coisas simples ainda funcionam muito bem. E que, às vezes, a união do simples com o moderno traz resultados mais fantásticos ainda. Foi assim com o autor de história em quadrinhos Lev Yilmaz e sua série Tales of Mere Existence. Com um detalhe: ele não faz exatamente quadrinhos (a não ser que você considere a janela do YouTube um quadrinho).

As historinhas de Yilmaz foram aparecendo no site de vídeos (e também no oficial do autor) e conquistando fãs do mundo todo. Quem não se identifica com contos do dia-a-dia, de amor, sofrimento e tédio? O próprio artista explicou tudo isso ao With Lasers.

Você também faz HQs em papel, não? O que te levou ao YouTube?

Estranhamente, comecei a fazer os filmes antes das versões impressas. Normalmente é ao contrário. Comecei antes do YouTube aparecer, então o problema era: "Qual formato usar? Quicktime, Flash, Windows Media..." Todos competiam. Quando o YouTube surgiu, não demorou muito para vermos que ele obviamente havia vencido a guerra dos formatos. Foi simples assim.

O quanto do seu trabalho é baseado na vida real?

Tudo, apesar de não ser necessariamente uma narrativa: muito dele vem de pensamentos e, claro, memórias da minha infância. Uma parte grande, mais recentemente, vem de observar as pessoas fazerem umas merdas que me lembrem de mim. Sabe como é?

É fácil se identificar com as suas animações. Ao mesmo tempo, elas parecem ser muito íntimas. Você nunca pensa: "Não, isto aqui é pessoal demais!"?

Não. Sempre fui estranho em relação a isso. Não me envergonho facilmente, não me assusto facilmente. Acho que é meio estranho, porque tenho pouquíssimos amigos e pessoas que sejam próximas de verdade. Sou reservado, mas não tenho problemas em contar minhas idiossincrasias a uma platéia. Tenho certeza de que algum psicólogo já inventou um nome para isso. Se você descobrir qual é, avise-me.

Seus vídeos são bem tristes. Tristeza é combustível para criatividade?


Mais ou menos, mas acho que a maior parte das pessoas interpreta isso errado: acho que a criatividade e a tristeza andam juntas, mas acho também que a tristeza vem da dificuldade de se comunicar verbalmente com as outras pessoas - e trabalhar com arte é a forma que alguns encontram para mostrar seus sentimentos. Comigo é assim, tenho certeza.

Qual é o seu vídeo preferido? O meu é "How to Break Up". Como foi que você o fez?

O meu é provavelmente "Conversation", aquele do casal conversando na locadora. Acho que é o mais bem escrito. Apesar de ter bastante orgulho de "I'm not going to think about her", não consigo nem assisti-lo. Se estou em algum evento e começam a passar esse, olho para o chão até que ele acabe. Talvez eu seja emocionalmente preso a ele, não sei. Sobre "How To Break Up": não tive nem de pensar sobre esse - foi só me lembrar. Sabe como é?

Luz dos Stones brilha com Jack White e Christina Aguilera



Dia 4 de abril é a estréia mundial de Shine a Light, o filme-de-show que o Martin Scorsese fez com os Rolling Stones. A trilha-sonora é um CD duplo, que tem os convidados especiais que aparecem na telona. Entre eles está Jack White, que canta/toca "Loving Cup", faixa do disco clássico Exile on Main Street (1972). Ficou boa.



Outro clássico que recebe uma forcinha é "Live With Me", do LP Let It Bleed (1969). Aqui os pulmões de Christina Aguilera empurram a música para cima.



Oficialmente o disco Shine a Light sai um pouco antes do filme, dia 1 de abril. Mas ele já está por aí, extra-oficialmente. São duas versões: uma dupla (22 faixas) e uma simples (15 faixas).

quarta-feira, 26 de março de 2008

Nova da Beyoncé. Será?

Uma música nova da Beyoncé Knowles, "Beautiful Nitemare" apareceu na internet. Não se sabe se é do terceiro disco da cantora - que só deve sair no fim do ano - ou alguma sobra do passado. Está no YouTube já:

Baixaria no Velvet Revolver


No meio de um show em Glasgow o vocalista Scott Weiland mandou: "Vocês estão vendo algo muito especial - a última turnê do Velvet Revolver." Confusão, pânico e susto. Inclusive entre os integrantes da banda, que aparentemente nem sabiam o que estava rolando (meio déjà vu do David Bowie acabando com o Spiders From Mars, mas tudo bem).

O baterista Matt Sorum, que já lidou com os chiliques do Axl Rose em seus tempos de Guns N'Roses, foi lá e tascou no blog dele: "A noite passada foi interessante. Tivemos uma confusão do grupo no palco, acho que deu para todo mundo notar. Fazer parte de uma banda é como estar em um relacionamento. Às vezes não dá certo. Acho que estão rolando mais problemas nos últimos tempos. Tem sido frustrante, não vou mentir."

Como o Weiland já marcou a volta da banda antiga dele, o Stone Temple Pilots, todo mundo acha que o cara apertou o foda-se. Mas surge a revolução: o Velvet Revolver já arrumou um vocalista novo, olha só:



Calma, calma. É brincadeira. Robert Plant não vai cantar no Velvet Revolver. Coloquei essa foto (que o Sorum postou no blog dele) para mostrar como Weiland está distante do resto do grupo. O cara nem quis tirar uma foto com o vocalista do Led Zeppelin! Tudo bem, pode ser que esteja batendo a foto. Mas aí já é especulação em cima de especulação e eu nem tenho tanto tempo livre assim. (além de tudo rola um boato de que o VR abriria uma turnê da volta do Led)

Voltando à separação do Velvet Revolver: Scott Weiland ficou muito puto com o post do Sorum sobre o show de Glasgow. Em um comunicado ao site Blabbermouth ele fez um verdadeiro discurso:

"Fiz várias tentativas de me manter cordial em relação aos integrantes do VR e, especialmente, em relação a você [o baterista, não o repórter - duh!]. É engraçado - esta é a sua primeira banda, aqui você não é só um músico contratado. Eu tenho gravado discos (já estou no meu nono), vendi mais de 35 milhões de cópias no mundo todo e mantive um certo nível de profissionalismo independente de quantas drogas eu tivesse tomado. Só cancelei uma turnê durante os meus 16 anos de carreira. Agora, será que devo abrir a lata de vermes, Matthew? Soltar o Kraken? Você cancelou a turnê australiana na primavera no outono porque foi para a clínica de reabilitação, mas não vou dizer por que."


Mais para frente, na mesma matéria, o cantor explica porque odeia o baterista: Matt Sorum curte cantar as músicas junto com Weiland. Juro que esse é o motivo, pode ler lá. O rock'n'roll está ficando cada vez pior! E ainda perdi um tempão para descobrir que porra é o Kraken que o mano queria soltar. OK, mentira, fui direto na Wikipedia e vi lá.

terça-feira, 25 de março de 2008

Clipe novo dos Whit... Ops, Raconteurs

Clique abaixo para ver o clipe novo do Raconteurs. É "Salute Your Solution" e o vídeo foi feito com fotos da fotógrafa Autumn de Wilde. Parece White Stripes.








Família Pitt-Jolie na presidência dos EUA!


Essa é uma das histórias mais fajutas que eu já li: pesquisadores descobriram que Barack Obama é parente de Brad Pitt. Mas espere, não pare de ler ainda! A Hillary Clinton é parente da... Angelina Jolie!

Foram os pesquisadores da New England Historic Genealogical Society que disseram isso tudo. Não satisfeitos com a abertura que eles deram para zilhões de piadas, os caras ainda vieram com um papo de que a Hillary é prima distante da Madonna, Alanis Morrissette e Celine Dion (isso quer dizer que essas três são primas? Sempre suspeitei...).

E senta que lá vem história: Obama também seria primo de George W. Bush, enquanto John McCain seria ligado à primeira-dama Laura Bush (que perdedor esse McCain! Deve ser parente da Britney Spears).

Chega, Michael Stipe, já entendemos!


Eu não agüento mais ver o Michael Stipe "sair do armário". Sim, porque ele vem se assumindo gay desde os anos 90. Ele já falou isso em uma entrevista famosa, para a revista Time, em 2001. Ele já falou para a Bizz, na mesma época. E agora ele contou para a Spin. Parece que o cara espera todo mundo se esquecer (como se fosse possível) só para assumir de novo!

Agora o vocalista do R.E.M. resolveu entregar os amigos de banda. Olha o comunicado:

segunda-feira, 24 de março de 2008

Podcast Qualquer Coisa #5


Quinto Qualquer Coisa no ar. Explicações e detalhes mais tarde. Convidado: Rafael Rossatto, ex-Bidê ou Balde e atual empresário da pequena Mallu Magalhães. Ronaldo Evangelista explicou no blog dele:

Mais zoneado do que nunca, está no ar a quinta edição do estrondoso Qualquer Coisa, podcast apresentado por José Flávio Junior, Paulo Terron e Ronaldo Evangelista, vulgo eu mesmo. Essa semana, falamos todos ao mesmo tempo sobre a qualidade da música pop de Fergie, Hanson e New Kids on the Block, sobre Otaviano Costa, Tom Zé, Twister, a não-audição e a sensualidade soturna do Portishead, João Marcello Bôscoli brincando de Ronnie Von e o imperdível show da Tania Maria. Dessa vez, com a estréia do esperado Link Zappia, cheio de delays, chiados e novidades londrinas como a pessoa Dawn Landes e três ex-mulheres do Jimmy Page. Sentado na cadeira de convidado, contando seus causos e estratégias de marketing, o grande Rafael Rossatto - não só uma lenda do rock em primeira pessoa com o Bidê ou Balde mas que também trabalhou com gente de sucesso como Belo (ex-Soweto, fã de tecidos finos) e hoje é empresário de Mallu Magalhães (pequena grande folkeira, fã de "Leãozinho", do Caetano).



Subscribe Free  Add to my Page

Ouça as edições anteriores aqui. Baixe o MP3 aqui. Veja mais fotos da gravação aqui.

Lista de músicas:

"Petrol CB", Late! (Dave Grohl pré-Foo Fighters, com guitarras bem Nirvana)

"Let Me Roll It", Brendan Benson and the Wellfed Boys (pré-Raconteurs, tocando Paul McCartney)

"Lonely Carousel", Rodrigo Leão & Beth Gibbons (melhor que o novo do Portishead)

"Levada da Onda", Art Popular (juro por Deus que é isso mesmo!)

"Viver Morrer", Tania Maria (show do ano para um terço do Qualquer Coisa)

Vampiros na balada (e no MySpace)


Se você se interessa por filmes de terror, talvez já tenha ouvido falar da Hammer. A produtora britânica foi fundada nos anos 30 e colocou no mercado dezenas de filmes de baixo orçamento que acabaram virando clássicos do gênero.

Os atores Peter Cushing e Christopher Lee trabalharam para a Hammer (em filmes sobre o Conde Drácula, Frankenstein e a Múmia) a partir do fim dos anos 50 e durante o período de maior sucesso da empresa, nos anos 60. Só que na década seguinte as coisas começaram a ir mal até que, em 1979, The Lady Vanishes foi o último filme a ser produzido para a telona. Já nos 80, nem a televisão conseguiu ajudar a Hammer: as duas séries de terror, suspense e mistério não engataram.

Quem poderia reapresentar a Hammer ao mundo nestes nossos tempos de internet? O MySpace, claro. E aí entra em cena Beyond the Rave, filme de vampiros a ser lançado na web pela ressuscitada (rá!) Hammer em 20 episódios virtuais de cinco minutos (e, mais tarde, em DVD).

O jornal britânico Telegraph chamou Beyond the Rave de "um conto sanguinolento de vampiros violentos entre fãs extremistas de dance [music]". Segundo a publicação, a história faz até referência aos conflitos no Iraque.

Para ver se o resultado final bom (e claro que não vai ser – e é aí que está a graça!) fique ligado na MySpace TV. Beyond the Rave estréia em 17 de abril.

domingo, 23 de março de 2008

Madonna: cabalalicious!



Rolou uma festa à fantasia da cabala e a Madonna apareceu fantasiada de Edith Piaf. Gatona. Mais legal ainda foi o Guy Ritchie, que apareceu de Obelix.



A lição que tiramos disso tudo: a cabala é muito mais legal que a cientologia!

sexta-feira, 21 de março de 2008

Cachorrinha do Edu K (mais atualizada ainda)



Essa eu achei um CD velho: o DeFalla fase emo tocando uma cover de "Cachorrinho", de Kelly Key. Foi no extinto programa Canja, do iG, em 2003 (no Flickr do With Lasers tem fotos desse dia). Curiosamente foi depois e antes das fases funk do Edu K - depois de "Popozuda Rock'n'Roll" mas antes do lance atual dele. (agora com o vídeo funcionando!)

DeFalla toca Kelly Key


O Edu K, aliás, colocou uma música muito boa no MySpace dele. É "(Edu K) Me Bota Pra Dançar", com participação da Marina Vello. Se não me engano, essa letra foi escrita pelo Bonde do Rolê todo, quando a banda passou pelo Brasil durante o Skol Beats do ano passado. Eu havia me enganado. Foi só a Marina quem escreveu a música. Peço desculpas a ela pelo equívoco.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Aviso: Bonde + Bo$$

A música do Backstrava Boys (projeto que junta Bonde do Rolê e Bo$$ in Drama) que estava neste post tinha problemas de pitch. Já foi trocada por outra (que também é uma demo - gravação demo, não música do capeta) melhor.

Gervais monta o melhor elenco de todos os tempos



Ricky Gervais anunciou em seu site oficial:

"Confirmados os novos integrantes do elenco - John Hodgman, Tina Fey, Christopher Guest e Jeffrey Tambor se juntam a Louis CK, Rob Lowe, Jonah Hill, Jennifer Garner. Ah, e eu, Ricky Gervais, claro. Um elenco nada ruim para uma comédia."


O criador de The Office e Extras está falando de This Side of the Truth, estréia dele na direção de cinema (com Matt Robinson, que também ajudou a escrever o roteiro). Há um blog com vídeos e textos para quem quiser saber mais sobre o assunto.

Vamos às contas: 30 Rock + Arrested Development + The Office + Superbad + PC Guy + Spinal Tap + Juno = maior sucesso de todos os tempos.

Para quem está pensando: "E o Stephen Merchant?", o vídeo acima explica. Ele vai fazer uma ponta no This Side of the Truth, junto com o Barry (de Eastenders).

Os 10 motivos do Battlestar

O elenco de Battlestar Galactica foi ao programa de David Letterman para promover a quarta (e última!) temporada da série. Eles fizeram parte da Top Ten List "10 Motivos Para Assistir à Nova Temporada de Battlestar Galactica".



A série volta a ser exibida em 4 de abril (nos EUA), mas a temporada só acaba em 2009. E o canal SciFi já encomendou um piloto (de duas horas) de Caprica, uma série que se passa entre 50 e 70 anos antes dos acontecimentos de Battlestar.

Elvis Costello: sai o CD, entra o miojo


O que é ser radical hoje no mundo da música? Lançar um disco no estilo "quer pagar quanto?", tipo o Radiohead? Soltar as músicas de graça, feito o Nine Inch Nails? Lançar o trabalho sem avisar muito, como o Raconteurs? Pois Elvis Costello tem uma visão própria sobre esse assunto: o novo dele, Momofuku, sai dia 22 de abril - em vinil. Isso mesmo: nada de CD!

Quem comprar o álbum vai receber um código para baixar as músicas na internet (um esquema que a Sub Pop já fazia com os compradores de vinil). Isso que é coragem!

Sem contar o nome do disco. Seria uma homenagem a Momofuku Ando, criador do miojo?

Somos o Bowie ontem



Quando o We Are Scientists passou pelo Brasil, em 2006, eu perguntei à banda sobre a relação deles com o David Bowie. Bem humorados - mas claramente zoando - eles disseram: "Quando entramos em um bar com ele, as pessoas dizem: 'Meu Deus, é o Bowie! Ah, e o We Are Scientists também...'".

Aí chegou Brain Thrust Mastery, o disco novo deles, e a faixa "Lethal Enforcer" - que tem uma vibe total "Bowie nos anos 80", entre "China Girl" e "Let's Dance". Então agora deve ser assim: "Olha, está tocando uma música velha do Bowie! Ah, é só uma nova do We Are Scientists...".

Quebrada no baile

Aproveitando que Barrados no Baile voltou às notícias: a atriz Gabrielle Carteris (que interpretava aquela chata da Andrea) reclama que teve seqüelas físicas durante a filmagem de um trabalho.



Gabrielle tem 47 anos e o tal filme é um daqueles de suspense, feitos para a TV, chamado Past Tense. Pelo menos ela não fica se oferecendo para a nova série.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Supergrupo brasileiro



A foto acima é a primeira imagem oficial do Backstrava Boys, grupo que junta Pedro D'Eyrot e Rodrigo Gorky (do Bonde do Rolê), Bo$$ in Drama e "aquele cara do programa do Bonde na MTV que levou uma das candidatas para fazer compras".

A música, roubada do Let's Glow (que é um puta blog legal), você escuta abaixo. É "Rainha do Dark", em versão demo.



De repente a escolha da Laura Taylor já não parece tão ruim, né? "Pelo menos a foto é ótima!", explica o Bo$$ in Drama ao With Lasers. Isso não dá para negar.

Capas e vídeos polêmicos

Duas listas para alegrar o fim desta terça-feira.



A primeira, do site Gigwise, junta as 50 capas de discos mais polêmicas do rock, do Black Sabbath com Ian Gillan (nossa, a capa que é polêmica?) aos pedaços de carne dos Beatles, das peladas do Roxy Music ao parto normal do Chumbawamba (que, aliás, "got knocked down" das paradas de sucesso e nunca "got up again"). Não teve o Tom Zé.

A minha preferida é isso aqui acima, de um grupo que eu nunca ouvi falar, o Lords of Acid Pussy. Vamos ver qual é a deles:



Não, né? Meio New Rave Kids de 10 anos atrás.



A segunda lista foi feita pelo site de sexo (OK, de pornografia) Fleshbot e fala dos maiores escândalos sexuais "que não eram verdade", tendo como gancho as supostas fotos pornô da Kristin Davis. Estão lá os vídeos falsos de Britney Spears, Adriana Lima etc. Esqueceram a Meg White. Clique aqui para ler (mas cuidado, cenas de sexo explícito!).

A vida fácil de Amy Winehouse


Por que todo mundo que fica famoso logo quer tirar as roupas? Chegou a vez de Amy Winehouse. E não foi bonito. Pelo menos a foto foi para uma campanha de prevenção ao câncer de mama.

A imagem foi feita pela fotógrafa Carolyn Djangoly e saiu na revista britânica Easy Living. Vida fácil? Sei.

Rrrrraurl! (não o site)



Esse aí em cima é o Benicio Del Toro, na primeira imagem divulgada do filme The Wolf Man (a ser lançado em 2009). O longa é um remake do original de 1941, que tinha Lon Chaney Jr no papel do lobisomem.

Folk at the Disco


Depois da passadinha do Tapes'n'Tapes pela Bahia é a vez do Panic at the Disco curtir um clima western. O novo álbum dos ex-emos, Pretty.Odd., tem uma canção chamada "Folkin' Around", que é assim:



Caso você esteja tendo dificuldades para se lembrar de como era o som do Panic - ainda nos tempos do !, escute:



Quem é emo não precisa chorar (entendeu? entendeu?): o resto do álbum não é nesse clima Willie Nelson do mundo bizarro. Só que também não é bom.

terça-feira, 18 de março de 2008

Ai, Adriana...


A modelo brasileira Adriana Lima estará na capa da próxima GQ norte-americana - e o ensaio que ela fez está bem apropriado para o calor tropical, como você pode ver:




O site da GQ tem um vídeo do making of. E se você assinar a revista, leva um pôster da Adriana.

Nessa mesma edição anual sobre sexo (a "Love, Sex & Madness"), mas no ano passado, a Adriana Lima disse que era virgem. Na de 2008 ela vai dizer o quê? Vai te ensinar a conquistar uma supermodelo, claro.

Tapes'n'Bahia



Ouça pelo menos o comecinho de "Conquest", faixa do álbum Walk It Off, o mais recente do Tapes'n'Tapes (a ser lançado oficialmente dia 8 de abril).



Sentiu uma vibe made in Bahia na guitarra ou fui só eu? Achei até que ia entrar um vocal "Tieta não foi feita da costela de Adão...". Ou, no mínimo, um "Pepeu baixou em mim...".

Smells like tênis spirit


Kurt Cobain morreu e virou tênis. Segundo o Daily Swarn, a Converse vai lançar, em maio, uma edição especial baseada em desenhos e escritos do líder do Nirvana. Os textos/ilustrações teriam sido tirados dos diários do músico - com autorização da viúva Courtney Love.

O produto faz parte das comemorações de 100 anos da Converse. Os fãs já estão nervosos: o tênis da foto acima seria o mesmo modelo que Cobain estava usando quando se matou.

Sex and the internet (atualizada)


Já estava dando saudade: finalmente apareceu uma nova sextape de gente famosa! A bola vez é - supostamente - a atriz Kristin Davis, de Sex and the City. A história surgiu em um site pornô, mas uma foto já está rodando o mundo.

Verdade? Mentira? Importa? Clique aqui ver a versão sem censura da imagem. Quem diria: logo a Charlotte!

ATUALIZAÇÃO: já apareceram mais fotos supostamente da moça. Clique aqui (por sua conta e risco!)

segunda-feira, 17 de março de 2008

Raconteurs saindo em uma semana!


Assim, de repente, o Raconteurs anuncia que seu novo álbum se chama Consolers of the Lonely e chega às lojas logo mais, dia 25 de março! A banda se planejou para que o trabalho fosse vendido em todos os formatos - CD, vinil e download - ao mesmo tempo.

Jack White e amigos também decidiram não dar entrevistas ou divulgar o novo disco antes do lançamento para, segundo eles, evitar um pré-julgamento. São 14 faixas a serem lançadas em uma parceria entre Third Man Records (o selo de White), XL Recordings e Warner.

Em um post no MySpace, o grupo diz que Consolers foi masterizado e finalizado na primeira semana de março. No texto os Raconteurs ainda recomendam que os fãs ouçam o álbum em vinil e que não comprem as faixas separadas, mas o pacote todo.

A primeira faixa de trabalho - que já tem clipe filmado - será "Salute Your Salution". O vídeo deve ser lançado também no dia 25 de março.

Madonna junta tudo

O mundo anda cada vez mais complicado. Ou mais simples, dependendo do ponto de vista. O comercial novo da Sunsilk, por exemplo, tem a Madonna e um trecho da música "4 Minutes" (primeiro single do novo Hard Candy). Não dá para saber direito se é para promover o produto, a faixa ou a Madonna.

Qualquer Coisa #4: PROIBIDÃO!

A quarta edição do podcast Qualquer Coisa está polêmica. O convidado Ivan Finotti, editor do caderno Folhateen (da Folha de S. Paulo), relembra seus grandes momentos no Notícias Populares - incluindo a perna do Roberto Carlos e outros fatos macabros.

Finotti, que escreveu a biografia do Zé do Caixão com André Barcinski (e levou um prêmio em Sundance pelo documentário sobre Mojica!), também relembra os Mamonas Assassinas e fala sobre os gênios do Brothers of Brazil. E, claro, explica a história envolvendo ele, Bob Dylan, Kiss, Mallu Magalhães e muito choro.

Seguindo o clima "a gente não deveria estar falando disso", discutimos sobre o fato da internet ter matado (ou não) o conceito de raridades da música - e para estimular um possível processo, tocamos uma versão alternativa incrível de "Helter Skelter", clássico dos Beatles. E mais Tim Maia Racional 3, história ainda cheia de confusão (tudo esclarecido aqui).

Depois Ronaldo Evangelista fala sobre a relação Tom Waits/Jards Macalé e da possível influência do primeiro sobre um novo nome da cena folk adolescente brasileira.


Subscribe Free  Add to my Page

A seleção musical da semana foi:

"I've Underestimated My Charm (Again)", Black Kids

"Say it All", Sondre Lerche and the Faces Down

"Helter Skelter" (take 21), The Beatles

"Black and Blue", Jards Macalé

"Bode", Andreia Dias

Para baixar o MP3 do Qualquer Coisa #4, clique aqui. Assine o RSS do podcast (e ouça as edições anteriores) aqui. E para falar conosco escreva para o podcastqualquercoisa@gmail.com.

Preferidas de Gervais (e as piadas que ele contou no velório da mãe dele)


Muitas vezes entrevistas sérias com comediantes ficam uma merda. Mas essa com o Ricky Gervais (de The Office e Extras) no Desert Island Discs, um programa da rádio BBC 4. Como o nome entrega, além de falar sobre a carreira dele, Gervais escolhe suas músicas preferidas - "If You See Her Say Hello", do Bob Dylan; "Lilywhite", Cat Stevens; mais Bowie, Sex Pistols, Radiohead, Neil Young, Jimmy Webb e Willie Nelson.



Ele fala um pouco sobre como parou de acreditar em Deus, sobre sua família nada rica ("descobri que era pobre quando fui para a faculdade e as pessoas falavam como a rainha"), conta piadas sobre o velório da mãe dele ("quando o padre disse 'fale alguma coisa sobre a sua mãe' ao meu irmão, ele disse: 'ela era muito racista'"), relembra seus tempos de (quase) popstar da new romantic ("não é que eu desisti - é que não deu certo mesmo") e sobre The Office ("ao fazer, pensei: o que pode acontecer de pior?").

domingo, 16 de março de 2008

Barrados de novo

Barrados no Baile vai ganhar uma sub-série, criada por Rob Thomas (de Veronica Mars).Você se lembra que não vai ser a primeira vez que isso ocorreu? Foi assim:

*Tudo começou com Brenda, Brandon etc.



*Aí apareceu um tal de Jake, que ganhou uma série - Melrose Place.



*Depois, em Melrose, teve uma tal de Hillary que era dona de agência de modelos. E nasceu a série Models, Inc.



*O produtor Darren Star - provavelmente de saco cheio dessas estrelinhas de série adolescente - foi lá e fez Grosse Point. O programa tirava barato de... Estrelinhas de uma série de TV adolescente.



O pior de tudo foi a Tori Spelling já se oferecendo para participar da nova série. Ela deve ter pensado: "Droga! A Donna não devia ter perdido a virgindade na milésima temporada de Barrados..."

sexta-feira, 14 de março de 2008

nitrevsta co Cersibon - cordei kd qipoka


Conhece o cersibon? São uns quadrinhos non sense surreais ("non sense surreais" - fácil de entender, né?) que começaram a bombar na internet. O autor é um mistério (assim comoo motivo de suas tirinhas serem tão engraçadas), mas consegui que ele respondesse algumas perguntas.

Me conta um pouco sobre vc, o q vc faz, idade etc?

to aqi na minha,,,, relex` #####





faso cosply mai sou bliblitocetario 34 anos @``


De onde veio a inspiração para os quadrinhos?

prai tefelone


A língua que vc usa ali é um tiopês clean ou é alguma variação do tiopês? Vc é fluente no tiopês?

eu sou pooligrlot an~ sei vc reparou



ap´rendi fescrev em tds mndos faznsdo ASCCI sak so

~~~()()()()()(ò;ó)
^^^^^^^^^^^^
////.......^~~~~~~~~
//////........^´´´´´´~~~~~
[[[//~~~~~´´´´´8===D~~~´~~~´



^^^curtiu
curti





AXCI lggme nviersal


OQ vc!!! sta ouvidnoº/

AE AE AE AE

E E E E

OoOoOoOoOoOoOo

De cara os quadrinhos são bastante non sense - e mesmo assim são hilários. Como vc explica a graça do Cersibon?

q grasa
ersiobn trablhod d eum vida fvr eperiot
qd a msg ahpiyta t **********%$&* jj. O culir. one in usr life//@1

Vc acha que o cersibon é um reflexo da juventude brasileira?

a gjntv perdida,,, demou .,acraic rehrefere a nos s`11~o0o pq trava td ne
uns do iroe >>>>>>> tyla 55 isaQUE:

(e
: D
(e

OQ vc!!! sta ouvidnoº/ AGORA

alou paixAM ************ alou dosura~~~~~~~~~

vanda eva adrooooo faso coslay daivete sse ano VALVADOR AI ESTOU EU

qeR dia xa mwssg pr nosso amigios?

acdire do so nseusonhos um dia eu tav aauqi trablahano e ag,,ora o paulo ta aqi falçndo comigo VALEU A PENA`/~,,—`@`~\

Capa da Madonna



Revelada a capa de Hard Candy (nas lojas em 29 de abril), o novo disco da Madonna. Meio estranho. Segundo a gravadora, o álbum é uma mistura de doçura com "toughness". Pela capa, parece mais uma mistura de doces com putaria - mais uma dose de LSD.

Fergie Ferg rocks São Paulo

Vídeo do show da Fergie em São Paulo, no Via Funchal, dia 13 de março. Para uma resenha completa, leia a Rolling Stone de abril. Mas adianto: foi um puta show bom. O som do vídeo não é legal porque era do pit de fotógrafos, onde só dá para captar o retorno.

quinta-feira, 13 de março de 2008

Kurt & William


Não é difícil entender o motivo de poucas pessoas conhecerem o compacto "The Priest They Called Him", lançado por William S. Burroughs e Kurt Cobain em 1993: são quase 10 minutos do escritor recitando, com o líder do Nirvana fazendo barulho com a guitarra, ao fundo. Ouça:



Cobain manda citações de "Silent Night" (aquele canção de Natal) e muita distorção. Na capa do CDzinho, o baixista do Nirvana, Krist Novoselic, encarna o sombrio padre da história. E foi o único que sobrou para contar a história. Agora só falta contar.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Interpol detonando nos 80s


Beto Bruno, vocalista da Cachorro Grande, na primeira música do show do Interpol em São Paulo: "Bah, vou pro camarim que isso está parecendo Duran Duran." A banda de Bruno abriu a apresentação dos norte-americanos (que queriam ser 100% britânicos).

Brasilicious, Snoopylicious

Tem coisas que não dá para resistir. A Rolling Stone me mandou fazer uma entrevista com a Fergie e a primeira coisa que me veio à cabeça foi: preciso pedir para ela fazer a voz da Sally, dos desenhos do Snoopy!

Não, não é nenhuma fantasia doentia. A Fergie dublou a irmã do Charlie Brown em dois especiais, nos anos 80, e depois deu voz à personagem Sally no The Charlie Brown and Snoopy Show.

Achou que ela ia arregar? Nada, olha só:



A loirona - que nem é grande, mas é mais bonita pessoalmente - também falou sobre o próximo disco solo dela, a trilha-sonora do filme O Homem de Ferro. Só com covers de classic rock, tipo Dani Carlos. Daqui a pouco você vai poder ler sobre isso no site da Rolling Stone.

No vídeo abaixo: Fergie durante a entrevista coletiva de hoje cedo, na Daslu. Ela fala sobre Michael Jackson e da tal trilha do Iron Man.



E a próxima edição da Rolling Stone, em abril, vai ter mais Fergie. Fergie Ferg me love you long time!

Neverland precisa de plástica


Como dá para ver na foto acima, não é só a cara do Michael Jackson que está caindo: o Neverland Ranch, abandonado, mais parece uma daquelas cidades desertas. Só espero que o Jacko tenha se lembrando de soltar as criancinhas que ele mantinha presas no porão. Mais fotos aqui.


Gostou do que viu? Pois tudo deve ir à venda caso Jackson não pague uma dívida de US$ 24.525.906 (e 61 centavos!) até o próximo dia 19.

terça-feira, 11 de março de 2008

Novo New Rave Kids


O New Rave Kids on the Block vai se renovar. E não vai se chamar New New Rave Kids. O NRK cansou da piada (apagou o glowstick, né?) e vai assumir uma nova identidade. Eu entrevistei os mocinhos para o site Mondo 77.fm e eles falaram de tudo. "Apostamos no folk pra bombar em 2008." Será? Leia tudo aqui.

Iggy e a Madonna

O Iggy Pop já até abriu show para a Madonna. Mas fazer cover de "Ray of Light" com os Stooges, na entrada da rainha do pop no Hall da Fama do Rock foi... Estranho.


E a Madonna falou pra caralho na cerimônia. Tem tudo no YouTube.

O lado mais fofinho da noite teve o Damien Rice tocando "Hallelujah", do Leonard Cohen (que o Ronaldo Evangelista achava que era do Jeff Buckley).



Foi melhor que o Bono.

segunda-feira, 10 de março de 2008

Post 1000 do With Lasers: Amor, louco amor


Burt Pagach e Linda Riss se conheceram nos anos 50 e logo ele ficou de quatro por ela. Pagach era um advogado bem relacionado, cheio da grana, dono de uma casa noturna e dono de um avião particular. Ele também era – e Linda só descobriu mais tarde – casado. Linda era uma jovem impressionável, que achava incrível circular entre gente como o cantor Johnny Mathis.

A vida de casado do playboy também não era fácil. Ele a esposa tiveram uma filha deficiente mental, que não conseguia fazer nada sozinha. No trabalho ele também começou a ter problemas – Burt ficou deprimido. Mas continuou se relacionando com Linda e torrando dinheiro em diamantes, casas etc.

Depois de desentendimentos relacionados a (falta de) sexo, Linda e Burt se separaram. História clássica de amor: logo reataram o caso – e se separaram novamente. Burt Pagach pirou mais ainda: foi parar no hospital e, quando saiu, passou a perseguir Linda de forma obsessiva.

Em 1959, a moça já estava em outra. Feliz, ficou noiva de outro. Puto, Burt contratou três pessoas para jogar soda cáustica nos olhos de Linda, que ficou cega.
Toda essa história de "amor" está documentada em Crazy Love, filme de 2007 recentemente lançado em DVD nos EUA. Seria só mais uma notícia triste se tudo tivesse acabado nesse ponto.



Os jornais piraram com o assunto. Um judeu rico havia contratado rapazes negros e pobres para cometer o crime – contra uma branca jovem e bonita. Burt foi condenado a 14 anos de cadeia. E continuou tentando conquistar Linda, com cartas. Em 1974 ele foi solto e – se é que dá para acreditar – o casal voltou a ficar junto.

Quanta loucura para uma relação, né?

Aí, em 1997, Burt foi acusado de perseguir uma outra amante... E Linda o defendeu no tribunal! Inocentado de boa parte das acusações (ele ainda teve de passar uns dias atrás das grades), ele continua com a mulher até hoje.

Amor? Doença? Difícil saber. Só nos resta ver Crazy Love e tentar entender como funciona esse sentimento bizarro que domina a mente humana. "Do meu jeito, eu o amo - só acho difícil usar essa palavra", explica Linda - cega, deformada e traída. OK, talvez seja só uma questão de definição então...

FunCSS


O B-52s vai lançar, em 25 de março, seu primeiro álbum de inéditas desde Good Stuff (de 1992). Ele se chama Funplex - e tudo isso é história velha. O legal é: você já ouviu o remix que o Cansei de Ser Sexy fez para a faixa-título?

Muita, muita coisa (atualizado)

Está no ar o terceiro podcast Qualquer Coisa, apresentando por José Flávio Junior, Ronaldo Evangelista e eu. Desta vez falamos de Mallu Magalhães, Bonde do Rolê... Epa, é reprise?!? Não! Juro que não. Enfim, falamos também sobre a passagem de Bob Dylan pelo Brasil - com depoimento exclusivo do jornalista Thiago "Quem Precisa de Bob Dylan?" Ney, da Folha de S. Paulo (com frases fortes!).

O Qualquer Coisa #3 tem o primeiro convidado da história do nosso podcast: o grande Max de Castro. Ele nos ajuda a entender a cabeça de um artista que faz referências mil em suas músicas. No bloco de abertura Ronaldo explora o mundo de Mister Sam, redescoberto recentemente pelo vocalista do Montage (longa história, escute no podcast).


Subscribe Free  Add to my Page

A seleção musical também está impecável:

"Chic Chic Aia", Lady Lu. Uma espécie de pré-Cansei de Ser Sexy, com um lado Bonde do Rolê, Tiazinha e Kelly Key.

"Chama a Turma e Vem", Che. Seguidor da escola Mister Sam.

"Pepeu Baixou em Mim", Carne de Segunda. O embrião do Do Amor, que anda abalando as noites paulistanas.

"No Action" (ao vivo), Elvis Costello. Velhinho batuta e menos mala que o Bob Dylan.

"Electrickery", Klaxons. Filhos do disco Orchestra Klaxon, de Max de Castro, em música produzida por Erol Alkan.

No fundo dos bate-papos rolam versões intrumentais de várias faixas de hip-hop, tiradas de um CD pirata comprado pelo Pedro Só nas ruas de Nova York. São elas: "Let Me Blow Ya Mind", Eve; "Ride or Die, Bitch", The Lox; "Try Again", Aaliyah; e "Lick Shots", Missy Elliott.

Sempre lembrando: para ouvir os podcasts anteriores acesse a página do Qualquer Coisa no Gcast.

Versões de encontros

A versão MPB, com Vanessa da Mata e Ben Harper.


A versão pop, com Nelly Furtado e NXZero.


A versão roqueira, com 30 Seconds to Mars e Pitty.


Mas a versão original, mãe de todas essas acima, todo mundo sabe que é esta aqui.