sexta-feira, 9 de maio de 2008

Polanski e a garota de 13 anos


Essa é uma das histórias mais conhecidas do cinema: Roman Polanski não pode pisar nos EUA porque, em 1977, transou com uma garota de 13 anos na casa do ator Jack Nicholson, em Los Angeles.

O diretor de O Bebê de Rosemary (que, aliás, vai ganhar um remake) assumiu a culpa e fugiu do país. A vítima, Samantha Geimer, disse que Polanski deu álcool e drogas para ela (a desculpa para o encontro dos dois era que a menina seria fotografada para a Vogue). Polanski alega que tudo foi um plano para que depois ele fosse chantageado (no estilo Ronaldo de defesa).

A acusação inicial incluía estupro com uso de drogas, sodomia e mais uma série de coisas, mas foi reduzida para sexo com menor de idade.

Muitos anos se passaram e a HBO fez um documentário sobre o assunto. Roman Polanski: Wanted and Desired teve sua estréia novaiorquina na terça-feira passada. Sabe quem apareceu lá? Não, não foi o Polanski.



Samantha posou para fotos e falou com a imprensa durante a festa. Segundo ela, "achamos que seria divertido, não temos muitas oportunidades de vir a Nova York", disse, referindo-se à família dela.

A entrevista do Vulture rendeu boas frases da "vítima".

  • Sobre falar abertamente sobre o caso: "Pensei que se falasse bastante, as pessoas se cansariam de mim. É uma das minhas teorias, a de que ninguém mais gostaria de falar comigo. Ainda não funcionou."

  • Sobre os filmes de Polanski: "Não. Nunca [os vi]. Por nenhuma razão em especial. Não é o meu tipo de filme. Sou uma garota do tipo comédia-ação. Vamos ver Homem de Ferro esta semana."


  • A HBO tem um comercial da série de documentários que inclui Wanted & Desired:



    O YouTube tem entrevistas com a diretora do longa, Marina Zenovich: uma do Sundance Channel e a sessão de perguntas e respostas do festival Sundance.

    E o Polanski? Bom, eu não vi o filme mais recente dele, Caos Calmo (2008). Mas se depende das palavras-chave da obra no IMDB, eu ouso dizer que o diretor não mudou muito com o passar dos anos.

    Nenhum comentário: