quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Crimes e mais crimes


O G1 diz: "Polícia tem suspeito de matar pai de atriz do Sítio do Pica-pau Amarelo." Fácil, ué: foi a Cuca.

Fake Plastic Corpses


Como o National Enquirer não conseguiu uma foto da Anna Nicole Smith morta, fez o que a Blender faz quando não consegue uma foto de capa: usou o Photoshop. O resultado é esse aí de cima. Segundo o tablóide, é "baseado em relatos" de quem viu o presuntão que, aliás, ainda não foi enterrado. Deve estar conservado em silicone e botox.

He's high on THC

Realmente, o marketing viral interativo é o que está pegando ultimamente nas gravadoras. A última é a nova campanha de marketing pra promover o single novo da Lily Allen, "Alfie". A música foi escrita por ela para seu irmão mais novo maconheiro, e aí fizeram um vídeo em que o caçula é interpretado por um boneco. E aí vem a parte que nos interessa: criaram uma campanha "coloque o Alfie em apuros". Funciona assim: você vai no site, downloada umas fotos do boneco e faz um photoshop brincalhão na sua casa. Aí você envia de volta e eles publicam o resultado. Até agora, tem o Alfie com o Bush, com a Britney careca, de Mini-Me, no corpo da Beyoncée, em capa de disco do blondie... A idéia é idiota e os resultados até agora foram bem toscos (quem manda depender do talento dos fãs?), mas até que existe o potencial de ser engraçado.

Give me a reason...

Depois de dez anos e muita enrolação, parece que agora vai: o Portishead deve lançar daqui não muito tempo o seu terceiro álbum de estúdio, depois dos ultra-cult "Dummy" (1994) e "Portishead" (1997). Há anos eles dizem que estão "escrevendo material" para o terceiro disco, mas muita gente duvidava, já que nada acontecia. Agora, coisas acontecem. Domingo passado, um dos três membros da banda, Geoff Barrows, foi discotecar em um clube chamada Mr Wolfs, em Bristol. Aproveitando que os outros dois membros, Adrian Utley e Beth Gibbons, também estavam por lá, eles resolveram tocar duas músicas juntos - "Wandering Stars", do primeiro disco, e uma música nova ainda sem título. Dá pra ver fotos disso aqui. Além disso, dá pra ouvir duas demos bem cruas (sem vocal, só baterias e teclados e barulhos) do que a banda prepara para o disco novo aqui.

Pra ir esquentando, dois vídeos da banda: Glory Box e All Mine.

Seja legal com os famosos


Depois dizem que os tablóides são maus com os famosos! Olha o The Sun, por exemplo: eles colocaram no site um link para um cartão. Você imprime, preenche e manda para o Robbie Williams, que está em uma clínica se tratando de dependência (remédios prescritos, diz ele). Não é fofo?

Você é o que você come


Essa é pesada. Segundo esta notícia da Reuters, um chef pode ter contaminado um bando de famosos com hepatite tipo A. Foi numa festa da revista Sports Illustrated. Estavam lá as modelos brasileiras Fernanda Motta, Ana Beatriz Barros, Raica Oliveira, Aline Nakashima e Fernanda Tavares, além de Beyoncé e Duff McKagan (Velvet Revolver). Segundo o departamento de saúde de Los Angeles, quem comeu comida crua no local deve se tratar. Como modelo não come, as brasileiras não devem correr risco.

Notícia do dia

Jay Kay resolveu aposentar o Jamiroquai para poder gastar seu tempo com algo mais útil: procurar uma mulher que tope ter um filho com ele. "Estou entediado, não quero voltar a fazer shows, não preciso do dinheiro", disse o popstar-dançarino-imitador-de-stevie-Wonder. Façam suas apostas, quanto tempo vai durar a "aposentadoria"? Aposto que ainda esse ano a gente ouve falar que ele resolveu "voltar ao estúdio" e está "trabalhando em faixas novas". Infelizmente.

"Vou te pegar, Britney!"


A vocalista do Gossip é a única pessoa do mundo que curtiu o visu novo da Britney. "Britney's new haircut makes her look like a butch dyke. I like it. I think I'll her marry her, but I'll have to do it in the UK. I'm sure K-Fed will send me lots of hate mail but I'll use my charms to calm him down."


Gata!

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Choque de valores e o valor do choque

Oficialmente, pouco foi confirmado. Mas, se os boatos forem todos verdadeiros, o disco solo do produtor Timbaland, "Timbaland Presents Shock Value", que sai dia 27 de março, vai ser o álbum com maior quantidade de popstars desde "We Are the World". Até agora, a lista de prováveis participações está assim: Justin Timberlake, Nelly Furtado, Elton John, Björk, M.I.A., Jay-Z, The Hives, She Wants Revenge, Chris Martin, Kanye West, Missy Elliott, Nicole Scherzinger (a única cantora das Pussycat Dolls) e mais alguns outros do mesmo calibre.

Por enquanto, dá pra ouvir o primeiro single do disco, "Give It to Me", com o Justin e a Nelly, no MySpace do Timba. E o vídeo, que estreou e já vazou ontem, aqui.

And the Scream Awards goes to...

Era Oscar ou Campeonato Mundial de Grito?

Novo Takara e Campello solo

Duas notas rápidas (mas não menos interessantes):

Marcelo Campello, cavaquinista, violonista de sete cordas, escaletista, trompetista e gritador do Mombojó, está lançando um disco solo de violão solo instrumental, chamado Projeções. Ouça algumas faixas no MySpace dele ou baixe o disco inteiro aqui.

Mauricio Takara, baterista e trompetista do Hurtmold e do Instituto (e irmão de Fernando, baixista do CPM 22, e de Ganjaman, pianista do Instituto), se prepara para lançar terceiro disco solo, chamado "Conta". Sexta-feira, dia 02, às 21h, tem show de lançamento no MIS, em São Paulo. Músicas aqui.

Emo-metal? Metalemo?


Depois de ouvir algumas guitarras do CD Infinity On High, eu não deveria me espantar com alguns dos discos escolhidos como preferidos pelo Fall Out Boy na Entertainment Weekly - três dos quatro integrantes escolheram álbuns do Metallica!

Já deu para notar que eu curto o Fall Out Boy. Para saber minha opinião definitiva sobre Infinity On High:



Dia 1o de março nas bancas de todo o Brasil. Ou aqui.

Easy as one two three

Eu duvido, mas o boato do momento é que a próxima banda a deixar as desavenças de lado e seguir os passos das Spice Girls, Smashing Pumpkins, Jesus and Mary Chain, Police e Rage Against the Machine será os Jackson 5ive. Se acontecer mesmo, já dá pra imaginar o mico completo que seria essa volta de pessoas que já abandonaram a noção há muito tempo em suas carreiras, Mutantes-style. Michael, branquelo, velho e sem talento, ao lado dos irmãos zé-ninguéns Jackie, Tito, Jermaine e Marlon é o tipo de imagem que só serviria mesmo pra manchar a memória de algo que já foi legal. A menos, é claro, que o pai, Joe Jackson, esteja junto para empresariar e manter as crianças sob controle.

Tom Zé versão bootylicious

Enquanto se prepara para lançar disco novo, "Because I Love It", a cantora gostosa sabor chocolate Amerie está lançando single novo, "Take Control", com um sample de, adivinhe, Tom Zé. Como uma genuína canção pop moderna, a música teve nada menos que quatro produtores por trás, entre eles Cee-Lo, do Gnarls Barkley e também autor e produtor do clássico "Don't cha", das Pussycat Dolls. A música do Tom Zé que empresta seu riff principal para "Take Control" na verdade são duas: "Jimmy Renda-Se", do álbum "Tom Zé", de 1970, e "Dor e Dor", do álbum também chamado "Tom Zé", de 1972. "Dor e Dor" foi uma releitura melhorada de "Jimmy Renda-Se", a partir do mesmo riff - esse mesmo, usado pela Amerie.

Vale lembrar que a mesma Amerie, mestre dos samples, já havia feito um clássico a partir de outro em 2005, quando lançou a sensacional música "1 Thing", feita a partir de um sample de "Oh! Calcutta", da excelente banda de funk dos anos 70 The Meters.

Dá pra ouvir "Take Control" no MySpace da moça ou ver o vídeo no YouTube. O original do Tom Zé você caça pela intenet, porque o disco está fora de catálogo.

(A Bizz - vanguarda, ética e remunerada - deu ontem, mas a gente chupinha na cara dura e sem medo de processo.)

Ódio

Para a geração que tem até trinta e poucos anos hoje em dia, os anos 90 foram uma espécie de novos anos 60. Redefinição de valores, criação de padrões estéticos, ironização suprema do mundo. E, junto com outros ícones da cultura pop da época, como Cameron Crowe, Richard Linklater, Nirvana, Pavement e Douglas Coupland, um dos artistas que melhor definiram (inventaram?) toda essa "atitude" foi o quadrinista Peter Bagge, com sua HQ Hate.

Publicada entre 1990 e 1998 pela editora Fantagraphics, Hate trazia as desventuras do personagem Buddy Bradley, alter-ego do próprio Bagge. Buddy é um tipinho suburbano, largado, de camisa de flanela, de saco cheio do mundo, morando em Seattle, sem saber o que fazer da vida e se arranjando em subempregos, aquela coisa.

Com uma narrativa exagerada, tão realista quanto absurda, e muito, mas muito engraçada, Hate foi um dos quadrinhos alternativos mais vendidos de sua época - e até hoje o Peter Bagge escreve sobre o personagem, mas só uma vez por ano, na revista Hate Annual.

A notícia aqui é que no próximo dia 15 de maio vai ser lançado "Buddy Does Jersey", segundo volume dos livros que compilam todas as histórias publicadas nos oito anos e 30 edições de Hate. O primeiro volume, lançado em 2005, chamava-se Buddy Does Seattle e compilava do número 1 ao 15. O novo vai do 16 ao 30. Nem é preciso dizer que ambos são altamente recomendados.

Para ter um gostinho do humor do Bagge, aqui dá pra ver os quadrinhos de comentário político (leia-se deboche social) que ele escreve desde 2001 para a revista Reason.

sábado, 24 de fevereiro de 2007

The O.C., R.I.P


The O.C. acabou. Não adianta mais chorar (ou comemorar) - It has ceased to be! It's expired and gone to meet its maker! E o maker da série, Josh Schwartz, respondeu algumas perguntas de fãs da série, na Entertainment Weekly. Ele falou sobre vários assuntos, mas discutiu também a trilha-sonora da série. "A vida é uma canção", disse. Aqui no Brasil nós não temos essa impressão, mas a série era importante para lançar novos talentos do rock nos EUA - melhor que rádio. A Wired já explicou isso.

Niureivando por aí


Alguns dias atrás o Cansei de Ser Sexy terminou a Indie Rave Tour, ao lado do Klaxons e mais duas bandas irrelevantes (OK, talvez até sejam legais, mas eu esqueci os nomes delas). Como faz um tempão que o CSS não toca por aqui, talvez você esteja com saudade. Então ouça estes MP3, gravados pela BBC, que eu achei em um blog (com a ajuda do Brooklyn Vegan). Tem uma cover boa do L7.

Ah, sim: a Indie Rave Tour foi bancada pelo semanário New Musical Express. Sabe quem já fez shows da NME? Clique aqui para saber.

A hora e a vez das orientais

Se o nono episódio da terceira temporada de Lost se salvou apenas pelas cenas mais apimentadas entre um Jack hippie e a misteriosa oriental peituda (vivida pela chinesa Bai Ling), o décimo episódio corre o risco de se destacar novamente pela sensualidade de olhos puxados (contrastando com a anti-sensualidade de Hurley, o dono do flashback).

Sabe-se que o s03e10 terá como título "Tricia Tanaka is Dead" e a tal Tricia Tanaka (seja lá qual for o papel dela na série) será interpretada pela sul-coreana Sung Hi Lee, que já mostrou-se como veio ao mundo em revistas e sites adultos, além de fazer pontas em alguns filmes, como "The Girl Next Door", que tempos atrás estava no Telecine. Nesse filme ela faz o papel de uma das atrizes pornô contratadas por um grupo de colegiais para acompanhá-los na festa de formatura. Olha ela aí (é a única oriental da foto):





Quanto ao roteiro do episódio 10, nada de genial foi revelado. Kate e Sawyer voltarão ao acampamento e, o que deve ser o mais interessante, Hurley encontrará um carro velho na ilha! Será que a tal Tricia estará dentro do carro?
Façam suas apostas!

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Blá blá blá

Tsc, tsc, tsc. Não é à toa que na semana passada Lost atingiu o recorde de pior audiência desde sua estréia, com menos de 13 milhões de espectadores. Tudo indica que o genial oitavo episódio foi realmente uma exceção: essa semana, voltamos às tramas arrastadas, melosas e enroladas. E as tais respostas para três perguntas que o trailer prometeu? Tudo mentira. Até o Damon Lindelof disse no podcast do Lost dessa semana que não teve nada a ver com isso, que foi só lorota da ABC, que fez o trailer. Basicamente, nada acontece. O Jack continua perguntando, "quem são vocês", "o que estão fazendo aqui", "o que está acontecendo", "cadê as pessoas que vocês seqüestraram", e eles continuam respondendo com as lenga-lengas evasivas de sempre, tipo "não é tão simples assim". Isso já deu pra perceber. Foi tão trágico que nem uma chinesa gostosa semi-nua foi capaz de manter a qualidade do episódio.

Pelo menos semana que vem o flashback é do Hurley, o que deve garantir alguma diversão.

"I guess we've... found our man"

Dois fatos:

1. CSI é uma das melhores séries de TV de todos os tempos;
2. CSI: Miami é uma das piores séries de TV de todos os tempos.

Mais dois:

1. O shakesperiano William Petersen (o Gil Grissom, do CSI) é um dos melhores atores na televisão atualmente;
2. o canastrão David Caruso (o Horatio Caine, do CSI: Miami) é um dos piores atores na televisão atualmente (e desde sempre, porque ele já era bem ruim em NYPD Blue).

Nesse vídeo, gravado no programa do Letterman essa semana, o Jim Carrey faz uma sensacional imitação dos trejeitos clichê do Caruso no CSI:Miami.

Pequena Bretanha ao vivo


Sabe o Little Britain? Não?!? Então está perdendo. É uma das séries de TV mais engraçadas desde o Monty Python Flying Circus (só para usar um clichê, porque todo clichê nasce de uma afirmação mais-do-que-verdadeira, num é não?). Resumo rápido: série de esquetes britânica, engraçada, está na terceira temporada, tem muuuuuuuitos bordões famosos ("But I'm a lady!", "Yeah but no but yeah but no but..., Oh my god! I soooo can't believe you just said that! ...", "Only gay in the village" etc).

Aí chega o Comic Relief e convoca a dupla cabeça da série, Matt Lucas e David Walliams, para um DVD ao vivo (o segundo deles, aliás). E surgem momentos assim:


Quem não reconheceu, clique aqui e saiba quem é a moça. E para sacar qual é a do Little Britain:

Doutora Shepherd

Existe uma boa chance de que você, leitor, seja fã de Grey's Anatomy. A série é uma das mais vistas no mundo atualmente - na semana passada, só nos EUA, foram 26 milhões de pessoas coladas na frente da tevê. Se você é um desses milhões de fãs, talvez goste da novidade: a criadora da série, Shonda Rhimes, está pensando seriamente na possibilidade de criar uma série nova totalmente dedicada à personagem da Dr. Addison Montgomery-Shepherd, a mulher (ex?) do Doctor Shepherd, o amor da vida da personagem principal da série. Curiosamente, a personagem da atriz Kate Walsh apareceu na série meio que como uma coadjuvante e aos poucos foi se tornando uma favorita. Nada foi dito ainda sobre se nessa série nova ela continuaria em Seattle, onde Grey's Anatomy se passa, ou se voltaria para Nova York, sua cidade natal. Mas o que se sabe é o seguinte: em maio, vai ao ar um episódio especial de duas horas do Grey's que será focado principalmente na doutora Shepherd. Se a resposta for boa, a série solo acontece. Vai torcer a favor ou contra?

(Aproveitando o assunto, uma pequena observação aos fãs de Lost e Grey's Anatomy: já reparou no sobrenome do Jack, do Lost? É o mesmo do Derek, do Grey's Anatomy - ou seja, dois doutores Shepherd. E o Preston, do Grey's? Tem o mesmo sobrenome da Juliet, do Lost - ou seja, dois doutores Burke. Coincidência?)

Capitão presença


Lembra disto aqui? Agora Trent Reznor revelou mais sobre o disco Year Zero, do Nine Inch Nails. Além da capa, ele revelou os nomes das músicas e o conceito do trabalho: "Part one is Year Zero. Concept record. Sixteen tracks. What's it about? Well, it takes place about 15 years in the future. Things are not good. If you imagine a world where greed and power continue to run their likely course, you'll have an idea of the backdrop." O primeiro single, "Survivalism", já está por aí, com mais duas faixas vazadas: "Me, I'm Not" e "My Violebt Heart".

E o ARG que envolve o disco tá bombando. Tem gente dizendo que é melhor (e mais complicado) do que Lost. Se você quiser entrar na brincadeira, o NINwiki é um bom começo. Aliás, a capa do CD é uma imagem da entidade chamada The Presence. É uma coisa meio Deus que aparece nos EUA, uma mão vinda do céu. Creepy.

Hotéis tatuados

Vistorias em quartos de hotéis costumam se resumir a uma olhadinha no frigobar e uma conferida nos móveis para confirmar se o hóspede não deu uma de Axl Rose e quebrou cama, cadeira, privada etc. Mas se a moda do Secret Wall Tattoos pega, isso com certeza vai mudar. A novíssima forma de expressão artística consiste em fazer arte em espaços escondidos dos quartos de hotéis: atrás do espelho, de um quadro, da cabeceira da cama etc.


Veja outras "obras" aqui.

Fall Out Kanye


O Jay-Z já participava (discretamente, vai) do CD Infinty on High, do Fall Out Boy. Mas agora Kanye West emprestou seus talentos em um remix de "This Ain't a Scene, It's An Arms Race". Se a AOL colaborar, você escuta aqui:



E O Fall Out Boy deve remixar alguma música do Kanye em breve. Essa foto aí de cima faz parte da mais recente edição da revista Rolling Stone (a americana), que colocou os caras na capa. E a Spin também!

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Vendem-se domínios

O mercado de domínios é mais uma das bizarrices da pós-modernidade (assim como o Second Life, o mercado de carbono e um monte de outras coisas). Dia desses fiquei sabendo que Tuvalu, uma ilhota perto da Austrália que está fadada a desaparecer em breve (graças à elevação do nível do mar), faturou US$ 50 milhões em um acordo com emissoras de TV americanas, permitindo-as usar por 10 ou 15 anos o ".tv" (a abreviatura internética de Tuvalu - assim como nosso ".br") em seus sites.

Dando uma olhada no Ebay dá pra encontrar coisas ainda mais malucas. Por exemplo: o domínio www.whosdannielynnsdaddy.com, que serviria para falar da Anna Nicole Smith, está à venda por US$ 2 milhões.

Se você quer um domínio para falar do novo corte de cabelo da Britney, tem ainda mais opções. No Ebay você pode dar seu lance por: Newbaldbritney.com; Baldyspears.com; Britneyhears.net; Britneyspearsbaldy.com etc.

Logo mais abriremos o pregão desse blog.

Ano Zero

Trent Reznor é um artista complexo. Não bastasse a música intensa que ele faz com o Nine Inch Nails, agora ser fã da banda envolve todo um universo particular, muita ficção científica pessimista e muito tempo perdido na frente do computador. Algum novo gênio de marketing contratado pela banda bolou todo uma campanha de marketing viral baseado em um "alternate reality game" (tipo o Lost Experience, saca?) pra divulgar o disco novo da banda, "Year Zero", que vai ser lançado no próximo dia 17 de abril.

Tudo começou com uma camiseta da última turnê da banda com umas letras em destaque. Juntando aquilo, você chegava ao site iamtryingtobelieve.com. Dali você partia para vários outros sites e fóruns (tipo esse e esse) que, juntos, contavam uma história apocalíptica sobre uma bomba que explodiu em Los Angeles em 2022, uma água envenenada e um remédio que todo mundo tem que tomar. Segundo o próprio Reznor, tudo isso está ligado ao próprio disco, que é "a trilha sonora de um filme que não existe" sobre o fim do mundo.

A última sacada da tal campanha de marketing do NIN foi deixar pen drives estrategicamente largados em banheiros de shows da banda. Nos pen drives, mp3s de músicas novas da banda. E um mp3 cheio de barulhos. Ah, mas aí é que vem a graça! Se você passa o mp3 por um "analisador de espectogramas" (quem é que bola esse tipo de coisa?), aparece na sua tela um número. Se você liga para esse número...

O nosso intrépido repórter Paulo Terron ligou para descobrir o que aconteceria. O resultado, você ouve aqui. Muito medo.

"Previous Liam victim"

Com o Liam é assim: chegou perto, levou porrada! Nesse vídeo dá pra ver o simpático vocalista do Oasis pedindo educadamente um pouco de privacidade a um fotógrafo que tentava registrar um momento feliz do popstar com seu filho de cinco anos - a menos de cinco metros! Não é tão legal quanto o histórico vídeo da Björk espancando uma jornalista no aeroporto, mas vale pela quantidade de palavrões por segundo e pela matéria que dá espaço a um fotógrafo "vítima anterior" de Liam dando a sua opinião.

Fala com a minha mão

Um sul-coreano chamado Sunman Kwon acaba de criar o protótipo de uma engenhoca que transforma sua mão em um telefone celular. É uma espécie de pulseira com um microfone, uma saída de som, uma microtela para você ver a cara do seu interlocutor e, o que é mais fantástico, uma espécie de projetor, que transforma as falanges dos dedos nas teclas do telefone - ou seja, a ponta do indicador, por exemplo, "recebe" a tecla do número 3 (e das letras "d, e, f").



Não dá pra saber se o negócio funciona bem ou não (mesmo porque ainda não está sendo produzido), mas, se fosse uma mentira deslavada, não estaria no site da IF Design, uma instituição alemã que seleciona anualmente criações do mundo todo que se destacaram pelo seu desenho e usabilidade e lhes concede um prestigioso selo de qualidade.

Introduzindo Joss Stone

Já viu a Joss Stone na fase nova? A adolescente hippie loirinha tímida já era, ela agora está pagando de mulherão, toda ruiva e femme fatale. Bonitona, mas não está parecendo um pouco uma perua velha louca? Confesso que deu um pouco de medo vendo esse vídeo.

Apesar da maquiagem e da cara forçada de vivida, a moçoila faz
20 anos no próximo dia 11 de abril. O disco novo dela, "Introducing Joss Stone", sai dia 13 de março. No site oficial já dá pra ouvir o bacaninha primeiro single, "Tell Me 'Bout It". A idéia toda agora é assim: os dois primeiros discos dela, em que ela cantava naquele clima soul-retrô, eram só aquecimento. Agora sim ela está começando a carreira, com composições novas e arranjos modernos. Legal, mas pena que era mais legal antes.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Fala aí, rapaz gordo

Norman Cook, o Fatboy Slim, é definitivamente o novo Jimmy Cliff. Ele já está tão brasileiro que:

1) fez agora em fevereiro uma turnê por onze cidades brasileiras;
2) no seu site, está escrito a mensagem "tenha uma viagem boa, rapaz gordo";
2) compôs uma música com a Daniela Mercury, "Just a Brazilian Groove";
3) está vindo ao Brasil se apresentar pelo quarto ano seguido;
4) pelo segundo ano seguido, veio tocar no carnaval de Salvador - seu trio elétrico fechou o carnaval, na madrugada de ontem pra hoje;
5) Caetano Veloso já aprova: ontem, o baiano cabeça subiu no trio elétrico do DJ pra dançar e ainda beijou sua mão.

Inglês é tudo igual mesmo. Já posso imaginar o rapaz gordo, todo vermelho de sol, se entupindo de caipirinha e sendo inconveniente com as mulatas.

Valeu aí, Metatron!

Carlos Santana, aquele guitarrista que já foi legal e hoje é um mala, está com um projeto novo: junto com sua esposa, vai abrir uma rede de restaurantes mexicanos, chamada Maria Maria. O primeiro vai ser na cidadezinha de Walnut Creek, na Califórnia, em abril. Segundo a nota oficial, o restaurante vai servir "especialidades da cozinha mexicana". Nenhuma informação sobre a trilha sonora do lugar.

Tudo graças ao Metatron, o anjo que parece o Papai Noel e foi quem ajudou o Santana a fazer sucesso nos anos 90. É sério: na última vez que ele esteve no Brasil eu o entrevistei para uma matéria na Folha de S.Paulo e ele não parava de falar que dinheiro e sucesso não importavam, ele só queria saber de levar alegria para as pessoas, e que tudo que acontecia com ele era graças ao Metatron, que tinha feito dele uma pessoa iluminada.

Essa matéria da Rolling Stone conta mais sobre isso. Olha que sensacional:

"Metatron is the architect of physical life. Because of him, we can French-kiss, we can hug, we can get a hot dog, wiggle our toe." He sees Metatron in his dreams and meditations. He looks a bit like Santa Claus -- "white beard, and kind of this jolly fellow."
(...)
"You will be inside the radio frequency," Metatron told him, "for the purpose of connecting the molecules with the light." Carlos Santana understood. He would make a new album and be on the radio again. And he would connect the molecules with the light: He would connect an audience with some of the spiritual information he now had.

Pelo menos ele foi original. Ao invés da ficção científica já manjada do L. Ron Hubbard, ele procurou uma coisa mais criativa para acreditar.

(Sem) Pé de valsa


Depois de muita boataria, é oficial: a ex de Paul McCartney, Heather Mills, vai participar do programa Dancing With the Stars (que é a versão original daquele quadro do Faustão). Essa edição só vai ter gente de nível: Joey Fatone (o ex-N'Sync que não é o Justin nem é gay), Billy Ray Cyrus (será que ele ainda tem mullet?) e Laila Ali (filha do Muhammad), entre outros ainda menos conhecidos. A estréia, nos EUA, é em março. Vai ser "pernas pra que te quero!".

Por falar em boatos sobre a Heather, eu adoro este: ela estaria secretamente tentando vender um desenho animado sobre a família McFartney. O pai seria um maconheiro flatulento - e haveria até um fantasminha da Linda McCartney, ops, McFartney!

Twoooo weeeeeeeeks

Em homenagem à recente estréia da careca de Britney, o blog/site Best Week Ever fez uma lista das suas dez mulheres carecas favoritas.

Em nono lugar:

9. ARNOLD SCHWARZENEGGER in TOTAL RECALL. Our favorite scene in our favorite sci-fi movie. A casually dressed Arnold in fat lady drag approaches customs at an intergalactic airport. The guard is all “How long will you be staying on Mars”, and the heavy-set woman answers “Two weeks.” Then he’s like “Got any fruit on you?” and once again, the woman is like “Twoooo weeeeeeeeks.” Why? Because the computerized drag costume Arnold was disguised in was malfunctioning. Luckily, the huge nightarishly bald head he was wearing is also a bomb. Get ready for a surprise, ya’ll!

Big fat pig

Sabe o Franz Ferdinand? Então, sabe o vocalista, Alex Kapranos? Então, ele tem uma coluna semanal no jornal inglês The Guardian sobre comida. Toda semana ele escreve e comenta sobre o que ele comeu de interessante viajando pelo mundo com o FF, e em dezembro saiu um livro compilando os melhores momentos de sua coluna. Semana passada, esse site fez uma entrevista interessante com ele sobre o assunto. Mas, na verdade, esse post é só uma desculpa para linkar a coluna que ele escreveu depois de vir tocar no Brasil. Levaram o cara na churrascaria Porcão, no Rio, e lógico que ele ficou louco.

(E só um detalhe: o Eduardo que ele cita no texto é a celebridade Eduardo Ramos, manager do CSS.)

Como parecer simpático em dois passos


Chris Cornell, em entrevista à Entertainment Weekly:

1 - Você os veria (o Rage Against the Machine reformado) no Coachella, em abril?
Claro!

2 - Você subiria no palco com eles?
É uma boa idéia...


Sim, claro. Eu diria que a chance disso acontecer é de, aproximadamente, -500%. A não ser que Cornell subisse ao palco com um daqueles aparelhinhos que dão choques, para torturar seus ex-companheiros de Audioslave.

The Adventures of Ghosthorse and Stillborn

Falando em CocoRosie, dia 10 de abril sai o disco novo delas. Só pra avisar.

Like sex on the beaches

Tira o shortinho rosa do armário e vai se preparando: mês que vem tem show da Peaches no Brasil. Tá no MySpace dela: 23 de março na The Week, em São Paulo (mesmo lugar onde tocaram as CocoRosie), e 24 de março no Circo Voador, no Rio. Se for no mesmo nível do show dela por aqui no Tim Festival de 2003, vai ser demais. Foi nesse show, aliás, que eu tirei essa foto aí em cima. Sim, eu cheguei perto assim do crotch da moça e foi por muito pouco que não me sujei todo quando ela começou a cuspir sangue. Mais fotos do mesmo show aqui e aqui.

Bond du'roll com lêizeres


O Bonde do Rolê toca dia 24 agora, também conhecido como sábado, com o Gossip, em Londres. Esse também vai ser o dia em que a banda fará três shows no mesmo dia. Tipo CPM 22. O CD Bonde do Rolê With Lasers (homenagem do trio a este blog) sai dia 4 de junho na gringa, pela Domino Records. Ouça o single "Solta o Frango" aqui.

Aerosmith vem pegar uma praia

Que o Aerosmith vem para o Brasil, todo mundo sabe. (Se alguém liga? Esse já é outro problema...) Eles fizeram um show pequeno em Londres recentemente, então dá para saber mais ou menos como será o repertório aqui.

A pergunta, portanto, é: Steven Tyler vai trazer o sungão e pegar uma praia no Brasil?



Deus queira que não.

Mas já???


Este "probleminha" foi resolvido para James Brown, parece. Dois meses - provavelmente um tempo maior do que a última turnê do Godfather of Soul.

Agora só falta a pobre Anna Nicole Smith que, mesmo morta, continua pagando de doida:

terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Hiro e o motorista de ônibus

Quando a série Heroes estreou, muita gente pensou: "Uhn... Pessoas comuns desenvolvendo poderes... Acho que li isso num gibi." Mais de um até: X-Men e Rising Stars. Só que este acontecimento, no episódio desta semana, mostra a aprovação de pelo menos um desses "copiados":


Stan Lee, criador dos X-Men, interagiu com Hiro!

Outro medalhão que recentemente apareceu na série (que estréia aqui em março) foi George Takei (você sabe quem é - Star Trek e tal). E, nada a ver com isso, o Takei deu a opinião dele sobre o lance homofobia/Tim Hardaway:


ATUALIZAÇÃO:

Perdido com Stephen King


J.J. Abrams não parece ser um cara muito modesto. Parece que agora ele vai dirigir uma adaptação da série de livros The Dark Tower, de Stephen King.

King costuma ser meio chato quanto a adaptações de suas obras. Ele odiou O Iluminado (sem noção? Assista à série de TV, que ele aprovou. Horrível não é o suficiente para descrever).

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

The Return of Parker Posey

Falando em Parker, e a Parker Posey? Depois de atuar em um milhão de filmes e de anos e anos sendo chamada de "rainha do cinema indepentende americano", parece que agora a moça corre o risco de se tornar mainstream. Primeiro, ela participou do último Sundance com dois filmes: como personagem-título do filme novo do Hal Hartley, Fay Grim - que é uma espécie de continuação de Henry Fool, dele mesmo - e em Broken English, filme de estréia da diretora Zoe Cassavetes, filha do Nick Cassavetes.

Segundo, e aqui vem a notícia mais interessante, Posey é a estrela de The Return of Jezebel James, a nova série da Amy Sherman-Palladino, criadora de Gilmore Girls. Já pensou? Toda semana na TV, se transformar em uma cara conhecida? Tudo depende das pessoas assistirem ou não à série nova. Bom, a Sherman-Palladino abandonou Gilmore Girls pra fazer isso e a série já foi aprovada pela Fox, então as chances são boas. Se depender do Terron, o maior fã de Gilmore Girls do mundo, vai ser um sucesso.

Not a problem

Descobri hoje que no primeiro álbum da banda-do-momento Fall Out Boy, Fall Out Boy's Evening Out With Your Girlfriend (2002), tem uma música chamada "Parker Lewis Can't Lose". Quem se lembra dessa série? Passava aqui no Brasil na Record, no começo dos anos 90. Basicamente, era o filme Ferris Bueller's Day Off transformado em uma série de TV, só que passada principalmente na escola do protagonista. Mas era tudo ainda mais nonsense que o filme, com o personagem principal Parker sempre bolando planos mirabolantes, conversando com a câmera e narrando suas desventuras com seus amigos nerds e sua irmã arqui-inimiga, cheio de metáforas visuais. Anos depois, séries como Scrubs e Malcolm iam ficar famosas exatamente com o mesmo tipo de linguagem e humor.

A série ainda não saiu em DVD, mas já tem até uma página na Amazon pra quem tem esperanças de que isso aconteça em breve.

No Youtube (por enquanto) dá pra ver um trecho do piloto (repare na participação de uma infante Milla Jovovich).

domingo, 18 de fevereiro de 2007

Amy Cokehouse


Ah, os tablóides! O News of the World publicou uma foto suspeita da cantora Amy Winehouse. Talvez não seja nada ilegal, pode ser... Bom, sei lá.

A Amy é má. Olha como a Lily Allen ficou depois de perder um prêmio para ela no Brit Awards:


A LiLy disse ao The Sun que não é nada disso. Ela estava chorando por causa do namorado, esse careca feioso da foto. Ele não faz ela smile?