quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Ossos e políticos


Adoro uma teoria de conspiração, e esta é boa demais. O senador norte-americano John Kerry respondia a perguntas depois de uma palestra na Universidade da Flórida, no último dia 17, quando um estudante fez uma pergunta mais agressiva. O rapaz, Andrew Meyer, 21 anos, fez perguntas sobre as eleições de 2004, sobre a falta de apoio do senador a uma campanha para o impeachment de George W. Bush e - a principal - sobre a suposta participação de Kerry na Order of Skull and Bones. E aí os policias o arrancaram do microfone. É verdade que o rapaz reagiu e tentou fugir mas, quando ele já estava imobilizado no chão, gritando por socorro, os oficiais começaram a dar choques nele. Mas essa é outra história, um longo debate sobre liberdade de expressão (e sobre o caráter de Meyer, que tem um site cômico).

O importante aqui é a tal Ordem do Crânio e Ossos, anteriormente conhecida como A Irmandade da Morte. É uma sociedade secreta da Universidade de Yale, que teria tido como membros - além de Kerry - Bush pai e Bush filho, o ator Paul Giamatti e muitos políticos. Dessa organização teria saído a primeira empresa a produzir combustível nos EUA, a Pennsylvania Rock Oil. E por aí vai. A ABC fez uma materinha em 2001, mostrando como seria um dos rituais. A CBS também, anos depois. E aí, o que você acha?

ATUALIZAÇÃO - Mais sobre o estudante, o choque e Kerry:

*CNN: "Estudande chocado - e cansado - do incidente";

*Salon: "Conheça os seus direitos: o incidente com o taser de Kerry";

*New York Times: "Polícia usa taser em estudante durante debate".

Um comentário:

Dexter disse...

Um absurdo o que fizeram com o cara, mas que ele planejou tudinho pra acontecer como acabou acontecendo, ah, isso ele planejou. rs