sexta-feira, 2 de março de 2007

YouTube 2.0

Após um período de especulações de todo tipo, o Google começa a mostrar as suas intenções para o futuro do YouTube. Primeiro veio o anúncio de uma parceria com a empresa Audible Magic que teria uma ferramenta capaz de bloquear vídeos piratas - e isso significa que em breve o YouTube não será mais o lugar que visitaremos para encontrar as gafes do Sílvio Santos e quadros do Monty Python, por exemplo. Ou seja: o YouTube só oferecerá vídeos produzidos pelos usuários ou disponibilizados por parceiros.

E aí o YouTube chega um ponto decisivo: se aproveitarem a grana do Google e fecharem parcerias bacanas, podem passar a ser uma espécie de emissora de TV com o melhor da produção audivisual que circula pela internet e, melhor, sendo dona deste conteúdo. Caso contrário, o YouTube se resumirá a videozinho de celular (que, em geral, só tem algum significado para quem o produziu e dois ou três amigos) e será atropelado sem dó por novas ferramentas, como o Joost.

E a boa notícia é que, pelo jeito, os caras não estão economizando na busca por parceiros: o New York Times informou hoje que, além dos grandes acordos (como o fechado com a BBC), o YouTube já fechou mais de mil parcerias com produtores independentes e e grupos alternativos, como o Sundance Channel, que organiza o principal festival de cinema independente do planeta, e o estúdio Wind-up Records, que ofecerá vídeo de música além de disponilizar seu acervo para ser usado como trilha sonora dos vídeos postados pelos usuários.

Com isso, futuramente devem surgir canais bacanas, como o da NBA, que já está no ar e mostrou que tem grande potencial durante o All Star Game deste ano.

2 comentários:

ronaldo evangelista disse...

E o GoogleTV? Já enviou 200 emails pra você mesmo, Artur?

eugênio disse...

não sabia quem tinha escrito post até chegar na nbatv...